Prefeitura faz “pente fino” nos salários dos prestadores de serviço da Saúde
   16 de janeiro de 2013   │     0:00  │  5

Alguns dos assessores do prefeito Rui Palmeira já tratam a situação em que encontraram as secretarias de “herança maldita”. A referência se explica em parte pelas dificuldades que eles enfrentam nesse início de gestão.

No caso da limpeza pública as empresas justificam a “sujeira” espalhada pela cidade por conta de atrasos nos pagamentos. Estranho. E muito. A situação se repete com empresas na maioria dos órgãos. Mas no caso da Saúde o problema é mais grave: diversos trabalhadores contratados na condição de prestadores de serviços estão sem receber salários.

Rui Palmeira foi avisado do problema e já avisou que vai pagar. Mas determinou, antes, que seja realizada uma auditoria na situação desses trabalhadores. Isso porque a Secretaria Municipal de Saúde não tem nenhum controle da frequência ou outras informações desse pessoal, informou um assessor do prefeito.

O problema é grave. A prefeitura não informa quantos servidores estão nesta situação. Mas segundo assessores do prefeito, a determinação é resolver o rápido possível para evitar desdobramentos negativos numa das áreas em que o prefeito promete priorizar.

COMENTÁRIOS
5

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Técnica de Enfermagem

    É uma pena que o trabalhador é que pague o pato desse loteamento que é feito na Sec. de Saúda, onde se faz do poder público de cabide de emprego.
    É só ir aos postos de saúde e verificar quem trabalha ou não. E não deixar de pagar o salário que ja é pouco.

  2. Antonio

    Gente a Secretaria da Saúde tem uma Tal de ASSESSORIAS que é só cabine de emprego. Um absurdo, O MP já se manifestou o contrario das assessorias mas o prefeito continuou.

  3. Jaelson L.

    Sr. Prefeitinho… trate de pagar logo…q o dinheiro nao e seu…assim respondera com uma ação civil publica, baseada no artigo 1º, I, do Decreto-Lei nº 201/1967: “apropriar-se de bens ou rendas públicas, ou desviá-los em proveito próprio ou alheio”. Acho q já esta na hora de um inpcheman pra esse prefeitinho…vamos há rua, colocar esse boy pra fora da prefeitura… Vamos a luta!

  4. Jadson Lemos

    Leia, DECRETO-LEI Nº 201, DE 27 DE FEVEREIRO DE 1967.. Art. 1, I – apropriar-se de bens ou “rendas públicas”, ou desviá-los em proveito próprio ou alheio; §1º Os crimes definidos nêste artigo são de ação pública, punidos os dos itens I e II, com a pena de reclusão, de dois a doze anos, e os demais, com a pena de detenção, de três meses a três anos.

    § 2º A condenação definitiva em qualquer dos crimes definidos neste artigo, acarreta a perda de cargo e a inabilitação, pelo prazo de cinco anos, para o exercício de cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação, sem prejuízo da reparação civil do dano causado ao patrimônio público ou particular.

Comments are closed.