Tô nem aí: prefeitura ignora nova greve de ônibus e Maceió fica ao “Deus dará”
   20 de agosto de 2012   │     21:05  │  4

Na sexta-feira da semana passada ouvi de uma colega de trabalho um comentário sobre o aumento da passagem em Maceió que me deixou sem resposta. “Eu já me acostumei a pagar R$ 2,30 pela passagem. Não sei por que não deixam logo esse preço e não acabam com essa confusão”.

Claro que essa trabalhadora prefere transporte mais barato e de qualidade. O problema é que ela, assim como a maioria dos 300 mil cidadãos que vive em Maceió e precisa andar de ônibus todos os dias vem sofrendo por conta do imbróglio no setor.

Explico: com a greve, registrada há três semanas, o TRT mandou que os rodoviários voltassem ao trabalho e garantissem a circulação de no mínimo 80% da frota. Desde então, a qualidade dos transportes públicos piorou – e muito – em Maceió.

Como nem a prefeitura, nem o TRT estão fiscalizando o cumprimento da recomendação, o tempo de espera aumentou, especialmente em algumas linhas.

E eu pergunto o que aconteceu nessas três semanas? O preço da passagem caiu? O salário dos trabalhadores foi reajustado?

O que se pode deduzir pelo dia de hoje é que o usuário dos transportes públicos continuou ao “deus dará”. Nem a Justiça e muito menos a prefeitura garantiu o direito do cidadão que precisa de transportes públicos;

A prefeitura de Maceió, que é a concessionária dos serviços de transportes, sequer se posicionou sobre a greve, ignorando completamente os problemas vividos pelo cidadão.

E que tal liberar a catraca e as lotações?

Hoje os rodoviários pegaram novamente a população de surpresa, numa afronta contra o cidadão. A prefeitura mais uma vez ignorou o problema. A ação ficou por conta da Justiça.

Mas parece que a prisão dos líderes do movimento – a CUT diz que a greve foi combinada com os patrões, para forçar o reajuste da passagem – não fez o movimento arrefecer.

Já disse e repito: se quiserem um movimento eficiente contra as empresas, os rodoviários devem rodar com os ônibus sem cobrar a passagem, liberando a catraca.

E a prefeitura, que até agora não se mexeu, deveria ao menos pensar em alternativas para evitar a verdadeira extorsão que as pessoas têm sofrido para conseguir ir de um lugar para outro. Hoje teve lotação cobrando até R$ 20, para levar cada passageiro do Tabuleiro para o Centro.

Não seria a hora da prefeitura regulamentar o transporte alternativo? Uma vez que perdeu o controle do transporte regular, quem sabe não pode melhorar liberando tudo de vez.

COMENTÁRIOS
4

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Paulo Lima

    POBRE POPULAÇÃO!

    Que precisa de transporte para seus deslocamentos:
    . Tem uma SMTT que não cumpre seu papel.
    . A justiça que não sabia onde estava se metendo e o problema que estava criando.
    . Uma Câmara que se mete onde não tem competência. O de regular preço de tarifa de ônibus.
    . Uma classe de trabalhadores que com justiça quer reajuste.
    . Um grupo de empresários que precisam de receita para pagar os custos dos serviços de transporte que prestam a população.
    . Milhares de trabalhadores que precisam do transporte para trabalhar.
    – E O PIOR: A PREFEITURA QUE DIZ QUE NÃO TEM NADA COM ISSO!

    Paulo Lima.

  2. Carlos Henrique

    Muito bem colocado… Ao Deus dará! Infelizmente é assim que Maceió se encontra em todos os níveis, é só observar. O Prefeito abandonou completamente a cidade.

  3. Luiz Ribeiro - Maceió - AL

    Graças a Deus que o Lessa foi impugnado, pois o Rui vai levar na boa, Cicero Almeida não vai deixar saudades e nunca mais ganhará politicamente nenhum cargo eletivo em nosso Estado, prefeito ver se tem coragem no minimo para entregar a prefeitura dignamente, e o Judiciário aplica uma multa de Hum milhão de reais nestas empresas do setor de transporte público, pois é uma vergonha dizer que Maceió é uma cidade do futuro, aqui ninguem respeita as Leis, cidade sem dono essa.

  4. Ruslan Queiroz

    Não, Não! O preço Só IMPORTA pela Má QUALIDADE sem FISCALIZAÇÃO séria e PONTUAL.

    Roteiros Confusos,
    Demora em sair das GARAGENS,
    Ônibus ser AR [ ELES ESTÃO SUMINDO],

    Se a METADE disso FOSSE RESOLVIDA R$ 2,30 não é o PROBLEMA!

Comments are closed.