Apertem os cintos: a crise, avisa Téo Vilela, chegou a Alagoas
   4 de setembro de 2012   │     22:40  │  4

Vai faltar dinheiro para pagar salários e 13º? Não! Ao menos por enquanto o governo de Alagoas trabalha com um cenário de preocupação, de atenção redobrada, uma espécie de alerta “amarelo” nas contas públicas.

Mas o fato é que a crise que atinge o mundo inteiro chegou a Alagoas. E quem anunciou “a novidade” nesta terça  pela manhã foi o próprio Téo Vilela.

O governador aproveitou o ato de lançamento da pedra fundamental da nova balança do peixe na Pajuçara, em Maceió, e avisou que será preciso “apertar os cintos” para evitar o agravamento da crise no Estado.

Ou seja o governo vai cortar gastos para pagar as contas.

É a segunda vez que Téo Vilela fala sobre a necessidade de contenção de despesas somente este ano. O primeiro alerta do governador foi em maio, quando a receita do ICMS caiu quase -5%. E porque essa preocupação do  governador, logo pela manhã, no lançamento de uma obra?

É que na noite anterior ele teve uma longa reunião com o secretário da Fazenda. Maurício Toledo levou para o governador os números da arrecadação de agosto, que mais uma vez ficaram negativos.

A queda no ICMS do mês foi pequena, de apenas -0,6%. O problema é o governo trabalhava com um aumento de receita de pelo menos 12% esse ano para poder fazer frente ao aumento de despesas previsto no orçamento estadual. Outro agravante é que os repasses federais, em especial o FPE, estão abaixo das estimativas.

Em outras palavras, Téo Vilela pode ter dificuldades para fechar o caixa e pagar as contas esse ano. Para complicar, tem ainda a seca e uma expectativa de redução na safra de cana-de-açúcar, principal atividade da economia alagoana.

Apesar do tom de preocupação, o governador lembra que a situação de Alagoas é semelhante a de outros estados e do Brasil. “Temos de trabalhar com a realidade e apertar os cintos”, avisa Vilela.

Arrecadação

A receita de ICMS em Alagoas fechou agosto em R$ 188,69 milhões, registrando variação negativa nominal de -0,6% na comparação com igual mês de 2011 (R$ 189,83 milhões). Esse é o segundo mês do ano em que a receita de ICMS cai na comparação com o ano anterior. A primeira queda, em maio, foi de -4,9%.

A situação do Tesouro Estadual só não ficou pior porque outros o IPVA e “Outras Receitas” registraram crescimento. Com isso a receita própria total ficou em R$ 235,3 milhões registrando crescimento de 4,6% na comparação com agosto de 2011 (R$ 225,1 milhões).

Para fazer frente a expansão de despesas previstas no Orçamento deste ano o Estado precisa de um crescimento de pelo menos 12% na sua receita. No acumulado até agosto, a receita total do Estado (inclui ICMS, IPVA e outras taxas, fora repasses federais) ficou em R$ 1,832 bilhão registrando variação de 8,3% na comparação com igual período de 2011 (R$ 1,691 bilhão).

O principal imposto do Estado, o ICMS, cresce num ritmo menor. O volume arrecadado nos oito primeiros meses do ano chegou a R$ 1,600 bilhão registrando 7,2% de crescimento em relação a igual período de 2011 (R$ 1,493 bilhão).

Na prática essa expansão só cobre a inflação. Não existem, por enquanto, ameaças ao pagamento de salários ou outros compromissos do Estado. Mas se a curva de crescimento da arrecadação for declinante daqui por diante, o governo terá dificuldades para pagar o 13º.

COMENTÁRIOS
4

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. TRAMBIQUE

    UM VERDADEIRO GTRAMBIQUE QUE ESTÁ BUSCANDO FAZER CONTRA OS ALAGOANOS ESTE DESGOVERNADOR PREGUIÇOSO.CERTO ESTAMOS QUE OS MILHÕES DO PLANO CONTRA A VIOLENCIA JÁ FORAM INSERIDOS NA CAPANHA DO RUI PALMEIRA. COM ESSA CONVERSINHA MOLE DELE, O ALAGOANO, ANO QUE VEM, ESTARÁ LASCADO, NÃO É? PREGUIÇOSO.

  2. John

    “Também, bancando a campanha do candidato dele e comprando o judiciário pra lascar o Lessa, vai faltar dinheiro em Alagoas por muito tempo. Se a própria usina de sua família quase faliu nas mãos dele imaginem um estado… Péssimo administrador, pouco inteligente. Imaginem o outro “lobo” disfarçado de cordeiro governando a capital, vai ser o fim.

  3. nivaldo

    ISSO É TUDO MENTIRA DESSE GOVERNO, POIS ELE TÁ BANCANDO A CAMPANHA DO SEU CANDIDATO A PREFEITO, ALEM DO QUE , UM ESTADO QUE PAGA R$30.000,00(TRINTA MIL ) A UM SECRETÁRIO,COM CERTEZA NAO ESTÁ EM CRISE.

  4. ALANA

    Também, bancando a campanha do candidato dele e comprando o judiciário pra lascar o Lessa, vai faltar dinheiro em Alagoas por muito tempo.

Comments are closed.