Com novas filiações, PSB pode formar maior bancada na Assembleia
   13 de maio de 2013   │     21:32  │  0

O deputado federal Alexandre Toledo, PSDB-AL, vai sim se filiar ao PSB de Eduardo Campos na primeira quinzena de junho. Mas ele, como já antecipei, não vai sozinho.

Pelo menos dois outros deputados estaduais tucanos podem acompanhar Toledo na mudança de legenda: Inácio Loiola e Val Gaia.

Outro deputado tucano que tem fortes ligações com Alexandre, o presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Toledo, já avisou que continua onde está.

Já outro deputado como sobrenome igual mas linha divergente pode migrar para a nova legenda. Sérgio Toledo está no PDT, assim Isnaldinho Bulhões. Os dois são cotados para ir para o PSB, assim como outros nomes ainda mantidos “em sigilo”.

Tudo vai depender da avaliação legal. Se os deputados tiverem segurança que podem mudar de partido sem o risco de incorrer na infidelidade partidária, o PSB que hoje não tem nenhum deputado estadual passaria a ter a maior bancada da ALE com quatro deputados.

Hoje o maior partido na Casa é o PSDB, com seis deputados. Como a legenda pode perder dois ou três deputados para o PSB, passaria a ter banda igual ou menor.

O governador de Pernambuco já acertou as filiações e ficou apenas de definir data na agenda para vir a Alagoas participar do ato.

No PSB Toledo poderá ser candidato a qualquer posição. Ele já recebeu o sinal verde de Kátia Born, Alberto Sextafeira e Givaldo Carimbão.

Imbróglio jurídico

Toledo poderia perder o mandato por infidelidade partidária? O governador de Pernambuco colocou sua assessoria para orientar o deputado. Os advogados acham que ele não corre o risco porque o PSB fez parte da mesma coligação do PSDB em 2010. A mesma lógica valeria para alguns deputados estaduais.

Está tudo combinado

Em tese só existe risco da infidelidade partidária se o partido entrar com o pedido no TRE. Toledo, é claro, não vai mudar de legenda se não tiver um passe livre de Téo Vilela, que controla o PSDB em Alagoas.