Apesar do Ibama, German diz que não desiste do Estaleiro Eisa em Alagoas
   5 de maio de 2013   │     16:31  │  4

O imbróglio se arrasta desde dezembro de 2009, quando o empresário German Efromovich anunciou os planos para a construção de um estaleiro em Coruripe. O empreendimento será (ou seria?) o maior das Américas.

O projeto ficou pronto, o financiamento no valor de R$ 1,4 bi foi garantido pelo Fundo de Marinha Mercante, mas esbarrou no Ibama. Entre idas e vindas a Brasília de diferentes estudos, já se passaram 3 anos e meio e a licença prévia não foi aprovada.

Numa última cartada o German, que é presidente Grupo Synergy – proprietário do projeto do Eisa Alagoas- aceitou mudar a área para a construção do estaleiro por recomendação do próprio Ibama.

Apesar de ter aprovado preliminarmente a implantação do empreendimento na área 5D, mesmo tendo realizado a audiência pública em Coruripe, em fevereiro deste ano, com resultado foi favorável ao Eisa, o Ibama apegou-se, digamos, a um pequeno detalhe para não liberar a licença prévia.

No parecer técnico 003619/2013, de 6 de março de 2013, o Ibama aprova o Relatório de Impacto ambiental e sinaliza com a licença prévia, mas ressalta que  “faz-se necessário que esclarecimentos adicionais sejam apresentados a este Instituto”.

O texto do parecer você pode acessar neste link http://wp.me/p2Awck-F3.

Junto com representante do governo de Alagoas,os representantes do  Eisa tentaram convencer o Ibama a liberar logo a licença prévia para a instalação do  estaleiro em Coruripe, deixando o estudo complementar para depois. Mas não teve jeito.

Na última semana German conversou com o secretário da Seplande, Luiz Otávio Gomes, e avisou que mantém o projeto em Alagoas e que não vai desistir mesmo com todas as dificuldades apresentadas pelo Ibama.

“O Estudo sobre as correntes marinhas está ficando pronto e será apresentado ao Ibama em junho. Depois disso acreditamos que a licença finalmente sairá em julho. Nós vamos insistir na implantação do projeto em Alagoas”, teria dito German a Luiz Otávio Gomes.

Expectativa

De acordo com Luiz Otávio Gomes, a  licença prévia é apenas o começo do processo. Depois, o Ibama ainda terá que analisar outros documentos, até sair a licença para a construção e operação do empreendimento. “O que nós pedimos foi a liberação da licença prévia, o que permitiria avançar o processo, enquanto o estudo complementar era realizado”, explica o secretário da Seplande.

Como não foi possível de convencer a diretora de licenciamento o órgão, Gisela Damm Forattini. “Infelizmente ela se mostrou irredutível e o resultado é que a licença prévia deve demorar mais alguns meses para sair. Se tudo correr bem, esperamos que essa liberação ocorra, finalmente, em julho deste ano”, aponta o secretário.

O prefeito de Coruripe, Joaquim Beltrão, também lamenta a demora do Ibama: “vamos ter que esperar mais. Já fizemos tudo que tinha de ser feito, todas as exigências do Ibama foram cumpridas. Não podemos fazer outra coisa, agora, a não ser esperar mais um pouco”, afirma.

COMENTÁRIOS
4

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. júnior

    EU trabalho no eisa do rio de janeiro e te falo quando esse estaleiro estiver pronto vai melhorar muito a cidades dano enpregos e condicoes melhores ao povo de alagoas eu so um que não vejo a hora de esta pronto pra mim poder ir pra ir pra gente conquista muitos navios com as mehores qualidades

  2. PêCê

    EDIVALDO, A VERDADE É QUE NOSSAS MATAS E FLORESTAS ESTÃO SENDO DESTRUÍDAS TODOS OS DIAS, PELAS USINAS, PELOS FORNECEDORES DE CANAS, PELOS FAZENDEIROS, PRO PLANTIO DE PASTAGEM E NENHUM DESSES ÓRGÃOS QUE SE DIZEM SÉRIOS, ESTÃO SE IMPORTANDO….
    E QUANTO A LIBERAÇÃO DA LICENÇA AMBIENTAL PRO ESTALEIRO, NÃO SEJA NEM BUROCRACIA DO IBAMA. TEM POLÍTICOS DIFICULTANDO A VINDA DESSE EMPREENDIMENTO PRA ALAGOAS. UM É O MANDÃO DO IBAMA E O OUTRO MANDA LÁ EM BRASÍLIA…
    SÓ SE IMPORTAM COM INTERESSES PRÓPRIOS E NÃO PELA VONTADE DO POVO…

Comments are closed.