O estaleiro Eisa, a licença do Ibama e a indústria naval em Alagoas
   19 de junho de 2012   │     2:51  │  2

João Caldas tomou, enfim, posse no mandato de deputado federal. A vaga foi aberta por Rui Palmeira, candidato a prefeito de Maceió pelo PSDB, que tirou licença de 120 dias.

O deputado tucano parecia com saudades do microfone. Mal terminou o juramento,  pediu para falar. E falou sobre um dos seus temas preferidos – o Estaleior de Coruripe. Como se sabe foi ele, Caldas, quem apresentou German Efromovich, o dono do grupo Synergy e controlador do Eisa, a Téo Vilela.

Desde então essa história tem dado o que falar. E o assunto não se esgota. Ontem mesmo o deputado aproveitou para pedir nos microfones que o Ibama libere logo a licença ambiental para a construção do estaleiro e seus “dez mil empregos”.

Você pode até ficar se perguntando porque o estaleiro não veio até agora, se um dia virá ou se tem alguém jogando “contra”. Pode até ter. Mas não em Alagoas.

É como a história do plano de segurança. Todos torcem a favor. Menos quem é bandido. Mas daí a não ter direito a uma opinião crítica é outra história.

O fato é que agora, com o “microfone na mão”, Caldas promete fazer barulho e acelerar o processo de licenciamento ambiental. Bem relacionado em Brasília, com fama de furão e muito persistente, ele deve conseguir algum sucesso.

Mais uma indústria no porto    

Ontem o governador lançou a pedra fundamental para construção da Jaraguá Naval no Porto de Maceió. Eu contei essa história em primeira mão na coluna Mercado Alagoas. Agora, anote aí. Uma outra empresa, a DTA Engenharia, vai anunciar nos próximos dias um empreendimento ainda maior no Porto de Maceió. Amanhã eu conto mais detalhes na Gazeta de Alagoas e aqui no blog.

Veja trecho da reportagem da Agência Alagoas sobre a implantação da Jaraguá no Porto:

 A empresa vai ser implantada no Porto de Jaraguá em uma área que compreende 26 mil m². Em obras de infraestrutura e na aquisição de materiais serão investidos recursos da ordem de R$ 15 milhões nos próximos 12 meses, prazo com que a Jaraguá Equipamentos trabalha para a implantação da nova unidade. Com o início das operações, a empresa vai gerar cerca de 250 empregos diretos em Alagoas.

Se preferir, a notícia do evento está no link abaixo.

http://www.agenciaalagoas.al.gov.br/noticias/jaragua-equipamentos-lanca-pedra-fundamental-de-industria-no-porto-de-maceio-1

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

Comments are closed.