Téo Vilela vai a Brasília para apresentação do Plano de Segurança à bancada federal no Ministério da Justiça
   12 de junho de 2012   │     16:47  │  5

O governador volta a Brasília, nesta quarta, para mais uma rodada de reuniões no Ministério da Justiça. Vai acompanhado de representantes de outros poderes que conhecerão detalhes do Plano Nacional de Segurança que deverá usar Alagoas como “laboratório”.

O lançamento, prometido pelo ministro José Eduardo Cardozo há mais de um ano deve ficar mesmo para o próximo dia 26, em Maceió.

A novidade é que além de reuniões de trabalho nesta quarta, na quinta, às 11h o Plano Nacional de Segurança será apresentado ao governador, seus auxiliares, demais chefes de poderes do Estado (TJ, MP etc) e a toda a bancada federal.

Hoje Téo Vilela ligou para todos os deputados e senadores para convidar para a apresentação do plano. “Será apresentado todo o plano, exceto alguns detalhes operacionais, que ficarão apenas no conhecimento da SDS”, explica um secretário do governador.

Perillo, o PSDB, a polícia de Goiás e a nossa

Acompanhei hoje pela manhã o depoimento do governador de Goiás na CPMI do Cachoeira. Tucano como Téo Vilela, ele enfrentou com certa tranquilidade a sabatina, negando relações com o bicheiro.

Quem ouviu Marconi Perillo deve ter percebido que ele se referiu várias vezes a polícia do seu Estado: “Tenho orgulho da nossa polícia”, repetiu. Nas entrelinhas revelou que são 12 mil homens na PM e 3 mil na Polícia Civil.

Esse efetivo de 15 mil homens para tomar conta de um Estado com 6 milhões de habitantes e 340 mil km2. O dobro da população e um território 12 vezes maior que o nosso. E ainda assim, repetia Perillo, a criminalidade está sob controle e caindo em Goiás. Ele aproveitou para anunciar o “fechamento” das fronteiras, para enfrentar o tráfico e o contrabando de armas.

O fato é que em 2010 (http://mapadaviolencia.org.br) a taxa de homicídios em Goiás recuou para 29,4 homicídios em 100 mil habitantes, enquanto a de Alagoas chegou ao recorde de 66,8 homicídios por 100 mil habitantes.

Os números reforçam a tese que o problema não é apenas do efetivo policial. Em 2007 (Ministério da Justiça) Alagoas tinha um policial por cada 263 habitantes e Goiás 1 para 315. Pernambuco que conseguiu reduzir a taxa de homicídios de 58,7 em 2001 para 38,8 em 2010 tem um efetivo proporcionalmente menor: 1 para 345.

O plano nacional de segurança que será conhecido essa semana pode mudar essa realidade e, quem sabe, proporcionar um modelo que acabe de vez com o tal “corpo mole” que predomina nas nossas polícias.

No paralelo, é claro, o governo vai precisar fazer o dever de casa. Fazer concurso, rever o Plano de Cargos e Salários, etc etc etc.

COMENTÁRIOS
5

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Amigo do Povo

    Com todo respeito,será que o Gov levou os acessores do atual Secretário os Srs. Mula sem cabeça, saci perere, uiara e o boto ? Estes Phds da segurança tem ajudado e em muito na elaboração dos planos da secretaria de defesa social. É bem provavel que se comprem novas foices para entregar solenemente aos novos recrutas da PM. Quer dizer que vão atuar nos bolsões de miseria do entorno de Maceio, na placenta da violencia ? Estas mesmas áreas de exclusão e que alimentaram durante anos a violencia no RJ e agora na Bahia. Sem saude básica, saneamento básico, geração de empregos e escolas, não há a mínima condição de se enfrentar a situação. Desculpem mas nã há como comparar Goiais com AL. e ver para crer , espero que não seja mais um vergonhoso plano que irá por agua abaixo, devido a incapacidade profissional dos gestores.

  2. karla

    ESSE GOVERNO TÉO MALANDREZA ESTA FADADO AO FRACASSO EM TODAS AS AREAS DE ATUAÇÃO OU SEJA(SEG.PUBLICA,EDUCAÇÃO,SAÚDE,INFRAESTRUTURA ETC,ETC)NÃO TEM EQUIPE DE AUXILIARES COMPETENTES,CAPAZES DE PLANEJAR QUALQUER AÇÃO EM FAVOR DO POVO ALAGOANO.AGORA GASTA RIOS DE DINHEIRO COM PROPAGANDA ENGANOSA.BASTA COMPARAR OS ÍNDICES APRESENTADOS PELOS ESTADOS E VEREMOS A VERDADEIRA FACE DA DESGRAÇA QUE A SOCIEDADE ALAGOANA ESTÁ PASSANDO COM ESSE FALASTRÃO NO GOVERNO.TEMOS QUE ESPERAR PELA BENEVOLÊNCIA DA DILMA E PEDIR QUE SEJA FEITO PELO MENOS UMA INTERVENÇÃO NA SEG.PÚBLICA,COM A SUBISTITUIÇÃO DESTES MAL GESTORES POR TÉCNICOS (indicados pelo Ministério da Justiça) ABALIZADOS NO SETOR,PARA PODERMOS RESPIRAR UM POUCO DA SENSAÇÃO DE SEGURANÇA,ISTO TAMBÉM PASSA PELA OBRIGAÇÃO DO GOVERNO FAZER SEU DEVER DE CASA OU SEJA INCREMENTA O EFETIVO DO APARATO POLICIAL,PAGAR MELHORES SALARIOS,CRIAR LEI QUE INCENTIVE POR MAIS TEMPO A PERMANENCIA DO POLICIAL,ETC,ETC.MAIS VAMOS VIVER PARA VER. .

  3. POLICIAL CIVIL PREOCUPADO

    Será que o Governador vai apresentar melhorias salariais para os Agentes de Polícia Civil? Os Delegados fecharam há pouco tempo mais um excelente acordo salarial! Será que o Governador sabe do trabalho do Agente de Polícia Civil, das condições das Delegacias, do superfaturamento nas reformas das mesmas,dos milhares de Inquéritos Policiais parados, das fugas de presos, da falta de pessoal para investigar… Será que esse cara só vai parar de brincar com a vida alheia quando terminar seu mandato?

  4. Florisvaldo

    É um erro insano comparar essa questão de efetivo policial com o número de habitantes. Há certos locais em que a proporção policial deve ser muito maior por conta das “áreas de riscos”. A falta de efetivo policial fica evidente nas escalas desumanas dos soldados.
    Cada Estado tem sua particularidade. Em Alagoas é impossível dizer que a falta de efetivo policial não contribui com a criminalidade.
    Vale lembrar: o que gera a violência é a pobreza.

Comments are closed.