E a duplicação da BR 101, presidente Dilma, vai continuar parada?
   9 de março de 2013   │     16:58  │  0

 A visita da presidente Dilma Rousseff a Alagoas para inaugurar o primeiro trecho Canal do Sertão, na próxima terça-feira, deve ser marcada pelo anúncio de mais verbas para o projeto hídrico e para outras obras federais no estado.

Vamos todos torcer para que ela anuncie a retomada das obras da duplicação da BR 101 em Alagoas. A construção está praticamente parada não só por falta de recursos, mas também por “problemas burocráticos”, segundo o coordenador da bancada federal de Alagoas, deputado Givaldo Carimbão.

Na última quarta-feira, a bancada esteve com o ministro Aroldo Cedraz, do Tribunal de Contas da União, para pleitear a retomada da duplicação da BR-101 em Alagoas. Dos nove trechos em obras, seis estão parados oficialmente. Alguns em função de decisão do TCU.

Mas a duplicação da BR, maior obra rodoviária em execução no estado, orçada em R$ 1,7 bilhão, também enfrenta problemas na liberação de recursos, entre outros, no executivo. Por isso a bancada federal foi pedir, acompanhada do governador Teotonio Vilela Filho,  em audiência com o diretor-geral DNIT, Jorge Fraxe, “celeridade nas obras da BR-101”.

O trecho de 248 km da rodovia, que corta Alagoas, entre Pernambuco e Sergipe, teve suas obras paralisadas por “problemas burocráticos relacionados à liberação de recursos” segundo versão oficial.

Os trabalhos foram iniciados em 2010 e deveriam estar concluídos já no final de 2011.

Em outras palavras, deputados federais e senadores de Alagoas precisam fazer um pouco mais de pressão em Brasília pela conclusão da obra, que nem precisa dizer, mas é bom que se diga, é de “fundamental importância” para Alagoas.

Do jeito que vai a duplicação da BR 101 pode se transformar num novo canal do sertão, que depois de 20 anos de iniciado tem menos de 30% prontos.