Mais de 60 candidatos a prefeitos de Alagoas “esquecem” de declarar bens ao TSE
   28 de julho de 2012   │     4:35  │  0

Todo e qualquer candidato é obrigado a apresentar a declaração de bens para ter o registro deferido pela Justiça Eleitoral (Lei Nº 9.504, de setembro de 1997).

É isso que reza a lei. Mas, “surpresa”, fechei levantamento com dados do TSE atualizados até ontem a noite. Do total de 304 candidatos a prefeito em Alagoas, 62 ou 20% “esqueceram” de entregar no ato de registro suas declarações de bens.

Será um caso de amnésia coletiva?

Claro que pode ter sido uma falha, um descuido grosseiro. Também pode ser uma manobra para evitar uma maior exposição nos primeiros dias após o registro de candidaturas.

Como prometido na coluna Mercado Alagoas eu vou divulgar aqui no blog a lista completa com os bens de cada candidato a prefeito e a vice e quanto eles pretendem gastar nas eleições.

Vou começar com os senhores e senhoras que “esqueceram” de fazer a declaração de bens. Mas é bom registrar que quem não declara no ano da entrega do pedido de registro fica inadimplente com a Justiça Eleitoral.

Em Maceió três candidatos a prefeito (Alexandre Fleming, Ronaldo Lessa e Sérgio Cabral) não apresentaram da declaração de bens no ato do pedido de registro. Alguns candidatos já corrigiram o problema – é o caso de Ronaldo Lessa que apresentou, sua declaração, através de seus advogados – mas os dados ainda não aparecem no sistema do TSE.

Eu preparei uma tabela para facilitar sua consulta. A lista completa de candidatos a prefeiton não declararam os bens você pode acessar no link a seguir:

http://edivaldojunior.blogsdagazetaweb.com/wp-content/uploads/sites/12/2012/07/lista-bens.pdf

Me engana que eu gosto

Parece piada, mas tem candidato que tenta esconder os bens que possui omitindo posses ou baixando deliberadamente o seu valor de mercado.

Imagina lotes ma praia de R$ 5 mil, fazendas R$ 40 mil ou apartamentos em Maceió de R$ 25 mil?  Nem é possível imaginar. Com esses valores não dá sequer para comprar um apartamento quarto e sala num bairro popular

Na hora de pedir o voto, muitos candidatos preferem fazer de conta que são pobres, humildes até, embora costumem morar em mansões e andar em carrões. Tem gente andando em carros que custam R$ 200 mil e declaram bens de R$ 50 mil ou R$ 100 mil.

Será bom para o eleitor comparar e ver quem mente mais – ou melhor.

Recomendo que você faça sua pesquisa na página do TSE e procure lá o nome do candidato da sua cidade. É só clicar no link detalhes que você terá acesso as principais informações dele ou dela.  (http://www.tse.jus.br/eleicoes/estatisticas/estatisticas-eleicoes-2012)