Fim do pesadelo: fábrica da Camila será reaberta no sertão
   21 de março de 2013   │     8:01  │  5

Para o produtor de leite e centenas de trabalhadores da região da bacia leiteira, o fechamento da fábrica da Camila, sediada no município de Batalha, ocorrido no começo de 2009 , foi como o despertar de um sonho.

Depois de décadas promovendo o desenvolvimento na região, o fechamento da indústria mergulhou vários municípios numa espécie de pesadelo.

Além dos prejuízos, os produtores de leite ficaram sem muitas opções e muitos tiveram que passar a fornecer o leite para indústrias de Pernambuco.

Agora, essa história pode ter um final feliz.

Num leilão realizado ontem, em Santana do Ipanema, pela Justiça do Trabalho, o empresário Adário Queiroz Monteiro, arrematou a Camila por R$ 1,76 milhão.  Tradicional no ramo e fundador do Leite Batalha, ele avisa: “vou reabrir a Camila”.

A partir da próxima semana, quando deve tomar, de fato, posse da antiga sede da Camila, em Batalha, é que Adário terá uma ideia melhor do que poderá ser feito: “vou trabalhar para reativar a indústria até o meio deste ano. Para isso será preciso faze uma avaliação e comprar alguns equipamentos”, aponta.

A ideia de Adário, a princípio, é produzir leite em pó e queijos, num trabalho que será feito na base da parceria com vários pequenos empresários do setor de laticínios de Alagoas.

Uma nova história

A mais tradicional indústria de laticínios de Alagoas quando fechou suas portas em fevereiro de 2009 empregava mais de 200 pessoas e tinha mais de mil cooperados, recebia mais de 100 mil litros por dia era a maior do sertão alagoano.

Seja como for, se conseguir reabrir a Camila, como deseja,  Adário estará resgatando uma história de quatro décadas na pecuária de leite de Alagoas, representada pela indústria que foi a principal responsável pelo desenvolvimento da bacia leiteira do estado.

Uma longa espera

O leilão da Camila realizado na sede da Vara do Trabalho do município de Santana do Ipanema, ontem, foi o último de uma série de leilões judiciais com o objetivo de arrecadar fundo para pagar dívidas trabalhistas.

Outros setores da antiga cooperativa (fábrica de ração, posto de recepção de leite etc) já haviam sido leiloados. O arremate desta vez foi do parque industrial, avaliado em R$ 4,7 milhões. A Justiça do Trabalho esperava por lances mínimos entre R$ 1,6 milhão a R$ 2,5 milhões. A unidade leiloada ontem, localizada em Batalha, tem uma área de mais de 29 hectares, com edificações prédios e equipamentos industriais para fabricação de leite em pó e outros derivados do leite.

COMENTÁRIOS
5

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. marcia

    que legal vai ajudar muita gente que precisa de trabalha que tenham consiencia e não seja promovido emprego pra queles que tenham padrinho lá dentro vejam que todos precisam trabalhar

  2. Aline Brandao

    Lamentável está o estado da Eletrobras-CEAL. A crise financeira é tão grande depois de uma compra “desastrada” de energia. para não dizer, SUSPEITA.
    Já demitiram 20 telefonistas terceirizadas, estão sem pagar, desde dezembro 2012, às empresas prestadoras de serviços e até o cafezinho foi suspenso.
    Agora, contrataram 08 acessores vindos do RJ para acessorar a presidência.
    cada uma ganhando R$15.000,00 por mês.
    Cadê o sind. dos urbanitários? será que estão com o rabo preso?

Comments are closed.