Parceria entre Bob Lyra e Grupo João Lyra deve ser anunciada nos próximos dias
   10 de maio de 2013   │     13:50  │  1

A parceria entre os empresários Robert Lyra, da Delta Sucroenergia, e João Lyra, presidente do Grupo JL, parece que já foi definida. O que falta, agora, aparentemente são definir os detalhes para concretizar a operação.

Desde que as negociações foram tornadas púbicas, em abril deste ano, uma equipe de técnicos da Delta Sucroenergia foi deslocada para Alagoas. Advogados, agrônomos, engenheiros e contadores trabalham em ritmo acelerado para fechar relatórios e definir um plano de viabilidade para as cinco usinas do Grupo João Lyra.

O Blog entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da  Delta Sucronenergia. “Existe uma equipe permanente em Alagoas analisando as Usinas. Os advogados da empresa informaram, que provavelmente, semana que vem terão novidades sobre o acordo e a possível parceria”, disse a responsável pelo setor.

A palavra “parceria” usada em notas oficiais tanto por Bob Lyra quanto por João Lyra indica que o acordo a ser feito pode ser o arrendamento das cinco usinas – e não apenas as duas indústrias de Minas Gerais, como se especula – com opção de compra.

As negociações, no entanto, ainda estão cercadas de dúvidas, em função das dificuldades enfrentadas pelo grupo alagoano. Segundo especialistas, as empresas de João Lyra, em processo de recuperação judicial e sob ameaça de decretação de falência, devem mais de R$ 1 bilhão a bancos, fornecedores de cana e trabalhadores, além de dívidas com fornecedores do comércio e serviços.

Leia a nota do grupo JL divulgada no dia 23 de abril

“A presidência do Grupo João Lyra, através do empresário João Lyra, em conjunto com a presidência do Grupo Delta Sucroenergia, através do seu presidente Robert Lyra, vem à público informar que estão em avançado processo de negociação e que poderão em breve anunciar ao mercado a conclusão desta parceria. João Lyra, presidente do Grupo JL”.

Leia a nota da Delta, divulgada no 1º de maio

“Desde o dia 19 abril, conforme nota assinada pelo Presidente do Grupo JL, estamos discutindo a formatação de potencial parceria entre nossas empresas. As negociações nunca foram suspensas e seguem no ritmo esperado em negócios com essa complexidade.  Reafirmamos o nosso integral compromisso com a ética, respeito às Instituições, à sociedade, ao mercado e, especialmente, a todos os que fazem o Grupo JL. Robert Lyra -Presidente Delta Sucroenergia”.

Um crise que afeta 3 empresas e mais de 10 mil empregos em Alagoas

O mercado especula que Bob Lyra pode assumir o comando  de todas as cinco usinas do Grupo JL. São três unidades em Alagoas (Uruba, Guamuxa e Laginha) e duas em Minas Gerais (Vale do Parnaíba e Triácool). Somente em Alagoas as empresas são responsáveis pela geração, hoje, mesmo com a crise, de mais de 10 mil empregos diretos.

O controle seria assumido por Bob através de arrendamento, transferência do controle de 50% mais um das ações do Grupo JL. Os detalhes não foram revelados.

A crise financeira que afeta o Grupo João Lyra, que já foi um dos maiores do Brasil, se agravou a partir de 2008, quando o empresário fez um pedido de recuperação judicial (antiga concordata) para negociar dívidas com bancos – inclusive internacionais. O valor do débito é desconhecido. Só com um banco da Inglaterra passa dos US$ 70 milhões. A dívida total, incluído débitos com fornecedores, passaria de R$ 1 bilhão.

A parceria com Robert Lyra, que vem negociando com João Lyra, segundo pessoas ligadas aos dois empresários, desde fevereiro deste ano, poderá estacar a crise  no grupo e marcar o começo da recuperação das empresas em Alagoas e Minas Gerais.

Há quem diga que o maior interesse de Robert seria assumir, de imediato, o controle das duas usinas Minas Gerais, onde a Delta já atua. Como não foram fornecidos maiores detalhes essa hipótese continua no campo da especulação.

Quem é Robert Lyra

Empresário com atuação em MG (onde controla três usinas e uma produção de mais de 10 milhões de toneladas por safra), Bob Lyra é filho de Carlos Lyra e sobrinho de João Lyra. Ele atuou em Alagoas até a década passada e, depois de entendimentos com a família, concentrou seus negócios em Minas Gerais. Bob é considerado um empresário arrojado, bem ao estilo do seu pai e do seu tio, nos tempos áureos.

Perspectivas

O Grupo JL, como se sabe, enfrenta uma crise financeira e um processo de falência. A associação com a Delta pode reverter o processo falimentar, com a recuperação das unidades industriais. O potencial de produção em Alagoas é de 3 milhões a 4 milhões de toneladas de cana própria. Em MG o potencial de processamento de cana é maior, dependendo da capacidade de investimentos.

A dívida do Grupo JL é desconhecida oficialmente, mas é estimada por quem conhece o processo de recuperação judicial, em mais de R$ 1 bilão. A maior parte do débito é com bancos, mas socialmente o maior problema é a dívida com fornecedores, principalmente de cana, e trabalhadores. Atualmente o pedido de falência do grupo, que está sendo julgado no TJAL, está suspenso por conta de um pedido de vistas do desembargador Tutmés Airan.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. cicero josé da silva junior

    QUANDO AGENTE PENSA QUE ESTA ACABANDO
    A CRISE DE FALENCIA DO GRUPO ESTA SO COMESANDO
    ESE JOAO LYRA ESTA SO QUERENDO GANHAR TEMPO
    DA JUSTIÇA INVENTOU ESA COISA DE ARENDAMENTO
    COM BOB LYRA PARA GANHAR TEMPO DA JUSTIÇA
    E AJUSTIÇA NEM SITOCOU AINDA

Comments are closed.