O que você faria com R$ 1 bi? Téo Vilela diz que blog foi injusto ao abordar dívida do estado
   6 de abril de 2013   │     21:57  │  9

Téo Vilela começou 2010 avisando que o governo tinha R$ 1 bilhão em caixa para investimentos sociais.  Parte dos recursos, conseguidos em empréstimos junto ao BNDES no valor de R$ 249,6 milhões e Banco Mundial de R$ 342 milhões, deveriam ser aplicados em obras importantes e no combate a miséria.

No entanto, muitas das obras que o governo disse que realizaria com o empréstimo (rodovia ribeirinha, ligando Piranhas a Penedo, duplicação da Alagoas 101 norte, novas escolas, quadras poliesportivas e reforma de toda as delegacias da capital) nunca saíram do papel.

Essa história você confere neste link: http://wp.me/p2Awck-Hy

Também disse aqui que os novos empréstimos aumentam a dívida de Alagoas com a União.  E que isso pode implicar no aumento de dificuldades para os próximos governadores. Um dessas operações está sendo realizada este ano com o BNDES, no valor de R$ 612 milhões.

Essa história você confere neste link: http://wp.me/p2Awck-Hf

Repito o que disso: o problema é que uma hora Alagoas vai ter que pagar por toda essa grana e que o dinheiro investido agora será cobrado com juros e correção. A nossa dívida que já estava em R$ 8,2 bi em 2012 vai para mais de R$ 9 bi este ano.

O governador contesta a informação de que os empréstimos contraídos pelo Executivo durante seu governo– especialmente o que estão sendo liberado pelo BNDES este ano  – possam comprometer gestões futuras. “São empréstimos com juros baixos e de longo prazo”, explica o secretário de Comunicação, Rui França.

Téo Vilela também classificou de “profundamente injusto”  texto que escrevi aqui, porque segundo o governador eu teria dito que os novos empréstimos aumentariam os juros e os pagamentos desembolsados por Alagoas.

Não disse, nem diria, governador, até porque, como o senhor sabe Alagoas paga 15% de sua receita corrente líquida. Esse é um teto legal. Não dá para pagar mais. Quanto aos juros, todos sabemos que o Senado tenta reduzi-los.

O que disse, repito: esses empréstimos comprometem a capacidade de investimento dos próximos governadores.

Detalhando
O estado, como se sabe, fechou 2012 com dívida consolidada de R$ 8,2 bi (parte do débito foi contraído no atual governo). Mas segundo Rui França “a captação de recursos é fundamental para assegurar investimentos. No caso do empréstimo de 2010 é importante destacar que R$ 130 milhões foram para a previdência estadual”,

O governador assumiu o compromisso de detalhar a aplicação dos recursos dos empréstimos feitos no seu governo. Vamos aguardar.

Cabe registrar que tentei falar com o governador e sua assessoria direta sobre as dividas, ante de publicar os textos. Infelizmente não tive nenhum retorno. Blindado no palácio, o governador está cada vez mais inacessível. Essa queixa, aliás, é feita por seus principais amigos e aliados.

COMENTÁRIOS
9

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. VERGONHA DE SER ALAGOANO

    COMENTO MAIS, SE NOSSO ESTADO FOSSE COMPOSTO DE HOMENS SÉRIO, POLITICO QUE TENHA COMPROMISSO COM O POVO ESTE SENHOR GOVERNADOR THÉO VILELA, JÁ ESTÁRIA FORA DA ADMINISTRAÇÃO, SOMOS OBRIGAGADO ASSISTIR ESTE ABSURDO, KD O MP, TJ, OAB-AL, QUE FORMADO DE GENTE DE BEM, OU SÃO FALSOS BURGUESES, QUE FECHA OS OLHOS, COLOCANDO PESO NA BALAÇA DO DIREITO, ACORDA ALAGOAS Ñ PODEMOS DEIXAR ESSE GABIRU, A SOLTA, MANGANDO DE NOSSA CARA.

  2. karla

    O governador que assumir este Estado em 2015.vai encontrar os seguintes probleminhas para resolver,senão vejamos: a) os carros locados voltarâo para locadoras sucateados,mas os proprietários milionàrios pelos superfaturamento das mensalidades recebidas do Téo Malandreza;resultado o Estado ficará sem viaturas para seus serviços essencias tais como:;policiamento ostensivo,saúde publica,educação,isso sem contar com a falta do Helicopetero que sobrevoa diariamente duas horas,para faturarem R$ 12.000,000,00 (doze milhões de reais por ano,veja o caos. B) a divida publica ficará na casa dos seus R$ 14.000.000.000.00 ( quatorze bilhões de reais) isto representa um total descontrole com as contas do Estado,esse cara que se diz Desgovernador deve preso pela corrupção praticada ao longo destes seus mandatos.Finalmente quem assumir vai dançar de indio.

  3. Valdeck

    Caro Edvaldo Junior, o governador acha injusto críticas direcionadas a ele e seu governo, qualquer que seja ela. Alheio a qualquer situação, continua no alto de seu cargo acreditando nas propagandas que produz de que Alagoas está uma maravilha social.
    Esses empréstimos obviamente, o Estado paga e pagará exorbitantemente caro, será uma péssima herança deixada para os próximos governadores, inclusive se for do mesmo partido que o dele. Isso é matemática pura, se você pega empréstimo ou financia algo, é claro que irá pagar mais pelo bem ou produto adquirido. Agora, como irá pagar é que é o problema, às custas de quem será pago esse monstruoso montante? Porque a população, empresários e funcionários públicos daqui do estado já vivem sufocados com escorchantes taxas. Pode não parecer, mas, é caro viver em Alagoas, o custo de vida não condiz com o retorno que é dado do governo do Estado aos contribuintes e eleitores alagoanos.
    A previdência do Estado hoje está à míngua, os inativos só são pagos porque tem ajuda do Governo Federal, bem como qualquer obra que está à duras penas sendo realizadas aqui no Estado. A lentidão de como fala e raciocina se traduz na forma de governar, Alagoas não acompanhou o ritmo de crescimento de outros estados do nordeste, será que foi o Governo Federal que fechou os olhos só para Alagoas? O Estado vive há 7 anos um faz de conta incrível, a população sofre nos hospitais públicos, médicos vivenciam clima de guerra civil nas alas, por vezes tem de priorizar a quem atender, sem a menor estrutura. É só observar, quando o governador passou mal onde foi atendido e medicado? Deveria ser aqui, porém, rumou para São Paulo. Isso é um atestado de como anda a saúde pública alagoana. A segurança, nesse mesmo tempo, sete longos anos, o Estado saltou para um abismo caótico, é conhecida internacionalmente como uma dos estados mais violentos. As corporações civis e militares trabalham em péssimas condições tanto infra-estrturalmente, quanto no aspecto de valorização e motivacionalmente no que tange a salários e contingente. Nesses sete longos anos, a Força Nacional esteve aqui, o quanto se pagou para esse efetivo extra? Que poderia ser revertido em melhorias para a própria força policial do Estado.
    A Educação há sete longínquos anos não vem sendo valorizada, não há formação continuada, salários defasadíssimos, estruturas mambembes em muitas escolas, aliás uma escola sequer foi erigida nesse tempo, nem tampouco foi feito concurso para oxigenar e renovar o quadro docente do Estado. Isso o governador deveria achar profundamente injusto.
    A população que sofreu com a enchente em 2010, há três anos lutam em barracas improvisadas, alheio à toda violência, ficando fácil serem recrutados para facções de traficantes de estados do sudeste já incrustradas aqui. Os bancos financeiros em todo o Estado sentem na pele esse desconforto.
    Como se vê, Alagoas está pagando muitíssimo caro por esses empréstimos.

  4. S.F.LIMA

    FOI O DESGOVERNADOR THEO VILELA QUEM MAIS INDIVIDOU O ESTADO E
    OS EMPRÉSTIMOS NINGUÉM SABE AONDE FORAM PARAR.TALVEZ NO MEU BOLSO.KKKKKKKKKKK.ALAGOAS É UM ESTADO DE PESSOAS BURRAS.

  5. VERGONHA DE SER ALAGOANO

    O MAIS TRISTE É QUE TEMOS QUE ACEITAR UM ROUBARELHA DESTA, PQ TODOS POLITICOS FAZ PARTE DESTAA CORRUPÇÃO, E NOSSO ESTADO CADA VEZ MISÉRAVEL, COM SUA POPULAÇÃO SOFRIDA.

Comments are closed.