Como uma onda: ICMS aumenta, FPE cai e o “aperto” continua no Estado
   1 de novembro de 2012   │     20:28  │  3

Alegria de Estado pobre dura pouco. A tarde, uma boa notícia: o ICMS cresceu 19% em outubro, superando as expectativas. Agora no começo da noite, água no chope: o FPE recuou 15%  no mês, uma queda além do esperado.

Em outras palavras, o ICMS deu com uma mão, o FPE tomou com a outra e o aperto no Estado continua. E, repito o aviso, o governo vai depender das receitas de novembro e dezembro para pagar o 13º salário do servidor público ainda esse ano.

O secretário da Fazenda me disse há pouco que continua torcendo pela melhora do desempenho da receita. “Novembro e dezembro estão entre os melhores meses do ano. Esperamos que o ICMS cresça um pouco mais nesses meses, como ocorreu em outubro. Mas a situação só vai melhorar se o FPE também reagir”,aponta Maurício Toledo.

As transferências federais representam mais ou menos metade da receita estadual. A outra metade é formada principalmente pelo ICMS.

Os números mostram um pouco melhor essa realidade. Alagoas recebeu R$ 161,1 milhões de FPE em outubro de 2011. No mês passado essa receita caiu  R$ 136,6 milhões. A diferença ficou negativa em R$ 25 milhões. No mesmo período o ICMS aumentou de R$ 174,04 milhões para R$ 208,6 milhões. Diferença positiva de R$ 34 milhões.

Somadas as duas receitas, a arrecadação de outubro foi de R$ 335 milhões em 2011 e R$ 345 milhões em 2012, uma variação nominal de R$ 10 milhões ou 3%. “Não dá para cobrir sequer as perdas da inflação”, avalia Toledo.

O lençol é curto e acaba de encolher um pouco mais. O Estado deixará de cumprir parte do Orçamento, como já antecipei. Agora resta saber se será preciso adotar doses mais fortes do “remédio amargo”. Tudo vai depender da receita esse mês. É cruzar os dedos e torcer por uma reação na economia.

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Justo

    Meu amigo como vc vidra quando o assundo e problema para alagoas, não sei como vc reagiria se o governador fosse o fernando colo de Mello?????????????????????????????. A imprensa é importante no desenvolvemento do nosso estado informando boas noticias e as mas noticia, mais é claro usando sempre o bom senço. Obrigado e desculpa o desabafo com Alagoano.

  2. S.A.MENDONÇA

    MEU AMIGO EDIVALDO,NÃO É PARA MENOS,COM A SONEGAÇÃO CENTENÁRIA DOS USINEIROS,LOJÕES DE MACEIÓ,CALOTE NA CEAL,QUEBRADEIRA DO ANTIGO PRODUBAN,ACORDO FEITO SOBRE MAIS DE TREZENTOS MILHÕES EM QUE AS USINAS DE AÇÚCAR NÃO PAGARAM NADA.E O MAIS RECENTE 168 MILHÕES DE DÍVIDAS DO FAMIGERADO GRUPO DAS USINAS DE AÇÚCAR. A ELETROBRAS,NÃO PODERIA CHEGAR A OUTRA SITUAÇÃO.ALAGOAS PRECISA TOMAR UM NOVO RUMO POLITICO E ECÔNOMICO.AVANÇA ALAGOAS,ACORDA POVO ALAGOANO.

Comments are closed.