Gurgel, Taques e o processo contra Renan: será política?
   14 de fevereiro de 2013   │     17:56  │  5

O site Brasil247 registrou o discurso de Pedro Taques, o opositor de Renan Calheiros nas eleições para a presidência do Senado. Ex-procurador da república, o senador defendeu o colega procurador geral, Roberto Gurgel.

O discurso reforça as suspeitas (ou insinuações) de que a ação (ao tirar da gaveta o processo contra Renan, a uma semana da eleição) de Gurgel foi política.

Desde então Gurgel tem sofrido algumas críticas ao seu comportamento. E quem saiu em defesa dele? Eduardo Campos. Presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco ele quer, como se sabe, a vaga de vice na reeleição de Dilma Rousseff. O problema é que essa vaga, hoje, está com Michel Temer, do PMDB, um dos principais aliados de Renan Calheiros.

Por trás do “tiroteio” contra Renan Calheiros existem, aparentemente muitos interesses além da “moral e dos bons costumes”.

O jornalista Roberta Vilanova, o Bob, levantou outra “lebre” no seu blog: a ONG do Rio (Rio de Paz) poderia estar atacando Renan Calheiros por conta de interesses na questão da divisão dos royalties do petróleo. Será?

Não por mera coincidência os maiores críticos de Renan Calheiros estão no Sudeste, especialmente Rio e São Paulo.

É claro que existem muitos interesses em jogo. Há até quem diga que os ataques contra Renan tem o objetivo de desviar o foco de outros temas importantes, a exemplo do mensalão Será???

Não que seja isso ou aquilo, mas o fato é que a cobertura da mídia em torno da questão tem sido desproporcional em desfavor do senador alagoano. Cabe a todos apurar o senso crítico e fazer uma boa reflexão em torno deste episódio.

Reproduzo a seguir o texto publicado no site Brasil 247 (publicado hoje às 5h22)

TAQUES DISCURSA EM DEFESA DE GURGEL CONTRA RENAN

247 – Foi um dos únicos discursos do dia no Senado, e o plenário vazio só serviu para reforçar a mensagem do senador Pedro Taques (PDT-MT): “Como ex-procurador da República e cidadão, estarei no Senado velando contra aqueles que querem transformar o acusador em acusado”. Taques, que perdeu a eleição para a presidência da Casa para Renan Calheiros (PMDB-AL) no início do mês, falou brevemente sobre o possível ‘troco’ de Renan ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

“Isso não é digno de uma República. A perseguição e a utilização de cargos para prejudicar servidor exercendo sua função não são instrumentos republicanos”, disse Taques, antes de o presidente da Mesa, Flexa Ribeiro (PSDB), encerrar os trabalhos no plenário por esta Quarta-feira de Cinzas. A defesa que o senador faz de Gurgel soa natural, devido à origem jurídica de Taques, mas mais ainda porque a denúncia que Gurgel apresentou contra Renan a uma semana da eleição à presidência do Senado foi interpretada por alguns (como o jornalista Leandro Fortes) como uma ‘forcinha’ à candidatura alternativa de Taques.

Taques também comentou a suspeita levantada pelo jornalista. “Alguns tentaram dizer que ele [Gurgel] estava a serviço deste senador da República, porque fui procurador da República durante 15 anos”, disse, desmerecendo a informação.

Com a defesa de Gurgel, o senador se une ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), até então a única voz a se manifestar em favor da conduta de Gurgel após a polêmica aberta com Renan Calheiros. 

COMENTÁRIOS
5

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Raminho

    Taí, gente, no discurso do senador derrotado toda a verdade dos fatos. Tudo é uma campanha orquestrada na tentativa de denegrir a imagem do Renan, um nordestino que tem muitos serviços prestados à região. Para quem não tem conhecimento, o senador alagoano foi considerado a personalidade do ano de 2011 dos produtores de cana de açúcar de Pernambuco, em função de sua posição em defesa da classe no Congresso Nacional e junto ao Governo Federal. O Taques, assim com o Eduardo Campos e Gurgel, vão reconhecer amanhã o valor de um homem que faz política pensando não apenas nos seus interesses pessoas, mas no contexto coletivo de seu Estado, a minha querida Alagoas, do Nordeste e do Brasil como um todo.

  2. COM QUAL MORAL?

    COM QUAL MORAL ESSES POLITICOS CORRUPTOS DESPEJAM CRÍTICAS CONTRA O GULGEL, PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA? SÃO UNS CARAS SUJPS, QUE HÁ MUITO JÁ DEVERIAM TER SIDO DESCARTADO DO ELEITOR BRASILEIRO, MENOS AQUELES QUE NEGOCIAM SEUS VOTOS E CARGOS PUBLICOS, APENAS PARA SEGUIREM PUXANDO SACOS. INFEESTADO EM LONGA ESCALA POR ESSES INDIVÍDUOS, O BRASIL NÃO CHEGA A LUGAR NENHUM EM MATÉRIA DE HONESTIDADE. UMA PENA.

  3. fred

    Pólitica é jogo bruto, como diz DIVALDO SURUAGY, e nesse caso não é diferente, e com o nosso REI RENAN nada seria ou será diferente.

  4. amigo do povo

    Atenção para o ultimo parágrafo é o mais importante o jogo eleitoral. Edurado tem como crescer muito se a Dilma abrir espaços. Sabem aquel jargão Nordestino vota em Nordestino, ewtc, etc.

Comments are closed.