Alves Correia resiste a pressão do governo e mantém candidatura em Arapiraca
   6 de julho de 2012   │     14:16  │  1

Acabei de falar com Alves Correia. “Homi, a pressão é tão grande que não tou nem dormindo direito”, me contou.

Liguei para saber se ele iria retirar a candidatura. Alves disputa a prefeitura da segunda maior cidade do Estado pelo PTdoB, tendo como vice Barbosinha, um líder comunitário de Arapiraca.

“Só Deus me faz retirar essa candidatura agora”, disse.

Alves confirma que existe sim o diálogo de interlocutores do governo para tentar demovê-lo da disputa. E confessa que o problema só existiu porque os outros candidatos ligados a base de Téo Vilela não cumpriram o acordo.

“O acerto feito entre os três (ele, Rogério Teófilo e Ricardo Barreto) era que  quem estivesse melhor nas pesquisas seria o candidato. O acordo não foi cumprido. E o pior, me deixaram fora da coligação. Agora tão me pressionando e a pressão é muito forte, mas não vou desistir”.

As pesquisas

Todas as pesquisas feitas pelo grupo de Célia Rocha (que lidera a disputa, com grande vantagem) e do governo mostram Alves Correia em segundo lugar com pelo menos 50% mais pontos do que Rogério Teófilo, que está em terceiro.

Entre as alternativas oferecidas ao candidato está a possibilidade de ele assumir uma vaga na Assembleia Legislativa. Afinal,  Alves Correia é primeiro suplente numa coligação com oito deputados.

Amigos do radialista dizem que ele ficou tentado com a proposta. O problema é que demoraram muito a apresentá-la e também não existem garantias de que ele continuará no mandato depois das eleições.

Encurtando o caminho

A pressão sobre Alves Correia tem uma lógica. Seria a maneira mais rápida de garantir que o candidato a prefeito da base do governo assumisse mais rapidamente a segunda colocação, facilitando uma polarização com Célia Rocha.

Mantida a candidatura do radialista, a parada não será fácil para Teófilo. Com forte penetração popular, linguagem fácil, Alves já trabalha para polarizar com Célia Rocha em cima de pontos que ele considera fracos na candidata. É o fato da “vaga” de federal que será deixada em Brasília e o “continuísmo” entre ela e Luciano Barbosa.

“Vou pra ruas com o meu povão, sozinho e Deus”, disse.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. NÃO ABRA!

    alves, voce n;ao é palhaço e tampouco, OTÁRIO’, não faça graça para os incentivadores do téofilo, candidato sem qualquer possibilidade de vitória,Siga em frente e enfrente a célia no peito e na raça. teófilo e o governo nunca prometem nada para cumprirem.

Comments are closed.