Maceió deve ganhar duas UPAs ainda este ano
   10 de janeiro de 2013   │     20:45  │  2

O secretário de Saúde do Estado, Alexandre Toledo, teve o que ele considera uma boa e promissora reunião, essa semana, com o novo secretário de Saúde de Maceió, João Marcelo. Em pauta a melhoria da assistência médica na capital e a construção de duas novas Unidades de Pronto Atendimento.

A Sesau já tem dinheiro assegurado para a construção. O que falta, por enquanto, é o terreno onde as UPAs serão construídas. Mas a solução deve sair logo, adianta Toledo: “foi uma boa conversa e a prefeitura prometeu acelerar a doação dos terrenos”, diz. A ideia é construir uma UPA no Benedito Bentes e outra no Vergel, nas imediações da rua Cabo Reis.

“A construção será rápida e se a doação dos terrenos sair logo ainda este ano as UPAs estarão prontas e atendendo a população”, adianta.

As duas unidades de Maceió serão do tipo do tipo 3, que tem de 13 a 20 leitos de observação.

Palmeira dos Índios

A UPA de Palmeira dos Índios já está pronta há mais de um ano, mas continua fechada. A unidade, no entanto, pode funcionar nas próximas semanas. Essa pelo menos foi a impressão que Alexandre Toledo teve após reunião com o prefeito reeleito da cidade, James Ribeiro. “É provável que a sua administração seja feita pelo hospital Santa Rita de Palmeira dos Índios, o que poderá facilitar muito a operação da unidade”, aponta.

Quanto a UPA de Delmiro Gouveia, do tipo 2 assim como a de Palmeira, não existe nenhuma previsão. Tudo vai depender de encontro que o secretário terá nos próximos dias com o prefeito reeleito, Lula Cabeleira.

Duas outras UPAs em construção – a de Marechal Deodoro e a de Maragogi – também não tem previsão de operação.  As unidas UPAs que estão funcionado até agora são as de Penedo e Viçosa.

O que é a UPA 

O texto  a seguir reproduzi do site http://www.pac.gov.br/comunidade-cidada/

Unidades de Pronto Atendimento (UPA) funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana e podem resolver grande parte das urgências e emergências, como pressão e febre alta, fraturas, cortes, infarto e derrame. Com isso ajudam a diminuir as filas nos prontos-socorros dos hospitais. A UPA inova ao oferecer estrutura simplificada, com raio-X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação. Nas localidades que contam com UPA, 97% dos casos são solucionados na própria unidade. Quando o paciente chega às unidades, os médicos prestam socorro, controlam o problema e detalham o diagnóstico. Eles analisam se é necessário encaminhar o paciente a um hospital ou mantê-lo em observação por 24 horas.

As UPAs fazem parte da Política Nacional de Urgência e Emergência, lançada pelo Ministério da Saúde em 2003, que estrutura e organiza a rede de urgência e emergência no país, com o objetivo de integrar a atenção às urgências.

UPA Porte I: tem de 5 a 8 leitos de observação. População na área de abrangência de 50 mil a 100 mil habitantes.

UPA Porte II: 9 a 12 leitos de observação. População na área de abrangência de 100 mil a 200 mil habitantes.

UPA Porte III: 13 a 20 leitos de observação. População na área de abrangência de 200 mil a 300 mil habitantes.

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. toni

    Concordo plenamente!! quanto maior o numero de miseráveis na nossa provincia alagoas melhor, cada um tem o rei que elege!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Amigo do Povo

    Eu estava lendo hoje que até 2016, 145 novas industrias aportarão no Rio de Janeiro e serão investidos 41 Bilhôes de Reais naquele Estado. Aqui fora o maldito açucar estamos esmolando um tal Estaleiro da silva. Agora com a resolução 13 e que não vamos mais pegar nada. Façam uma pergunta para voces mesmos : Porque estamos desta maneira, se ate o PIaui ja tomou a dianteira ? A culpa é do povo ? Não tem sacanagem maior do que um sugeito ir para as câmeras e microfones, após sair do seu carro importado de maugosto, com um terno caro de corte questionavel e ficar esmolando, dizendo que o povo do Estado é sofrido e coisa e tal. Realmente a quem interessa a ignorância e um povo doente ?

Comments are closed.