“Prefeitos da Seca” perdem a paciência e cobram conversa direta com governador
   23 de janeiro de 2013   │     21:35  │  4

Prefeitos de 37 cidades alagoanas que estão em estado de emergência por conta da seca estão, literalmente, perdendo a paciência com a demora da Defesa Civil em atender as necessidades dos moradores dos seus municípios, situados no agreste e sertão de Alagoas.

Hoje a tarde esses prefeitos, agora organizados numa comissão coordenada pelo prefeito de Belo Monte, Avânio Feitosa, convocaram uma reunião com o Comitê Estadual de Ações Contra a Seca, que é coordenado pela Defesa Civil.

“O coronel da Defesa Civil não veio, mandou representante. O secretário de Agricultura mandou representante, até o membro da Casal não veio e mandou representante. Chega de empurrar o problema com a barriga.  Nós queremos é falar com o governador. Esses secretários e assessores só prometem, mas nada resolvem”.

O desabafo é do prefeito de Jacaré dos Homens, Junior Ernesto, do PP, partido da base aliada do governador Teotonio Vilela Filho.

Mas não é só ele que está insatisfeito. Conversei com vários outros. A reclamação é geral. Hoje mesmo prefeito de Santana do Ipanema, Mário Silva, se queixou na reunião que seu município tem apenas quatro caminhões pipas para atender toda a população. “Eu só tenho um. A situação só não é pior porque tenho outro caminhão pipa da prefeitura  que foi conseguido pelo senador Renan Calheiros”, emendou Junior Ernesto.

Bagaço? E o caminhão?

Outro prefeito reclamou da promessa do governo de ceder bagaço para as prefeituras distribuírem com os produtores. “Isso é uma  vergonha. Além de não ter o bagaço na quantidade prometida, o governo quer que as prefeituras mandem o caminhão buscar lá na usina. O frete sai por R$ 70 a tonelada. É mais caro que os R$ 50 que o governo paga pela tonelada do bagaço”.

Na região da bacia leiteira as dificuldades dos produtores continuam. Em Jacaré dos Homens onde o leite é a principal atividade econômica , a situação está se agravando, explica Junior Ernesto: “tá faltando comida para os animais e logo vai faltar comida para o povo”.

O prefeito de Jacaré dos Homens faz parte da comissão dos  “prefeitos da seca”. Na próxima semana ele vai participar de reunião com o ministro da Integração (Fernando Bezerra), ao lado de outros prefeitos alagoanos. “Vamos levar uma pauta de reivindicações. E vamos dizer ao ministro que precisamos de uma ação imediata. As prefeituras estão quebradas e nosso povo está ficando impaciente”, desabafa.

No caso do governo de Alagoas, ele dá um conselho a Téo Vilela: “governador o senhor tem que tirar esses intermediários, assessores que ficam só na promessa, ganhando tempo. Pegue o dinheiro do Fecoep e ajude o sertanejo, antes que seja tarde”.

COMENTÁRIOS
4

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. jose antonio dos santos

    É estranho que só agora após 22 dias da posse o prefeito RUI PALMEIRA descobriu que a Saúde tem dívida impagável. Não houve o período de transição e muito antes da campanha todos sabiam do caos existente, não deveria ter existido um planejamento para ser colocado em prática no primeiro dia da nova administração!.
    Ou tô errado, agora vai ficar o tempo todo no blá, blá, blá!.

  2. jose antonio dos santos

    Os meios de comunicação precisam investigar a ligação dos proprietários da empresa de CALL CENTER contratada pela CASAL no valor de mais de R$ 500 mil reais. Podem até ser LARANJAS da Diretoria da CASAL, quem sabe!.

Comments are closed.