Um mega “espetáculo” no lançamento do plano de segurança
   24 de junho de 2012   │     15:11  │  4

O dia 27 de junho pode entrar na história da segurança pública de Alagoas. Destruição de armas, entrevista coletiva, uma forte mobilização da mídia e muitos discursos. Tudo isso num teatro de mais de mil lugares – o Gustavo Leite, no Centro de Convenções.

O “espetáculo” terá ainda direito a visita a uma base comunitária e ação social no Jacintinho.

No palco, o ministro da Justiça e o governador serão protagonistas de uma história que começou a ser reescrita com a morte de Alfredo Vasco, no dia 26 de maio.

O Plano Nacional de Segurança, o Brasil Mais Seguro, será lançado exatamente um mês depois do enterro do médico – um drama que comoveu a classe média alagoana e pressionou o governo a agir, 5 anos e meio e milhares de homicídios depois.

Desde o dia 31 de maio Téo Vilela e José Eduardo Cardozo se encontraram várias vezes em Brasília. Nesse meio tempo, o governo foi envolvendo outros poderes no processo, a mídia e figuras representativas da sociedade. O enredo ganhou novos personagens. E o “espetáculo”, agora na fase a tecnologia de ponta, terá – dizem – “patrocínio” digno de transformar a ficção do CSI em realidade na polícia alagoana.

Logo teremos os pontos críticos de Maceió vigiados 24h por um sistema de videomonitoramento, os policiais abordarão os cidadãos de tablets na mão e os peritos andarão com maletas superequipadas – assim como nos seriados da TV americana, capazes de ajudar a desvendar os crimes mais escabrosos. Ficção ou realidade?

Do teatro para a vida real, a segurança de Alagoas pode realmente se transformar em um sistema eficiente, que traga como resultados a redução da criminalidade no Estado. É isso que todos nós queremos.

Claro que será preciso combinar tudo isso com os “atores” da vida real (ou serão figurantes?): os policiais que serão chamados a executar o plano podem não querer entrar em cena sem um “cachê” extra.

As reclamações dos profissionais do setor – civis e militares – vão desde os salários baixos, a falta de liderança, de motivação e de condições de trabalho. Isso para não falar de IML, médicos legistas etc etc etc.

É difícil imaginar que essa “peça” terá final feliz sem que essas e outras questões sejam resolvidas.

As famílias que deixam os filhos entrar no mundo das drogas, o cidadão que vê benefícios em comprar um objeto roubado, a pessoa que sabe onde se esconde um criminoso e faz vistas grossas, os servidores públicos que fazem corpo mole ou se corrompem e a maioria da população que assiste tudo isso passivamente…

Esses são apenas alguns complicadores que precisam ser incluídos nesse enredo digno dos sonhos de todos os alagoanos que vivem hoje o pesadelo da violência.

Para reverter os altos índices da criminalidade cada um deve fazer sua parte. E o cidadão que vai as ruas ou usa as redes sociais para cobrar uma ação mais efetiva do governo deve deixar de ser um mero espectador para se transformar em protagonista desse drama real.

COMENTÁRIOS
4

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. JONICLEITON

    Realmente o espetáculo que o governo pretende mostrar ao povo apartir do dia 27/06. tem o mesmo destino do Teatro Deodoro, eletrocultando os servidores e passando por reformas de dez anos. É um paralelo do nosso governo do Estado.
    As escolasestaduias estão em ruínas, a saúde mata mais que salva e agora para fechar com chave de ouro o IML FALIU.
    Pois é, os alagoanos não tem o direito de nascer, pois a Maternidade Santa Mônica está detiorada, o alagoano não pode mais viver, pois os bandidos andam livres matando os pais de familia e agora o alagoano não pode mais morrer por que o IML fechou. É ou não é uma tragicomédia?
    Será que o Cachoeira passou por Alagoas?

  2. FRED

    É TEO , AGORA É A SUA VEZ, VAMOS DEIXAR O BLÁ, BLA E TRABALHAR PARA DIMINUIR OS INDICES DE VIOLÊNCIA. NÃO VAMOS TER AQUELAS VELHAS DISCULPAS.

  3. FRED

    ESSE SENHOR EDUARDO CARDOZO, VEIO NO ANO PASSADO PROMETEUM *COLOQUIO*, NÃO ESQUEÇAM ESSA PALAVRA, POIS DENTRO DE UM ANO ELE NADA TROUXE DE POSITIVO. E AGORA, APÓS A MORTE DE UM MEDICO(CLASSE ALTA), VEM PROPOSTAS OU PROMESSAS. É GENTE VAMOS ACABAR COM ESSES ALTOS ÍNDECES DE VIOLÊNCIA, POIS PARA QUEM NÃO SABEM TEO O NOSSO GOVERNADOR JÁ FOI DUAS VEZES SENADOR DA REPUBLICA E ELE NUNCA, MAIS NUNCA MESMO TEVE PROJETO PARA SEGURANÇA DE NOSSO ESTADO.

Comments are closed.