Rodrigo, JHC, Lessa e Gaspar surgem favoritos para prefeitura de Maceió
   19 de março de 2019   │     17:59  │  0

O senador Rodrigo Cunha (PSDB) é o grande favorito para vencer as eleições de prefeito de Maceió em 2020.

Ele aparece, em pesquisa divulgada nesta terça-feira, 19, pelo Paraná Pesquisas com 29,5% numa questão estimulada ao lado de outros possíveis concorrentes.

Em segundo lugar, quem aparece é o deputado federal João Henrique Caldas (PSB), com 22,1%, seguido do ex-prefeito e ex-governador Ronaldo Lessa (PDT), como 11,5% e do Procurador Geral de Justiça, Alfredo Gaspar (sem partido).

No mesmo levantamento, Maurício Quintella (PR) e Cabo Bebeto (PSL) aparecem bem posicionados com 5,3% e 4,7% respectivamente.

Cunha se apressou em declarar a um site loca que não pretende disputar a prefeitura no próximo ano, abrindo caminho para os demais concorrentes.

Um detalhe interessante da pesquisa é que os dois melhores colocados foram os mais votados na capital nas eleições de 2018, para o Senado e para a Câmara dos Deputados, respectivamente. Faltou o Paraná Pesquisas testar também o deputado estadual Davi Davino Filho, que foi o mais votado para estadual nas eleições passadas.

Outro detalhe ainda mais importante a ser considerado é o grande número de eleitores que não sabe em quem vai votar. Na questão espontânea, quem lidera é o atual prefeito Rui Palmeira (PSDB), com 8,2%, seguido de JHC, com 1,7%, Cícero Almeida com 1,6% e Renan Filho com 1,4%. Dos entrevistados 69% disseram que não sabe em quem votar.

A pesquisa também avaliou a atual administração do município. Dos entrevistados, 59,2% aprovam a gestão do prefeito Rui Palmeira e 36% desaprovam.

Em outro cenário, sem a participação de Rodrigo Cunha, quem lidera é JHC.

Veja aqui a pesquisa na íntegra: Pesquisa Maceió Março 2019 

COMENTÁRIOS 0

Em convenção, MDB de Alagoas e mantém Renan Calheiros na presidência
     │     16:35  │  0

Em convenção, realizada nessa segunda-feira, 18, o MDB de Alagoas renovou o diretório e a Executiva estadual. A reunião aconteceu na sede do partido em Maceió.

O senador Renan Calheiros participou da convenção e foi mantido na presidência estadual por mais dois anos. o encontro também contou com a participação de dputados federais e estaduais, além de prefeitos, vices, ex-prefeitos, vereadores, dirigentes municipais e um grande número de filiados.

Também participaram o vice-governador Luciano Barbosa e o médico José Wanderley, ex-vice-governador do Estado na primeira gestão de Teotonio Vilela Filho (2007/2010).

A convenção serviu também para que fossem renovados os núcleos do MDB Mulher e do MDB Jovem em Alagoas, que continuam presididos pela prefeita de Mar Vermelho, Juliana Almeida e pela ex-prefeita de Piranhas e atual secretária estadual de Cultura, Mellina Freitas.

O MDB é o maior partido de Alagoas em número de prefeitos com 42 gestores, além do governador Renan Filho, senador Renan Calheiros, deputado federal Isnaldo Bulhões Júnior e os estaduais Ricardo Nezinho, Marcelo Beltrão, Jó Pereira, Olavo Calheiros, Galba Novais Júnior e Paulo Dantas, sendo a maior bancada do Legislativo estadual.

Senador Renan Calheiros participa da convenção estadual do MDB

(Com assessoria)

COMENTÁRIOS 0

Reviravolta: Marx Beltrão pode voltar ao Ministério do Turismo
   18 de março de 2019   │     18:34  │  1

A passagem de Ronaldo Lessa (PDT) pela secretaria de Agricultura do Estado pode ser mais curta do que se esperava.

Com bom trânsito no governo de Jair Bolsonaro (PSL), o deputado federal Marx Beltrão (PSD) ganha força para assumir o Ministério do Turismo numa eventual substituição do atual titular da Pasta, o também deputado federal Álvaro Antônio, envolvido em denúncias do uso de candidatas laranjas nas eleições de 2018.

Segundo a coluna Radar, da revista Veja, a possibilidade começou a ser ventilada após Álvaro Antônio não ter comparecido na quarta-feira (13) a uma reunião da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo para debater temas da hotelaria.

“Diversos deputados e representantes do trade turístico fizeram críticas veladas à falta de engajamento e imobilidade da pasta pela aprovação de medidas do setor… A frente, que tem Beltrão como vice-presidente, tem sido consultada na escolha dos comandantes do Turismo”.

O que muda

Marx Beltrão chegou a ter seu nome especulado para ocupar uma secretaria de Estado em Alagoas com o objetivo de abrir vaga para Ronaldo Lessa. O deputado, que segue sem indicar cargos no segundo governo de Renan Filho, agora poderá abrir esta vaga se for convidado para assumir o MTur.

Nacional

Ronaldo Lessa segue ocupando bem sua função na Agricultura, mas sem deixar de lado a política. Na última semana, após a posse, ele teve um encontro com líderes do setor produtivo rural para traçar as metas de atuação na Pasta.

Nesta segunda, o ex-governador participou em Brasília da convenção nacional do PDT. Foi reeleito como vice-presidente do Nordeste e como integrante do Conselho Político.

Ele segue trabalhando normalmente, como secretário. Mas se for convocado para assumir a vaga na Câmara dos Deputados, deverá aceitar a missão.

Versão oficial

Veja o texto da coluna Radar

Com crise no Turismo, nome de ex-ministro volta a ser cotado para a pasta

A crise instalada pelas denúncias de candidaturas laranja ligadas ao ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, tem estimulado entre deputados e lideranças ligados ao setor um movimento pela volta do ex-titular da pasta Marx Beltrão.

Essa possibilidade começou a ser ventilada após Álvaro Antônio não ter comparecido na quarta-feira (13) a uma reunião da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo para debater temas da hotelaria. Diversos deputados e representantes do trade turístico fizeram críticas veladas à falta de engajamento e imobilidade da pasta pela aprovação de medidas do setor.

Nos bastidores, a crítica era que o atual ministro não tem recebido parlamentares para audiências e apenas concentra seu esforço para continuar no cargo.

A frente, que tem Beltrão como vice-presidente, tem sido consultada na escolha dos comandantes do Turismo.

Leia aqui, na íntegra: Com crise no Turismo, nome de ex-ministro volta a ser cotado para a pasta

 

COMENTÁRIOS 1

Renan “defende” Bolsonaro: “dá-me alívio saber que o governo nada fez”
   17 de março de 2019   │     23:06  │  2

Se continuar do jeito que está o governo de Jair Bolsonaro (PSL) acaba em seis meses. A previsão não é de nenhum oposicionista, do “guru” do bolsonarismo, Olavo de Carvalho.

“Não sou capaz de prever [até onde vai] mas, se tudo continuar como está, já está mal. Não precisa mudar nada para ficar mal, é só continuar isso mais seis meses e acabou”, disse Olavo à Folha de São Paulo ao receber homenagem de Steve Bannon, ex-estrategista do presidente Donald Trump, nos Estados Unidos.

De volta ao ativismo nas redes sociais, o senador Renan Calheiros usou sua conta no Twitter para “defender” Bolsonaro das críticas de Olavo de Carvalho.

“Mesmo em situação inimaginável, defendo o governo da crítica do Olavo Carvalho. Embora concordando que o governo nada faz, não é justo criticá-lo por isso. Pior tivesse feito tudo que iria fazer. Dá-me alívio saber que o governo nada fez, e só agora promete sair da paralisia total”, disse Renan.

Veja a reportagem da Folha

Se governo continuar como está acaba em seis meses, diz Olavo de Carvalho

Diante de uma plateia de cerca de 100 fãs e representantes da direita americana, no Trump International Hotel, o guru do bolsonarismo, Olavo de Carvalho, afirmou que, até hoje, não sabe quais são as ideias políticas do presidente Jair Bolsonaro, mas que o apoia por ele ser “um homem honesto e não ser ladrão”.

“Eu não sei quais são as ideias políticas dele [Bolsonaro]. Conversei com ele quatro vezes na vida, porra”, afirmou a jornalistas. Na saída, Olavo mostrou-se pessimista com o futuro do Brasil e disse que, se o governo continuar como está por mais seis meses, acabou.”, afirmou.

“O presidente está de mãos amarradas. Não sou capaz de prever [até onde vai] mas, se tudo continuar como está, já está mal. Não precisa mudar nada para ficar mal, é só continuar isso mais seis meses e acabou”, disse.​​

Veja aqui a reportagem na íntegra: Se governo continuar como está acaba em seis meses, diz Olavo de Carvalho

 

COMENTÁRIOS 2

Fechamento de UPA agrava situação de Padre Eraldo em Delmiro Gouveia
     │     18:33  │  1

Um verdadeiro caos administrativo e financeiro teria tomado conta da prefeitura de Delmiro Gouveia, segundo diferentes relatos.

O atraso de pagamentos a prestadores de serviços e fornecedores, no entanto, nunca tinha atingido tão fortemente a população como agora com o fechamento da UPA do município (veja abaixo).

Em média, de acordo com relatórios oficiais do Instituto Diva Alves do Brasil (Idab), que fazia a gestão da UPA, a unidade realizava mais de 6,5 mil atendimentos por mês, atendendo mais de 4,5 mil pessoas. Na prática, eram mais de 200 atendimentos diários.

Com a prefeitura do município sob investigação de suspeita de fraude e corrupção pelo Ministério Público Estadual e com um desgaste que só tem aumentado em função dos problemas administrativos e financeiros, a sustentação política do prefeito de Delmiro Gouveia, Eraldo Cordeiro, conhecido como Padre Eraldo estaria comprometida.

“Mesmo com a distribuição de cargos entre os vereadores, a Câmara Municipal não terá como deixar de adotar medidas mais duras nos próximos dias”, explica um influente político delmirense.

Além disso, Eraldo também pode enfrentar uma eventual denúncia do MP/AL  sobre desvios de até R$ 20 milhões em licitações de compra de combustíveis e se locação de veículos. 

O procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça, que comandou pessoalmente a operação em Delmiro Gouveia nessa sexta-feira, 15, avalia as provas recolhidas a partir de mandato judicial. Tudo indica que a documentação será transformada em denúncia.

“Estamos ouvindo pessoas. Não tenho como aquilatar neste momento os elementos suficientes para denúncia. Mas as suspeitas estão se confirmando”, disse Gaspar através.

É cedo para imaginar que Eraldo terá o mesmo destino de Marcelo Lima e Cazuza, ex-prefeitos que foram cassados por improbidade administrativa, entre os anos de 2005 e 2008.

O atual prefeito, apesar do desgaste que enfrenta na opinião pública ainda tem maioria na Câmara de Vereadores. E poderá manter a base política desde que corrija os rumos de sua administração e se livre do processo no MP/AL. Mas essa é outra história.

Aviso comunica fechamento da UPA em Delmiro Gouveia. (Foto: reprodução)

Fechamento da UPA

Existem informações ainda não confirmadas de que a prefeitura de Delmiro Gouveia estaria montando uma operação de emergência para reabrir a UPA do município. A reabertura ocorreria com sob gestão direta do próprio município, mas nenhum comunicado oficial saiu até agora.

Nesse sábado, 16, o Instituto Diva Alves do Brasil (Idab) decidiu encerrar atividades na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de Delmiro Gouveia. A informação foi repassada através de nota à imprensa e de um comunicado na porta da unidade.

Os serviços foram suspensos por atrasos no pagamento. Em entrevista a uma rádio local, o prefeito Eraldo Cordeiro disse que precisaria cortar na “própria carne” para manter a UPA funcionando em Delmiro Gouveia.

“A população vai ter que entender. Vamos precisar enxugar mais, para que possamos manter a unidade. Só do município, são quase R$ 190 mil por mês. E precisamos tirar isso da própria carne, tendo em vista a importância da UPA”, explicou.

O aviso

Quem precisou da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Delmiro Gouveia, no sábado encontrou as portas fechadas e um aviso comunicando a sua desativação -UPA FECHADA, DIRIGIR-SE AO HOSPITAL UMEAS (Hospital Antenor Serpa)”.

O Instituto Diva Alves do Brasil (Idab) o contrato de administração encerrou, e a empresa não é mais responsável pela unidade. No dia 23 de fevereiro deste ano 80 funcionários da UPA de Delmiro Gouveia assinaram o aviso prévio. O clima na unidade ficou tenso e apenas as alas vermelha e amarela estavam funcionando.

Quanto custa um atendimento na UPA?

A manutenção de uma UPA, pela regra, é feita pelo governo federal, que custeia 50% da unidade através do Ministério da Saúde, pelo governo do Estado, que custeia 25% através da Secretaria de Saúde e pelo município (podendo ser municípios, incluindo cidades próximas dependendo do tipo de UPA) que entra com os outros 25%.

No caso de Delmiro Gouveia, o que Eraldo informa são gastos mensais de R$ 190 mil com a UPA. É só multiplicar por 4 (chegaríamos a R$ 760 mil) para entender que o fechamento da UPA é um péssimo negócio para a cidade.  Ou seja, para cada real investido, a prefeitura recebe outros três.

Sem a UPA, esse dinheiro deixa de circular na economia da região e vai movimentar a economia de outras cidades onde parte desses pacientes poderá ser atendidos.

Se levando em conta apenas o que a prefeitura paga, cada atendimento custa ao município (considerando a média de 6,5 mil atendimentos e o custo de R$ 190 mil) R$ 29,2. Sai bem mais barato para a prefeitura do que pagar o transporte de ida e volta do mesmo paciente para Maceió ou mesmo Arapiraca.

Veja aqui os relatórios de atendimentos da UPA em Delmiro Gouveia: Relatórios de Atividades UPADG

COMENTÁRIOS 1