Vingança nordestina: produtores de cana vão vetar Dilma em 2014
   13 de maio de 2013   │     14:55  │  8

O veto da presidente Dilma Rousseff à subvenção que deveria atender 21 mil fornecedores de cana do Nordeste, sendo 7,4 mil somente em Alagoas, era desdobramentos – inclusive eleitoral.

“A atitude da presidente foi contra o Nordeste. Como ela pode vetar os R$ 10 da subvenção num momento em que enfrentamos a maior seca em mais de 50 anos?” questiona o presidente da Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas (Lourenço Lopes).

Sem outra alternativa, os produtores de cana do Nordeste decidiram protestar. Eles vão protestar contra o veto de Dilma Rousseff na visita que ela fará a Pernambuco, no próximo dia 20, para inaugurar um estádio de futebol.

“Vamos vetar a Dilma Rousseff em 2014. Ele ganhou a eleição graças ao voto do Nordeste e não poderia tomar essa atitude contra o produtor nordestino”, desabafa Lopes.

A mobilização

A Asplana promove uma reunião com fornecedores do estado na próxima quarta-feira pela manhã em sua sede, no bairro de Jaraguá, para discutir detalhes da mobilização em Pernambuco.

“Vamos levar 15 ônibus de Alagoas para Pernambuco. Vão participar fornecedores de todo o Nordeste. Esse veto da presidente não vai passar em branco. Vamos botar para empenar”, aponta Lopes.

A subvenção

O protesto dos fornecedores de cana do Nordeste é coordenado pela União Nordestina dos Produtores (Unida). A revolta é porque eles conseguiram aprovar uma emenda na Câmara Federal e no Senado que reajustava para R$ 10 o valor da subvenção por tonelada de cana pago aos fornecedores do Nordeste. O subsídio seria referente à safra 11/12 e limitado até dez mil toneladas, por produtor.

Há três anos, os fornecedores participam do programa de subvenção da Companhia Nacional de Abastecimento, oriundo da fonte orçamentária OC2 do Ministério da Agricultura. Por cada tonelada, o produtor recebia R$ 5.

Faltou empenho da bancada?

No ano passado a subvenção foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff graças, segundo Lourenço Lopes, ao empenho de Renan Calheiros.

Agora, com o senador na presidência do Congresso Nacional a presidente vetou a emenda da subvenção frustrando mais de 21 mil fornecedores de cana, a ponto de deixar a categoria desorientada.

A subvenção econômica injetaria mais de R$ 120 milhões na região, sendo quase metade desse valor em Alagoas. O veto gerou revolta.

“Na hora que a gente mais precisa e que esperava um apoio do governo federal, a presidente decide pelo veto a subvenção. Diante das dificuldades financeiras que os fornecedores de cana nordestinos enfrentam, agravada pela seca, não concordamos com essa decisão”, declarou Lopes.

O presidente da Asplana diz que os fornecedores vão cobrar um maior empenho da bancada federal do Nordeste na questão. “Se for preciso, que derrubem o veto. Mas não podemos é aceitar calados esse veto”, emenda.

A Asplana e a Unida também vão esperar por um posicionamento do senador Renan Calheiros: “nossa proposta será entregue ao presidente do Senado na próxima quarta-feira pela AMA”, adianta.

COMENTÁRIOS
8

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Miral

    Este é o capitalismo brasileiro. Criticam a intervenção do Estado na economia, ganham rios de dinheiro durante longo período de tempo, compram carrões. mansões, viagens internacionais e, ao sinal das primeiras dificuldades, vão recorrer a quem? Ao Governo.
    Durma com um barulho desse!!!
    É a privatização dos lucros e a socialização dos prejuízos.

  2. juan

    A ASPLANA deveria fazer um movimento para os fornecedores receberem a cana no seu preço total, e, não parcelados como fazem os usineiros com o fornecedor, aí sim. Mas, cobrar subvenção do governo federal é querer mamata. Movimento prá todos os agropecuaristas receberem subvenções!!!!

  3. amigo do povo

    Estes tubarões que estão reclamando, não são gente necessitada, com toda a certeza. Querem e trocar de carro e pegar um cruzeirinho as custas do Governo Federal. que se danem, isso mesmo : Vão LAMBER SABÃO>

  4. PêCê

    NÃO SÓ OS PRODUTORES, MAS TAMBÉM TODOS NÓS, BRASILEIROS, DEVEMOS VETAR ESSA ‘DITADORA’ QUE SÓ ESTÁ TRAZENDO DESGRAÇAS AOS PAÍS, PRINCIPALMENTE PRA ALAGOAS…
    NÃO TEMOS INDÚSTRIAS, NÃO TEMOS SEGURANÇA, SAÚDE, EDUCAÇÃO E OUTROS NOSSOS DIREITOS DE CIDADÃOS QUE NOS FORAM TIRADOS…
    NEM MONTADORAS, NEM REFINARIA, NEM ESTALEIRO, NEM MINERADORA.
    O QUE TEMOS É UM BANDO DE HIPÓCRITAS E DEMAGOGOS POLÍTICOS…
    EU NÃO VOTO EM MAIS PORRA DE POLÍTICO NENHUM…
    (DESCULPA A EXPRESSÃO).

  5. Revoltado

    Sua excelencia, o senador, só olha para o próprio umbigo. Ele agora não precisa mais de produtor rural para nada. Essa subvenção não sai é nuna!

  6. Produtor incrédulo

    Kd o Renan? Kd o nosso senador, tão poderoso? Agora que ele chegou a presidencia do senado esqueceu dos alagoanos.
    Se ele é tao amigo da dilma, como voce vive dizendo, ela não deveria ter vetado essa lei.
    Eu nao acredito mais nesses politicos de alagoas.

  7. Júlio

    Brasil é mesmo um país de corporações de ofícios.

    Após ter lucros recordes na década passada nunca vi ou ouvi a Asplana propor uma distribuição desses lucros para a população em geral. Economia de mercado é isso, há períodos de alta e baixa. Se está em período de baixa e não guardou gordura (poupança) nos tempos de fartura, vão aos bancos e busquem crédito.

    O que não pode é subsidiar esses rent-seekers(Asplana) sem nenhuma contrapartida.

Comments are closed.