Martelo batido: Maceió terá estaleiro com 2,3 mil empregos a partir deste ano
   17 de agosto de 2012   │     3:38  │  19

De tanto focar o imbróglio em torno da licença ambiental do Eisa confesso que “ceguei” para a maior e mais importante indústria naval que será construída em Alagoas.

Enquanto o estaleiro de Coruripe continua no campo da dúvida, gerando ansiedade para o alagoano, um outro negócio nessa área não menos importante acaba de ser fechado.

Demorei um pouco para entender o que está acontecendo. Mas, os fatos foram surgindo, confesso, quase ao acaso, a “um palmo do meu nariz”.

Encontrei Rosiana Beltrão, na última terça-feira, logo após uma reunião que ela teve com o senador Renan Calheiros, do PMDB, no escritório dele em Maceió.

Aproveitei para perguntar quando seria assinado o contrato com a outra indústria de off shore que ela havia prometido me informar em primeira mão. “A Tomé Engenharia assinou  essa semana o contrato de locação da área do Porto. Falta só ratificar na Antaq e isso deve acontecer até a próxima semana”, adiantou.

A administradora do Porto de Maceió deu mais alguns detalhes: a área locada é de 66 mil m2, quase três vezes maior do que a área da Jaraguá Naval, anunciada em junho deste ano.  As obras devem começar logo. Tem até construtora contratada e a expectativa é gerar mil empregos diretos na construção.

Ela prometeu mais informações para outro momento. Mas ontem, recebi um release da Casal que ajudou a desvendar o resto da história: a empresa em questão, a Tomé, contratou a companhia para o fornecimento de água. O texto revela outros detalhes:

“A Casal vai investir em torno de R$ 170 mil na obra, com recursos próprios, e contará ainda com a parceria da empresa Tomé Engenharia, uma das que serão beneficiadas pelo fornecimento de água. Somente ela terá cerca de 2.300 funcionários no local. Entre as empresas que estão se instalando no Porto de Maceió, algumas vão produzir módulos para montagem de plataformas de exploração de petróleo do Pré-Sal”.

Um negócio de US$ 4,5 bilhões

No dia 19 de julho, há menos de um mês, Petrobras anunciou ao mercado ter assinado dez contratos, somando US$ 4,5 bilhões, para a construção e integração dos primeiros seis módulos de oito plataformas replicantes do tipo FPSO (navio que produz, armazena e transfere óleo e gás).

A Tomé Engenharia e a Ferrostal ficarão com a construção de módulos para tratamento de água e processamento de óleo, entre outros, segundo informações que circularam na imprensa especializada.

Conesgui juntar mais uma peça com uma notícia do site Petronotícias, antecipando o contrato, em maio deste ano: “A Tomé engenharia e Ferrostal foi o consórcio vencedor do Pacote 4 para fabricar 32 módulos para os oito FPSOs  que a Petrobrás encomendou para a produção do pré-sal…. Todos os módulos serão construídos no estaleiro de Maceió,  Alagoas”.

Quanto desses 4,5 bilhões de dólares vem para Alagoas ainda não foi revelado. Mas se quiser pode fazer apostas em valores acima de um bilhão de reais.

Indústria naval off shore
O estaleiro que a Tomé montará em Alagoas é do tipo off shore. A  indústria vai fazer a montagem de partes das plataformas do pré sal, mas não construirá – pelo menos nessa primeira fase, os navios. Mas isso não diminui em nada a importância do projeto na área naval. A sua capacidade de geração de empregos e riquezas é semelhante a de um estaleiro que produz navios.

Resta agora saber quando e como esse negócio será anunciado ao mercado alagoano. Quem sabe a notícia não “vaza” hoje durante a visita de Dilma Rousseff a Alagoas?

Faça um tour pelo novo estaleiro

Pra começar recomendo uma visita ao site da Tomé Engenharia. A empresa é uma das maiores fábricas de fabricas do Brasil e atua em ramos que vão da montagem eletromecânica até a contrução de projetos para a produção de óleo e gás. No site www.tome.com.br  é  possível ter uma ideia do que é a empresa, que tem forte atuação sem serviços portuários e  indústria naval.

Deixo também os links com as notícias a que me refiro nesse post:  http://www.petronoticias.com.br/archives/8483

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,petrobras-fecha-acordos-de-us-45-bi-no-pre-sal-,902722,0.htm

http://www.casal.al.gov.br/2012/08/casal-vai-garantir-abastecimento-de-agua-para-navios-e-empresas-do-porto-de-maceio/

COMENTÁRIOS
19

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Fabiano lopes

    É muito bom essa noticia deus quera que não seja apenas so promessa pq quando chega epoca de politica sempre prometem trazer melhorias para alagoas e nunca sae do papel.

  2. Rony marcos

    É muito bom saber que o nordeste esta tendo uma atenção dos nossos políticos, graças a DEUS!!!!

  3. katan

    graças A Deus por essa noticias pra alagoas este estado mui precisa disso mesmo a minha cidade é mui importante demais alagoas agora vai pra frente

  4. carlos humberto

    dessa vez eu volto pro minha cidade depois de 6 anos em angra dos reis trabalhando no estaleiro brasfels um dos maiores da america latina

  5. FERNANDO

    Este é um órgão (IBAMA) que devia servir como elo de ligação entre as necessidades de proteção ambiental e o cumprimento da legislaçao, no entanto servem mais atrapalhar o desenvolvimento de instalção de projetos que viabilizam o progresso de uma comunidade. Enquanto isso não fiscalizam o que fazem as prefeituras com as redes de drenagem de esgoto das cidades, que insistentemente jogam esgoto sem tratamento em rios, manciais e nas praias, tornando-as imprórias para banho ou vida marinha

  6. FERNANDO

    Vejo que se outros profissionais de outros estados tem chances e os nativos não, isto se deve ao fato que falta mão de obra qualificada. Basta exigir que as autoridades governamental promovam qualificação profissional para formar mão de obra local. Enquanto isso não acontece, eu que também sou de fora, irei traalhar na sua querida Maceió

  7. Quitéria Maria Alves da Silva

    Boa Noticia, espero que a mão-de-obra , que temos em maceió , seja admitida pois
    estou cansada de ver profissionais de outros estados terem oportunidade e os nossos profissionais ficarem de fora.

    1. wallace abreu

      CONCORDO ate com sua posição , mais vamos falar de capacidade ninquem esta fazendo macarronada não minha filha estamos falando de sustentabilidade do brasil vou ser claro e objetivo entra quem tem capacidade técnica e não por pena isso e obra petrobras não tem meio termo ou ta qualificado ou não se não estiver ta fora

  8. CARLOS AZEVEDO-MIAU

    MAIS UMA VEZ ESSE COMPETENTE JORNALISTA SAIU NA FRENTE,COM ESSE FURO DE REPORTAGEM ONDE MOSTRA QUE ALAGOAS TEM POTENCIAL NESSA AREA, PARABÉNS TAMBÉM A COMPETETENTISSIMA ROSIANA BELTRÃO, MENINA QUE NASCEU PRA BRILHAR E DE FORMA SILENCIOSA FAZ UM BELISSIMO TRABALHA, DIGO DE PASSAGEM FOI INDICAÇÃO PESSOAL DA PRESIDENTA DILMA.

  9. Alvim

    Excelente notícia!!! Agora sim, Alagoas entrará no seu FORTE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.Temos agora só festejar mais um GRANDE INVESTIMENTO PARA O NOSSO ESTADO!!!

  10. Marcelo

    Evidentemente que as obras só poderão ser inciadas após análise por parte do IBAMA do Estudo Prévio de Impacto Ambiental e respectivo Relatório de Impacto – EPIA/RIMA. Tomara que desta vez não façam lambança, querendo à fórceps o IMA licenciar um empreendimento que impacta bens da União, e depois culpar os “maus alagoanos” pelo insucesso do Estaleiro EISA.

  11. PARABÉNS

    EDVALDO, PARABÉNS, POIS VOCE É UM CARA PRÁ LÁ DE BEM INFORMADO. AO TOMAR CONHECIMENTO DESSE ESPETACULAR INFORMAÇÃO, SÓMENTE ME RESTA VIBRAR E AGUARDAR O NASCIMENTO DO GRANDE EVENGTO QUE FARÁ NOSSA CAPITAL E ALAGOAS, COMEÇAR A CRESCER EM PASSOS LARGOS. AMIGO, INCLUSIVE, DE PROFISSÃO, CONTINUE A BEM INFORMAR AOS ALAGOANOS. UM ABRAÇO DO LAERSON.

  12. CELIO REBELO VASCONCELOS

    É uma notícia muito boa para Maceió e por consequente para o Estado de Alagoas como um tôdo. Não sei se a implantação do estaleiro vai precisar de laudo do IBAMA .
    Se for preciso de laudo do IBAMA,quem sabe se os políticos que não querem o pleno desenvolvimento do nosso estado,não vão intereferir , para colocar dificuldades e atrapalhar a Implantação deste Estaleiro . Para dificultar a instalação do ESTALEIRO EISA no Pontal de Coruripe,o Laudo do IBAMA dizia que ia ter problema com uma área de mangue . Só FALTA, os técnicos do IBAMA inventarem que no Cais do Porto de Jaraguá,tem área de mangue e o EMPREENDIMENTO não se instala /

  13. pedro

    De 1 a 10, nota 11 prá vc Edvaldo. Uma colcha de retalhos tão bem
    elaborada, rica em detalhes como essa, só poderia vir de profissionais
    dedicados e competentes no ramo de negócios como vc. Parabéns.

  14. carlos

    Edivaldo, ótima matéria feita por você, trazendo essa notícia desse mega empreendimento a ser instalado em nosso estado.

Comments are closed.