Empacou: governo suspende entrega de bagaço de cana para produtores de leite
   21 de fevereiro de 2013   │     16:02  │  2

Nas últimas semanas a problemática da seca ganhou prioridade na agenda do governo do estado de Alagoas.

Os R$ 10 milhões que, registrei aqui em primeira mão, “mofavam” nas gavetas do Comitê de Combate a Seca, há mais de seis meses passaram a ser utilizados na aquisição de farelo de milho e na contratação de carros pira. De quebra o governo conseguiu mais R$ 5 milhões para o abastecimento de água.

Apesar da pressão dos produtores rurais e dos prefeitos, nem todas as promessas saíram do papel. Os prefeitos estão reclamando – com razão –  do atraso na da ação de limpeza de açudes e barragens. Os produtores reclamam da suspensão das entregas do bagaço de cana que deveria alimentar os animais

O comitê de combate a seca não deve conseguir distribuir as 6,6 mil toneladas de bagaço de cana aos produtores de leite do sertão – como havia sido prometido desde junho do ano passado.

De acordo com um  dos seus integrantes do comitê “falta” bagaço em Alagoas. Até agora, segundo informações oficiais, foram distribuídas apenas 600 toneladas.

Bagaço tem, mas as usinas não teriam certidões para fornecer ao estado. “E as indústrias que tem documentação não querem vender por conta da geração de energia”, explica o “integrante” do comitê.

Apenas 10%

De acordo com a Nota Técnica 20, do Comitê da Seca, elaborada após a última reunião, realizada em 5 de fevereiro, em Pão de Açúcar, “600 toneladas foram distribuídas, no momento a distribuição está suspensa por falta de produto”.

A proposta seria de “aquisição de 6.600 toneladas: (200 toneladas por Município – mínimo de 1.100 animais / 60 dias). Total FECOP R$ 330.000,00 (50,00 por tonelada)” – os dados são oficiais, do Comitê da Seca.

Outra ação atrasada é a “contratação de 11.880 horas/máquina para realização das obras de recuperação (360h/máquina por município / média de 45 açudes e ou barragens por município); Valor Total: R$ 1.430.000,00”.

De acordo com o presidente da Comissão dos Prefeitos da Seca, Avânio Feitosa, os números não batem: “o cronograma não foi cumprido em todas as cidades”.

 Fome e sede

Várias associações de produtores de leite do sertão estão à beira do desespero. Sem o volumoso, os animais podem morrer de fome. “A situação é crítica. O governo precisa parar de prometer e agir”, diz o presidente de uma associação.

Além da falta de comida, os animais sofrem com a falta de água.

Vale aqui reforçar a sugestão do presidente da Faeal Álvaro Almeida: “o governador poderia pedir aos empresários do setor a doação do bagaço.

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. UM BAGAÇO

    EDVALDO, ESTE GOVERNADOR TEOTONIO VILELA É UM BAGAÇO TÃO RUIM QUE NENHUM RUMINANTE COME. AGRICULTOR, O BAGAÇO QUE O TEOTONIO OFERECEU, NÃO EXISTE. VOTE NELE, DE NOVO!

  2. gabriel

    SRs PRODUTORES, VOÇÊS AINDA CAI NO CONTO DE FADAS DESSE DESGOVERNO? ESSE É O DESGOVERNO DA MENTIRA E CORRUPÇÃO. ESSE É SÓ UM DOS INUMEROS DESCASOS EM Q ELE PROMETE E FICA SÓ NA ERROLADA. SE Ñ QUISER Q SEUS REBANHOS MORRAM DE FOME E SEDE ACHEM OUTRAS ALTERNATIVAS, PQ RECLAMAR E/OU RECORRER A JUSTIÇA Ñ ADIANTA NADA. JÁ VIU A INJUSTIÇA ACIONAR O ESTADO? NUNCA ENTÃO…

Comments are closed.