Governo do estado atrasa de entrega farelo prometido a produtores do sertão
   14 de março de 2013   │     17:25  │  0

Depois de sofrer pressão de prefeitos e produtores rurais do sertão, o governo do estado anunciou, em fevereiro deste ano uma série e ações para minimizar os efeitos da seca. Entre elas está a entrega de 5 mil toneladas de farelo de milho e soja.

A entrega deveria ter sido realizada até o final do mês passado. A programação do Comitê de Combate da Seca de atender pequenos criadores, com até 25 animais, na razão de 1,5 kg de ração por cabeça a cada dia.

Era.

Várias associações de agricultores familiares da região da bacia leiteira do estado reclamam que não receberam o farelo até agora. Em Major Isidoro, por exemplo, apenas 30% dos agricultores familiares do município foram atendidos.

O criador que recebeu o farelo  terá melhores condições de manter a produção nas próximos semanas. Quem não recebeu vê a situação se agravar: “estamos no desespero”, me disse o presidente de uma associação da região da bacia leiteira que pediu para não ser identificado.

Segundo o governo do estado o problema deve ser resolvido logo.  “É um problema de logística. Nos próximos 15 dias devemos estar com o abastecimento normalizado”, afirma , o secretário executivo do Comitê de Combate a Seca, Napoleão Casado.

O secretário de Agricultura, José Marinho Junior, também confirma as dificuldades e promete uma solução para os próximos dias.

E o bagaço?

Não custa lembrar que  o governo prometeu entregar aos agricultores familiares da bacia leiteira cerca de 6,6 mil toneladas de bagaço de cana, que seria usado como volumoso na alimentação das vacas de leite.

A promessa feita há mais de oito meses só foi cumprida parcialmente. Até agora só foram entregues 1,8 mil toneladas – menos de 30% do total.

Na questão do bagaço, o governo já jogou a toalha e avisou que não vai conseguir entregar mais o restante do bagaço prometido.

Que não aconteça o mesmo com o farelo.