A SDS e as “câmeras de R$ 123 mil” do sistema de videomonitoramento
   12 de julho de 2012   │     16:37  │  0

A Agência Alagoas (site oficial do governo estadual) mantém  como sua principal notícia, desde as 13h de ontem até agora, a notícia sobre a contratação de câmeras que serão usadas para monitorar pontos estratégicos da cidade.

O texto despertou minha atenção pelos números: serão 77 câmeras espalhadas pela cidade durante o período de 40 meses. O custo desse negócio, fechado numa concorrência simplificada com sete empresas? R$ 9,5 milhões, segundo o texto.

É só fazer as contas: cada câmara sairá, se esses números estiverem corretos por R$ 123,3 mil. Achei um exagero. Por isso, desde ontem, tentei contato com o secretário Dário César. Afinal, esse serviço que deve funcionar dentro de quatro meses será estratégico, segundo a SDS para o sucesso do Brasil Mais Seguro e para a prevenção da criminalidade em Maceió.

Sem resposta, fui procurar mais detalhes com o Detran, afinal este será o órgão que pagará  mais essa conta (além dos recursos já gastos com a duplicação da AL 101 sul).

Conversei com Lúcio de Melo e ele deu um pouco mais de detalhes. Na verdade o contrato fechado é um pouco mais complexo. Serão 110 km de uma rede de fibra ótica para interligar essas câmeras. Além disso o consórcio vai garantir a estrutura para a ampliação do serviço com até 250  câmeras.

Cada câmera saiu, na verdade por R$ 3,5 mil. Mais barato por exemplo do que sua caixa de proteção, que custou cerca de R$ 5 mil (isso porque o material seria especial, para resistir a sol, chuva etc).

O serviço ainda incluiria os softwares para operação do sistema e uma sala de controle, que será montada e operada pelo pessoal do próprio consórcio. Ou seja, a empresa contratada é quem vai operar o videomonitoramento, com seu pessoal, sob a coordenação de um agente policial.

E o Detran, o que tem a ver com isso? Na verdade esse projeto já é antigo e seria bancado pelo órgão de qualquer maneira. O que a atual diretoria conseguiu fazer foi “unir o útil ao agradável” ao incluir 16 câmeras fixas que vão monitorar as principais entradas e saídas de Maceió (AL 101 Norte, AL 101 Sul  e Polícia Rodoviária Federal, no Tabuleiro), além de 2 câmeras móveis.

“Esses equipamentos vão identificar os veículos e verificar se a situação  está legal ou não A partir daí a polícia será orientada a agir, podendo resolver casos de furto, roubo ou mesmo de débitos fiscais com o Estado”, explicou.

Depois todo esse material ficaria ser administrado pelo estado. Ainda assim e com todas essas explicações, continuo na dúvida sobre o valor desse serviço. O que você acha? O preço é justo?

Lúcio me disse que sim: “em dois anos esse investimento vai se pagar”.

O texto da Agência

Deixo o link como texto da Agência Alagoas para conhecimento:

http://www.agenciaalagoas.al.gov.br/noticias/governo-contrata-empresa-para-videomonitoramento