Maceió tem 300 imóveis abandonados que são usados para consumo de crack
   19 de abril de 2013   │     21:38  │  4

Um levantamento feio pela prefeitura de Maceió e Secretaria Estadual da Paz mostra que pelo menos 300 imóveis abandonados estão sendo utilizados para o consumo de drogas, especialmente para o consumo de crack.

Os números foram apresentados numa reunião que contou com a participação da Guarda Municipal, secretarias (saúde e assistência social) e outros órgãos municipais.

O objetivo é formar uma força tarefa com participação do MP, secretarias estaduais e os órgãos da prefeitura para exigir que os donos desses imóveis impeçam o acesso aos locais para o consumo de drogas: “quem não fizer isso poderá ter o imóvel lacrado pela prefeitura”, aponta um dos participantes.

Outro tema do encontro foi o mapeamento das áreas públicas que são usadas para o consumo de crack. Existem pelo menos 40 pontos já mapeados na cidade.

A assessoria da Sepaz confirma que o secretário da Sepaz, Jardel Aderico, participou do encontro, mas não deu maiores detalhes: “existem trabalho de prevenção que será realizado em parceria com a prefeitura de Maceió, mas por enquanto não podemos antecipar como será a operação”.

Eu apurei com um dos participantes que a ação deve começar até a primeira quinzena de maio e terá caráter permanente.

COMENTÁRIOS
4

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Thiago Souza

    A Sepaz nos da esperança de que essas crianças e adolescentes saiam dessas drogas com o programa ACOLHE ALAGOAS.

  2. Luciano Tavares

    Melhor jeito de resolver esses problemas é demolir e lacrar. A SMCCU tem que identificar os alvos citados e assim executa-los, já que os donos não fazem nada. Tem que ser feita uma reabitarão nesses locais.

  3. Patricia Guimaraes

    Bom dia Edivaldo, gostaria de saber em q pé está essa ação do Estado com a Prefeitura, pois p mim isso é balela como as outras ações q estão dizendo q fazem. Ao lado do meu prédio em um bairro nobre de maceió – entre o Blue Shopping e minha residência( Edf Vivenda da Praia), existe uma casa abandonada de propriedade de D.Rosinha Jatobá, q serve sim de ponto p usuários de drogas, fezes e focos de mosquito e nada foi feito até agora.
    Abraços de apreço pelo trabalho nobre da imprensa.
    Patricia Guimaraes

Comments are closed.