Quantos homens tem a PM de Alagoas? Nas ruas, menos de 2 mil
   4 de junho de 2012   │     15:31  │  4

É difícil chegar a um número exato. Mas há quem garanta que hoje a PM tem um efetivo de 7,8 mil homens. Isso no papel. Desse total pelo menos 450 policiais estão nos “gabinetes”, servindo ao governador, deputados, juízes etc etc etc.

Considerando o número de licenças e dos servidores que trabalham na área burocrática, o que é possível colocar nas ruas, no patrulhamento ostensivo, a cada turno, não passa dos dois mil homens.

Eu conversei com o tenente-coronel Maxwel que confirmou essa informação. Isso porque a PM trabalha por turnos. Tem casos em que o servidor dá um plantão de 24 horas e folga 48 horas. Existe também a escala de 12 por 36. E por aí vai.

Também tentei falar com o coronel Luciano Santos. Ele estava em reunião. Seus assessores ouviram esses números e disseram que eles estavam dentro da realidade. Na prática mesmo, dependendo do dia e do horário, a média de homens nas ruas, nos horários de pico fica entre 1,5 e 2 mil.

Claro – é bom frisar – que esse pessoal está distribuído em diversas modalidades de policiamento: motorizado, embarcado, montado, aéreo, etc etc.

Na prática – Alagoas tem 3,3 milhões de habitantes – temos um policial militar para cada grupo de 1,65 mil a 2,2 mil pessoas. Será o suficiente?

Téo Vilela vai de novo a Brasília

Acompanhado do secretário de Defesa Social, Dário, César, Téo Vilela, participa agora a tarde de novas rodadas de reuniões no Ministério da Justiça, em Brasília.

Serão reuniões de ajuste, para se tentar fazer o que foi prometido há mais de um ano: reforçar o policiamento nas ruas e reduzir a criminalidade.

COMENTÁRIOS
4

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Briosa em Foco

    Nobre repórter, caso queira números exatos, tanto do efetivo, como a distribuição por unidades, e de igual modo o de policiais afastados por motivo de doença, entre em contato com a Assessoria do Briosa em Foco. De antemão lhe informamos que existem entre 400 a 600 policiais de LTS (licença), dos quais metade está para se aposentada por decorrência dessas licenças. No mais, em relação à informação prestada pelo TC Louvercy, o quantitativo de policiais que ele informou por turmar (concursos públicos) está errado. No concurso de 1988 entraram menos pessoas que o previsto no edital, o que se repetiu em 2002, onde foram abertas mil vagas, mas somente 564 policiais foram para o curso de formação (tudo isso com publicação em Diário Oficial do Estado), pergunte a ele informando as publicações no DO.

    Estamos em “QAP” (na escuta, esperando, aguardando..), para o seu contato.

    Assessoria Briosa em Foco

  2. Roberto Mendes

    Não posso aceitar que policiais treinados para combater a criminalidade estejam trabalhando como vigilantes de prédios públicos, carregando pastas de deputados, promotores, magistrados, entre outras funções que não são para policiais exercerem. A sociedade civil organizadamente precisa ir às ruas pedir o fim dos gabinetes militares e o aumento de policiais no policiamento ostensivo, com a realização de blitzes constantes nas ruas da capital e das cidades do interior do Estado. O judiciário (TJ e MP), o legislativo (Assembléia e Câmaras de Vereadores), o executivo (Governos Estadual e Municipais) e o Tribunal de Contas devem ter sua própria policia, nunca desviar o policial militar e civil das suas funções de proteger a sociedade, que paga seus salários.

  3. M. santos

    Infelizmente esse é o resultado de um governo que não tem responsabilidade com os alagoanos, vemos os índices da violência subindo todos os dias, e nada é feito para combater esse mal que parece não ter fim, o que vemos são propagandas mentirosas que se Gastão rios de dinheiro para falar uma inverdade. Existe uma ação civil publica do PME pedindo ao judiciário que determine a nomeação dos aprovados no último concurso que são 992 justamente por esse índice alarmante na violência e o baixo efetivo que se encontra nos quadros da PMAL são mais de 7000 mil cargos vagos no quadro de soldado combatente. Essa ação nunca foi comentada pelo governo porque ele não tem interesse na mesma e nem em aumenta o efetivo da PM, quando a coisa aperta aí sim é que se falar em concurso, mas sabemos que para fazer um concurso leva tempo, e depois ainda tem a academia que vai prepara os novos combatente, que são de 6 a 8 meses afinal quando vamos ter uma melhora de verdade. Quando as pessoas começarem a escolher melhor os seus políticos.

  4. Paulo Mendes

    A solução é simples: Se acabassem com a pirotecnia de 15 toneladas de eqptos; de locação de veículos pelo estado;do pgto absurdo de diárias em todos as secretarias; com a demissão mais de 800 contratados do sistema penitenciário, sem dar um dia de serviço; com a suspensão do caríssimo aluguel dos helicópteros; e com a diminuição de 50 por cento do custo da verba da reforma emergencial das escolas, teríamos uma redução de custo considerável do custo da máquina para contratar mais policiais para colocá-los nas ruas. Paralelamente, escola, escola, escola, só que funcionando, menos, da forma que se encontra, sem um dia de aula até hoje, 04 de junho. Pasmem, 04 de junho. Então, é só continuar assim e ver se as coisas melhoram sózinhas,para assistirmos mais vidas sendo ceifadas pela absoluta incopetência do governador e seus secretários.

Comments are closed.