Exportações de Alagoas caem mais de R$ 90 milhões em janeiro de 2013
   10 de fevereiro de 2013   │     4:21  │  1

No ano passado  as exportações de Alagoas caíram R$ 750 milhões. No primeiro balanço sobre as exportações deste ano, nada de diferente. O estado começou 2013 com desempenho negativo na balança comercial, confirmando uma tendência nada interessante para sua economia.

De acordo com números do Ministério do Desenvolvimento o estado exportou, em janeiro deste ano, US$ 177,1 milhões. Em comparação com o mesmo período de 2012, quando foram exportados US$ 223.141.314, a variação foi negativa em -20,6%.

A queda nas exportações reflete dois graves problemas que afetam a economia alagoana: a seca, que reduziu a produção de cana-de-açúcar em cerca de 20% e a retração do mercado do açúcar, em função da crise internacional.

Como costuma dizer um amigo, além da queda, o coice. O preço do açúcar caiu mais de 20% nos últimos doze meses. E a produção de cana recuou mais de 10%.  Em parte esses números explicam a crise que atinge o setor sucroalcooleiro de Alagoas.  Das 23 usinas em operação, pelo menos seis não estão pagando em dia aos fornecedores de cana-de-açúcar.

A situação mais grave ainda é a do Grupo João Lyra. Das três usinas do grupo, apenas duas estão moendo e com uma produção abaixo do esperado.

Um abalo na economia de Alagoas

No ano passado, contei aqui, por conta da queda nas exportações cerca de R$ 750 milhões deixaram de circular na economia de Alagoas. Somente em janeiro deste ano a queda nas exportações tirou de circulação, no estado, cerca de US$ 46 milhões o que corresponde no câmbio atual a pouco mais de R$ 90 milhões.

Mais de 99% das exportações de Alagoas dependem do setor sucroalcooleiro. Com esses resultados as usinas vão deixar de investir, terão dificuldade para pagar seus compromissos no curto prazo e é provável que as empresas demitam mais cedo, além de aumentar o número de demissões. Depois não digam que eu não avisei.

Para lembrar: o volume exportado durante todo o ano de 2012, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, ficou em US$ 1,014 bilhão, com uma queda nominal de US$ 370 milhões e variação de -26,04% em comparação com o acumulado de 2011 (US$ 1,371 bilhão).

“Nesta safra enfrentamos pela primeira vez ao mesmo tempo problemas com a seca, a crise no mercado mundial e a crise  no mercado nacional. É uma safra difícil e que está exigindo um esforço muito grande dos empresários para manter as empresas funcionando”, aponta Pedro Robério Nogueira, presidente do Sindaçúcar-AL.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Marcos Guerra

    O turismo deve ser mais incentivado em termos de infraestrutura e divulgação, a Polícia Militar deveria priorizar o atendimento quanto aos idiotas que colocam seus carros com alto som próximo aos hoteis de praia atrapalhando o sono dos turistas que antecipam suas saídas do Estado e
    saem falando horrores.

Comments are closed.