O que os senadores de Alagoas pensam sobre o Plano de Segurança?
   15 de junho de 2012   │     2:25  │  2

Benedito de Lira, do PP. É, dos três senadores de Alagoas talvez o mais animado com o Plano Nacional de Segurança. “É um plano muito bom”, resume. Mas ainda assim, ele emenda: “só vou acreditar quando as coisas começarem a acontecer”. Ou seja, Biu não quer conversa, quer ação: “quero ver o plano na prática”, aponta.

Euclides Mello representou o senador Fernando Collor, do PTB, na reunião de apresentação do Plano no Ministério da Justiça, ontem em Brasília. Ele também gostou do plano. “É bom”, diz. O gargalo, em sua opinião, é justamente a capacidade do Estado de executá-lo. “Só a Força Nacional (que terá um efetivo de 100 homens dias no Estado a partir do próximo dia 26) não resolve. Vamos precisar que a nossa polícia seja motivada, que o policiamento seja reforçado. Vamos torcer para que o governo do Estado consiga fazer sua parte”, resume.

Renan Calheiros, do PMDB, tem uma opinião não muito diferente. Ele apoia o plano de segurança e vai trabalhar para que ele dê certo. Mas na reunião do Ministério da Justiça defendeu o aumento do efetivo da PM para 12 mil homens e o da Polícia Civil para 3 mil. “Sem reforço no efetivo policial o estado terá dificuldades em reduzir a criminalidade”, enfatiza.

Exército não

Um detalhe: na reunião de apresentação do Plano de Segurança o deputado federal Givaldo Carimbão, do PSB, defendeu o uso das tropas federais no combate a violência em Alagoas. A sugestão foi recusada pelo ministro José Eduardo Cardoso.

Comunicação sim

A Secom terá papel destacado na execução do Plano. O secretário Rui França participou de várias reuniões de trabalho em Brasília com assessores da presidência da república e do Ministério da Justiça. Ele vai coordenar as ações de comunicação no Estado, tanto na mídia espontânea quanto na comercial.

O objetivo é ganhar o apoio da imprensa e da população, que passariam a ser corresponsáveis pelo sucesso do plano. Rui já começou a trabalhar e deve aprovar já na próxima  semana toda a estratégia de comunicação. Mas os detalhes, avisa, só a partir do próximo dia 26.

Poderes

Quem também deve ter papel destacado no plano de segurança é o secretário Álvaro Machado, do Gabinete Civil. Bem articulado com os outros poderes, ele vai ficar encarregado de acompanhar as ações do Tribunal de Justiça, Ministério Público e Defensoria Pública que terão um papel fundamental para que o plano tenha sucesso, passando pelo julgamento de processos criminais ao encaminhamento de inquéritos que hoje “dormem” nas gavetas de delegacias ou tribunais.

 

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. FRED

    POR FAVOR FALEM DESSE PLANO, PLANO TEO EM SEU PRIMEIRO MANDATO TINA UM PLANO: – COLOCAR MIL POLICIAS NAS RUAS, É TEO O SENHOR COLOCOU, VAMOS REVE AS PROMESSAS DE TEO EM 2006 APOIADO POR……………. RONALDO LESSA, E QUE ELE SERIA A REDENNÇÃO DO NOSSO ESTADO. É TEO POR FAVOR MIM FAÇA UMA . UMA PROMESSA DE RONALDO NUNCA FOI CUMPRIDA: – AS ISONOMIA DOS POLICIAIS CIVIS, É RONALDO PROMETEU E NUNCA CUMPRIU. TEO É SUA GRANDE OPORTUNIDADE DE CUMPRIR. VOÇE AGOR TEM OPORTUNIDADE DE DIZER VOÇE PROMETEU E NÃO CUMPRIU.

  2. Amigo do Povo

    Um plano que não inclua ação social, melhoria na educação e melhoria na saúde e ainda emprego não dará certo, não adianta apenas monitorar e colocar policiais mal treinado de uma policia que não tem inteligência e não tem técnica. Melhora é somente aonde passa o Rei. Na periferia e nos bolsões de miseria a gestação de criminosos continuará. E como dia o Bill, ver para crer.

Comments are closed.