Prefeitura ignora greve de ônibus em Maceió e o trabalhador se vira como pode
   30 de julho de 2012   │     16:09  │  3

Seria cômico, não fosse trágico. Maceió acordou hoje sem ônibus numa greve de advertência marcada ás pressas, após decisão de anulação, pela Justiça, do aumento da passagem de R$ 2,10 para R$ 2,30.

Tudo bem que a Justiça agiu em “defesa” do cidadão.  Mas naturalmente que ninguém, nem a justiça nem a prefeitura, que são conta o aumento, se preocupou com os trabalhadores, estudantes e cidadãos e Maceió que amanheceram hoje, sem transportes.

É claro que os rodoviários e os donos das empresas de transportes demonstraram completo desrespeito com o maceioense.

A greve pode até não ter sido combinada entre patrões e empregados, mas parece agradar aos dois lados da mesma moeda.

Até porque a greve contra o patrão seria rodar com os ônibus deixando a catraca livre. O prejuízo seria muito maior para a empresa de transporte,

Deixar mais de 300 mil pessoas sem transportes públicos pode ser uma maneira eficaz de força a Justiça e a prefeitura da dar o aumento da passagem. Até porque a suspensão do reajuste foi  o estopim dessa greve (após a decisão da  Justiça as empresas disseram que não teriam mais como dar o reajuste prometido).

Quem conseguiu carona deu sorte. Mas a maioria dos trabalhadores teve que pagar cerca de R$ 8 num táxi lotação para chegar ao trabalho. Quem precisou pegar transporte do Tabuleiro para o Centro teve de desembolsar até R$ 15.

Resta saber se prefeitura, Justiça, rodoviários e empresas de transportes estão preocupados com os prejuízos e os problemas enfrentados pelo cidadão de Maceió.

Tô nem aí

Vasculhei os sites em busca de uma posição, de alguma medida, do prefeito Cícero Almeida ou pelo menos de um dos seus secretários. Não encontrei nada. Notícia da greve por enquanto só com a repercussão da posição dos rodoviários o drama enfrentado pela população.

A prefeitura que é a dona das concessões e a responsável pelos serviços públicos fez ouvido de mercador. Até parece que não tem nada a ver com o problema.

E, o que é pior: nesta segunda foi apenas uma “greve de advertência”. A partir de amanhã os rodoviários farão greve por tempo indeterminado. E pelo que vimos hoje, eles não terão dificuldades em retirar 100% dos ônibus de circulação.

O sindicato das empresas se limitou, até agora, pelo menos, a emitir uma nota sobre a greve.
A seguir, reproduzo um trecho do documento:

http://edivaldojunior.blogsdagazetaweb.com/wp-content/uploads/sites/12/2012/07/Nota-do-SINTURB.pdf

 

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. jorge silva

    EXISTE HÁ ANOS ESTE CARTEL DE EMPRESAS DE ONIBUS EM NOSSA CIDADE. CADE A LICITAÇÃO, PARA ACABAR COM ESSA BANDIDAGEM.ENQUANTO ISSO O POVO, HÁ O POVO……

  2. maria lucia de santana barros

    O pior desta grave é que os onibus complementares se aproveitam e cobram preços absurdos que variam de cinco reais a 15 reais para ir ao centro,neste momento me pergunto kde a ARSAL que não fiscaliza esse absurdo,aqui mesmo a toda hora fiscaliza e proibe sem + nem -.

Comments are closed.