Asplana quer ajuda de Téo Vilela para forçar usinas a pagar fornecedor em dia
   11 de dezembro de 2012   │     20:43  │  1

Um decreto do governo de Pernambuco inspirou os fornecedores de cana-de-açúcar a procurar Téo Vilela. A Asplana,que  representa mais de 7 mil produtores em todo o estado vai pedir “tratamento igual”.

“Em Pernambuco a usina que não estiver em dia com o fornecedor de cana-de-açúcar não tem direito a receber incentivos. Nós queremos que o governador faça o mesmo aqui”,  diz Lourenço Lopes, presidente da Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas.

A audiência já foi solicitada ao governador e deve ser realizada ainda essa semana, explica o secretário de Agricultura, José Marinho: “o governador já sabe qual o motivo da audiência ee deve encontrar com os diretores da Asplana ainda nesta semana e, mais provavelmente, já nesta quarta-feira”, diz.

Algumas usinas ainda não pagaram toda cana da safra passada. Outras estão pagando apenas 70% da cana nesta safra, alerta Lopes. “É uma situação delicada. Tem vários fornecedores a beira do desespero porque não recebem os pagamentos das usinas”, explica Lopes.

Os valores devidos e, quem sabe, os nomes dos devedores, podem ser divulgados  após o encontro com o governador. “Se não houver acordo, vamos denunciar as empresas que estão em atraso com os fornecedores de cana”, aponta Lopes.

Segundo Lopes, a medida (adotada em Pernambuco desde 1º de março) obriga as usinas a comprovarem o pagamento dos fornecedores pela matéria-prima comercializada junto à unidade industrial para ter direito a receber o crédito presumido.

“Em Pernambuco só recebe o crédito a usina que está em dia com o pagamento dos seus fornecedores de cana. Sem o pagaemento, o produtor não tem condições de investir em tratos culturais. Tivemos muita tolerância. Mas não podemos começar outra safra sem receber. Precisamos honrar com os nossos compromissos financeiros. A exemplo da medida adotada em Pernambuco pelo Governo do Estado, este decreto seria uma garantia para nós fornecedores de que iríamos receber das usinas”, declarou o presidente da Asplana.

 

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. juan

    a resposta é não… fornecedor nesse estado tem que ser mero figurante na produção de açúcar, ou melhor, trabalhar para o usineiro de graça… ou, vender ou arrendar suas terras as usinas…

Comments are closed.