Exclusivo: definida inauguração do primeiro estaleiro de Alagoas
   18 de maio de 2013   │     14:10  │  7

 O “estaleiro” da Tomé Ferrostaal está pronto. Para unidade começar a funcionar só faltava um detalhe: marcar a inauguração. A unidade que vai fabricar módulos do tipo FPSO para a Petrobras ocupa uma área de 66 mil m2 no Porto de Maceió, além de alguns armazéns.

A data foi definida por Rosiana Beltrão. Nessa sexta a administradora do Porto bateu martelo, depois de consultar a agenda do governador: “será no dia 7 de junho”, avisa. Embora a iniciativa seja do porto, que é federal, Rosiana acredita que é fundamental a presença de Teotonio Vilela Filho no evento.

A unidade da Tomé-Ferrostal será o primeiro”estaleiro” do Estado. A unidade, primeira indústria naval de grande porte de Alagoas, começa a operar com 700 colaborares e deve chegar a mais de dois mil trabalhadores em até dois anos, quando o “estaleiro” vai operar a plena capacidade. Os investimentos na unidade foram de R$ 80 milhões.  

Comida quente e segurança

No dia da inauguração todos os convidados vão comer no restaurante da unidade, montado dentro do Porto. O funcionamento do “estaleiro” unidade vai mudar a rotina no Porto de Maceió, mas não será problema.

Rosiana Beltrão está cuidando, com sua equipe, de todos os detalhes: “não podemos descuidar da segurança em nenhum momento”, avisa. Entre os cuidados, ela anuncia a construção de uma passarela em frente ao Porto, para facilitar a entrada e saída dos trabalhadores.

Antaq

O “estaleiro” ou como preferem os empreendedores, a “unidade industrial” do consórcio da Tomé-Ferrostaal funcionará em área arrendada no Porto de Maceió pelos próximos 5 anos – pelo menos.

A indústria vai montar plataformas FPSO (Unidades Flutuantes de Produção, Armazenamento e Descarga), módulos que serão utilizados na exploração do pré-sal. Os contratos com a Petrobras passam de US$ 1 bi com e podem chegar a US$ 1,55 bilhão.

Os módulos serão utilizados em alto mar, na exploração de petróleo.

O “estaleiro” do consórcio ocupa uma área de 66 mil m2 no Porto, além de vários galpões, onde serão montadas unidades auxiliares. A unidade tem contratos para operar pelo menos pelos próximos cinco anos.

Outra unidade

A administradora do Porto, Rosiana Beltrão, confirmou também, recentemente o início da construção da unidade da Jaraguá Naval: “quando estiver pronta, a Jaraguá vai construir equipamentos que serão utilizados pelo consórcio Tome-Ferrostaal”, adianta.

A Jaraguá Naval arrendou uma área de 23 mil m2 no Porto de Maceió para a montagem do primeiro projeto totalmente nacional na área a em Alagoas  (Além do consórcio que tem participação alemã, o Eisa é do Synergy, um grupo colombiano.

A Jaraguá Naval nasceu a partir da Jaraguá Equipamentos, indústria metal-mecânica  com sede em São Paulo e filial no polo de Marechal Deodoro. A unidade alagoana é uma espécie de “fábrica de fábricas” e já movimentou mais de R$ 1 bi só no fornecimento de equipamentos para refinarias da Petrobras.

No novo negócio a Jaraguá vai fornecer equipamentos para a consórcio Tomé-Ferrostaal. A unidade, com investimentos de R$ 15  milhões, deve gerar segundo seus diretores pelo menos 250 empregos diretos.

COMENTÁRIOS
7

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. S.F.LIMA

    TAMBÉM NÃO É SÓ POR AÍ QUE DEVEMOS PARAR,NO BENEDITO BENTES E EM RIO LARGO CONTINUAM COM SEUS CEMITÉRIOS CLANDESTINOS DE ENTERRAR GENTE POR ENCOMENDAS.ISSO SIM É UM ESTADO QUE CORRE CONTRA O TEMPO.E O ALAGOAS TEM PRESSA JÁ DEIXOU DE EXISTIR.ABAIXO ESSE DESGOVERNADOR THEO BALELA, QUE NADA FAZ ,APENAS VIVE DE MENTIRAS.

  2. luciana sarmento

    Mais uma prova da confiabilidade que o governador Teotônio Vilela,trouxe para Alagoas,tem que chamar sim, o governador para a inauguração do evento que vem se juntar a mais outras dezenas de industrias e empreendimentos atraídos pelo governo,através do seu secretário Luiz otávio,deveria chamar quem ? nossa bancada federal ?incluindo aí nossos senadores?

  3. PêCê

    PETROLEIRO, EU SOUBE QUE NOS MARES DE ALAGOAS, JÁ FORAM PERFURADOS VÁRIOS POÇOS DE PETRÓLEO, E COM EXPECTATIVAS SUPERADAS, FORAM ENCONTRADOS MUITO PETRÓLEO E ALAGOAS É IMPEDIDA DE EXPLORAR ESSE POTENCIAL, A MANDO DOS POLÍTICOS DAQUI.
    E QUANTO AO ESTALEIRO EISA, ACHO QUE JÁ PERDEMOS ESSE MEGA EMPREENDIMENTO PRA OUTRO ESTADO MAIS INTELIGENTE E ATIVO QUE ALAGOAS.
    POIS TEMOS UM ESTADO BURRO E MORTO PRO DESENVOLVIMENTO, A NÃO SER A CORRUPÇÃO SEM PUNIÇÃO E A PISTOLAGEM…

  4. muda de idéia

    ROSIANA, MUDA DE IDÉIA. CONVIDAR ESSE GOVERNDOR PARA UMA SOLENIDADE DE TAL PORTE -E DÁ LOUROS UMA PESSOA SEM CRÉDITO ALGUM POR PARTE DOS ALAGOANOS. ESQUEÇA ELE E SUA CÚPULA NEFASTA, QUE NÃO GOVERNA NADA PARA O ALAGOANO.

  5. petroleiro

    A Petrobras acabou de adquirir na 11 rodada da ANP, dois blocos de exploração no litoral norte, para aumentar a produção de gás. Na 12 rodada vai ter bloco do mar de Alagoas. Alagoas tem muito óleo e gás. Falta cobrar dos governos e principalmente dos chefes do Senado, que podem facilmente conseguir muitos investimentos na área de petroleo para Alagoas. Temos um grande potencial off-shore, mas se o EISA realmente sair do papel ai sim entramos bem no meganegocio do petroleo

Comments are closed.