Alta de 70%: Renan Filho terá mais de R$ 1,3 bilhão para investimentos em 2018
   11 de dezembro de 2017   │     22:30  │  0

O governo de Alagoas deve realizar no próximo ano o maior programa de investimentos públicos que te tem conhecimento nos últimos anos.

A previsão está lá, na proposta do Orçamento do Estado para 2018. A estimativa do estado é destinar exatos R$ 1,329 bilhão para investimentos. É dinheiro que vai principalmente para obras. A maioria já em andamento – a exemplo de novos hospitais, escolas e duplicação de rodovias.

Em relação aos valores previstos para o Orçamento de 2017 (R$ 781 milhões), ainda em execução a receita de investimentos do estado de Alagoas no próximo ano terá crescimento de 70%.

É muito. Muito mesmo. Ainda mais com o país em plena crise.

O crescimento dos recursos disponíveis para investimentos, no entanto, não vai afetar as outras obrigações do Estado. O governo prevê aumento geral de despesas igual ao crescimento da receita – em torno de 5% (uma boa pista para o teto de reajuste do funcionalismo). O dinheiro para investimentos virá em parte de empréstimos que o governo está negociando, em torno de R$ 600 milhões e de reservas feitas a partir do ajuste fiscal e, principalmente, da redução de despesas com o serviço (juros e amortização) da dívida.

Para se ter uma ideia, as despesas do governo de Alagoas com serviço da dívida que foram de R$ 859 milhões em 2015, chegaram a R$ 913 milhões em 2016, recuando para uma estimativa de R$ 511 milhões em 2017 e R$ 644 milhões em 2018. A economia com o pagamento da dívida, somente neste dois anos (2017 e 2018) chega a mais de R$ 600 milhões.

Seja como for, Renan Filho parece ter feito bem o dever de casa. Terá para investir em 2018, no ano da sua disputa pela reeleição, praticamente o mesmo valor que foi destinado a investimentos somados em 2016 (R$ 698 milhões) e 2017 (R$ 781 milhões).

Veja comparativo da previsão do Orçamento de Alagoas para 2017 e 2018:

COMENTÁRIOS 0

STF julga nesta terça se aceita denúncia do MPF contra Arthur Lira e Biu de Lira
     │     16:36  │  0

O líder do PP na Câmara Federal, deputado Arthur Lira, tentou adiar o julgamento de denúncia em que é acusado pelo Ministério Público Federal pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Na denúncia, também são acusados o senador Benedito de Lira (PP-AL) e o ex-presidente da UTC Engenharia, Ricardo Ribeiro Pessoa. Este último acusado de corrupção ativa.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin negou o pedido e o julgamento segue agendado para esta terça-feira, 12.

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal deve decidir se aceita ou não a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), que acusa, além de Ricardo Pessoa os dois políticos alagoanos

As chances do STF acatar a denúncia contra Arthur Lira são maiores do que no caso de Benedito de Lira. Esse pelo menos é o prognósticos dos “experts” no assunto.

Nada que abale o senador e o deputado. Aceitar a denúncia é uma coisa, julgar o caso é outra. E o tempo no STF até o julgamento é longo o suficiente para não atrapalhar os planos dos dois para 2018.

Repercussão

O pedido de Arthur repercutiu em veículos de comunicação. Veja texto do Estadão:

Fachin nega adiar julgamento de Benedito e Arthur de Lira

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin negou pedido para adiar o julgamento de denúncia contra o senador Benedito de Lira (PP-AL), o deputado Arthur de Lira (PP-AL) e o ex-presidente da UTC Engenharia Ricardo Ribeiro Pessoa, agendado para a próxima terça-feira, 12.

A Segunda Turma da Corte deve decidir se aceita ou não a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), que acusa os dois políticos alagoanos de crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e atribui a Pessoa o crime de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

Leia aqui na íntegra:

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,fachin-nega-adiar-julgamento-de-benedito-e-arthur-de-lira,70002113512

COMENTÁRIOS 0

Sete Estados brasileiros não tem previsão para pagamento do 13º… e se fosse aqui?
   10 de dezembro de 2017   │     19:38  │  0

Deveria ser uma obrigação normal de todos gestores públicos. Deveria. Em várias prefeituras de Alagoas e mesmo em alguns estados, o pagamento dos salários servidores vem sendo atrasado – sem maiores consequências para prefeitos ou governadores.

Alagoas já passou por isso, em um período recente. Assim como acontece em estados como Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, os salários dos servidores de Alagoas chegaram a atrasar por vários meses.

Com o ajuste fiscal, alguns prefeitos e o governador do estado estão anunciando o pagamento do 13o salário como uma “realização”. É o caso de Gilberto Gonçalves, prefeito de Rio Largo e de Renan Filho, que anunciaram o pagamento do abono natalino do funcionalismo, na próxima semana, antes portanto do prazo limite (20 de dezembro).

Quando o estado ou a prefeitura paga em dia ou antecipa o pagamento, a economia agradece. O dinheiro circula beneficiando principalmente os setores do comércio e serviços, justos os que mais empregam pessoas neste período do ano.

Se o pagamento não sai em dia, municípios e estado poderiam viver situação semelhante a do Rio de Janeiro.

Sete estados seguem sem previsão para pagar o 13o
Levantamento feito pelo Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração (Consad) revela que sete Estados da Federação ainda estão sem previsão para o pagamento do 13º salário aos servidores públicos. São eles: Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima e Tocantins.

No vizinho Estado de Sergipe, por exemplo, a segunda parcela do 13º salário deve ser parcelada, mas ainda não foram anunciadas as datas. Alagoas, por sua vez, é um dos dez Estados brasileiros que já anunciaram o pagamento até o dia 20 de dezembro.

No caso específico de Alagoas, o governador Renan Filho garantiu que o dinheiro estará na conta de todos os servidores já no dia 15 deste mês, antecipando o pagamento do 13º salário.
“Contas equilibradas do Governo permitem fazer isso. Além de beneficiar diretamente 74 mil servidores ativos, inativos e pensionistas, vamos injetar quase R$ 300 milhões na economia estadual, favorecendo o comércio, o setor de serviços e fazendo o mercado local girar ainda mais forte”, declarou Renan Filho.

COMENTÁRIOS 0

Políticos mais “velhos” disputam liderança com “jovens” nas redes sociais em AL
   9 de dezembro de 2017   │     19:04  │  0

Nas últimas duas eleições (2014 e 2016) a internet foi uma das principais ferramentas utilizadas na caça ao voto. O uso das redes sociais foi incorporado ao arsenal dos políticos para conquistar o eleitor.

Este território não é exclusivo dos políticos mais jovens. Ao contrário. As novas gerações terão que brigar muito também por este espaço. Os políticos que já passaram dos 40 e até mesmo a turma com mais de 60 anos manda bem nas redes sociais em Alagoas. E em alguns, lideram.

Um levantamento exclusivo feito pelo blog mostra que entre os políticos alagoanos com mandato, Renan Filho tem o maior número de curtidas e seguidores no Facebook.

Na amostragem (veja tabelas) feita com data dessa sexta-feira, 8, o governador tem 239,6 mil curtidas. O segundo maior número de curtidas é do senador Renan Calheiros (229,3 mil). Em seguida, aparecem Marx Beltrão (178,1 mil), Rui Palmeira (103,5 mil) e Fernando Collor (101,9 mil).

Entre os deputados federais, quem lidera, depois de Marx Beltrão, é Maurício Quintella, com 74,1 mil curtidas. JHC que manda bem nas redes é apenas o terceiro, com 64,5 mil curtidas.

Entre os deputados estaduais, quem lidera é Rodrigo Cunha, com 68,9 mil, seguido de Ronaldo Medeiros (30,2 mil) e Jairzinho Lira (13,2 mil).

Tendência em 2018

Se nas eleições anteriores, o Facebook foi a prioridade entre as redes sociais para a maioria dos candidatos, um aplicativo que começou a ganhar força em 2016 deve se consolidar como o queridinho dos candidatos em Alagoas nas eleições do próximo ano. Estou falando, claro, do Instagram. Alguns políticos atualizam e interagem com maior frequência o Insta do que qualquer outra rede.

Quem lidera entre os políticos alagoanos com mandato nesta rede é o Senador Renan Calheiros, que tem 82,6k (82,6 mil). Aqui as posições se invertem e Renan Filho aparece em segundo, com 74,5k. Rui Palmeira aparece em terceiro, com 58,7k.

Entre os federais, Marx Beltrão lidera com 39,2k, seguido de JHC com 37,3k e Pedro Vilela, com 17,4k.

Na “disputa” entre os estaduais, Rodrigo Cunha lideram com 28,4k, seguido de Thaise Guedes com 24,4k e Jairzinho Lira 12,2k.

Pode impulsionar

Diferente das eleições anteriores, os candidatos poderão impulsionar (pagar para divulgar) suas publicações nas redes sociais na campanha eleitoral de 2018. As regras ainda serão definidas pelo TSE. Mas de antemão, já se sabe que quem tem um público formado e consegue interagir com seus seguidores, parte na frente. E bem na frente.

COMENTÁRIOS 0

Denúncia do MPF não fará Téo desistir de candidatura ao Senado, avisa Vilela
   8 de dezembro de 2017   │     21:56  │  0

Os planos não mudaram. O ex-governador Teotonio Vilela Filho segue em cima do muro, sem abalos, trabalhando para se viabilizar como candidato ao Senado, apesar de ter sido alvo de investigação na operação Caribdis, da Polícia Federal, e de ter sido denunciado pelo Ministério Público Federal por corrupção passiva e ocultação de patrimônio em nome dos filhos.

Segundo denúncia do MPF, repercutida no Portal Gazetaweb, o ex-governador é suspeito de ter recebido mais de R$ 2 milhões em propina. (Veja aqui textos sobre a denúncia: http://gazetaweb.globo.com/portal/noticia/2017/12/_45278.php; http://gazetaweb.globo.com/portal/noticia/2017/11/canal-do-sertao-teotonio-vilela-teria-recebido-r-2-mi-em-propina_44829.php).

Em nota (veja a seguir), Téo Vilela diz tudo será esclarecido e que confia na Justiça.

Na avaliação do deputado federal Pedro Vilela (PSDB-AL), que também é sobrinho do ex-governador, a definição ou não de uma eventual candidatura não será influenciada pela ação do MPF.

“O Téo está tranquilo e sabe que tudo isso será esclarecido. O partido (PSDB) quer que ele seja candidato, eu também quero. Se ele não for candidato será por outros motivos e não por essa operação”, aponta Pedro Vilela.

A decisão de Téo Vilela, reforça o deputado, só será anunciada no próximo ano, provavelmente depois que o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, definir se é candidato ou não ao governo: “não acredito que nenhuma decisão saia antes do carnaval. E a tendência é que Téo se decida logo depois, confirmando sua candidatura”, avisa o deputado.

Reeleição

Quanto a Pedro, ele afirma que segue trabalhando por sua reeleição para a Câmara Federal. “O plano não mudou. Estamos estruturando o partido para as próximas eleições, podendo lançar chapa própria ou em coligação”, pondera.

Leia a nota do ex-governador:

NOTA

Confio na Justiça e na minha história. Tenho a mais das absolutas certezas de que na política cumpri com decência e ética meu compromisso com Alagoas e com os alagoanos e, portanto, sou o maior interessado em que essas investigações esclareçam definitivamente a verdade, reafirmando a minha disposição em colaborar com as autoridades que as conduzem.

Mas é preciso, desde já, deixar muito claro e enfatizo que não há em meu patrimônio, da minha esposa e de meus filhos, qualquer bem que tenha sido adquirido com dinheiro ilícito, de forma ilegal ou qualquer coisa desse porte.

Entendo que na condição de homem público, tenho a obrigação de prestar contas à sociedade, o que sempre fiz e faço com consciência do dever honestamente cumprido, mas, como pai e marido, tenho, igualmente, o dever de proteger a minha família de suposições que não retratam a realidade dos fatos e que nos indignam profundamente.

Repito a minha crença no andamento correto das apurações, no aguardo de que esse procedimento restabeleça o mais breve possível a verdade sobre todas essas absurdas acusações, com convicção de que não pratiquei nenhum ato contra o estado, contra a política e sobretudo contra os alagoanos que me elegeram Senador por três vezes e Governador do Estado por duas vezes.

Teotonio Vilela Filho

COMENTÁRIOS 0