Mantega anuncia a Renan subvenção da cana e do etanol
   20 de maio de 2013   │     16:10  │  0

A assessoria do senador Renan Calheiros distribui nota confirmando informação antecipada neste blog: a liberação da subvenção para o fornecedor de cana do Nordeste e também a também a equalização para as indústrias de etanol.

De acordo com lideranças do setor canavieiro, Renan Calheiros, teve participação destacada na subvenção da cana. “Em todos os momentos o senador esteve ao nosso lado. A participação de Renan Calheiros foi fundamental para viabilizar a subvenção”, aponta Lourenço Lopes, presidente da Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas (Asplana).

A subvenção (daqui a pouco darei maiores detalhes) foi publicada hoje no DO da União na MP 615 e vai socorrer os fornecedores cana e produtores de etanol que enfrentam dificuldades em função da estiagem.

 

RENAN COM LOURENÇO LOPES

Renan recebe representantes dos plantadores de cana do Nordeste que foram à presidência do Senado pedir apoio à subvenção

 

A seguir você lê o texto distribuído pela assessoria do senador Renan Calheiros:

Ministro Mantega anuncia a Renan que valor por tonelada será de R$ 12; o que representa 140% a mais que em 2012

A subvenção econômica da atividade canavieira para pequenos e médios produtores de cana-de-açúcar, referente à safra 2011/2012, será concedida no valor de R$ 12,00, por tonelada de cana, para os produtores independentes afetados pela seca no Nordeste. A confirmação do benefício foi transmitida pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, em telefonema ao senador Renan Calheiros, presidente do Senado.

Em três anos, o governo federal concedeu R$ 5,00 por tonelada de cana. Na atual formalização, com a cultura da cana sofrendo nos últimos meses com as perdas provocadas pela estiagem, que já são de 30% a 60% da produção, a subvenção terá acréscimo de 140% no limite de até 10 mil toneladas. Para o senador Renan, “uma grande e merecida conquista de aproximadamente 17 mil plantadores nordestinos”.

Em Alagoas, de acordo com o senador, a subvenção beneficiará mais de 7 mil produtores, injetando cerca de R$ 100 milhões na economia estadual. “Um considerável alívio para um dos setores que mais sofrem com a seca, como vimos no relato apresentado por Lourenço Lopes (presidente da Asplana) no seminário ‘Alagoas: realidade e perspectivas’ realizado no dia 10 na cidade de Santana do Ipanema”, valiou Renan.

A continuidade do programa de subvenção da cana é uma das reivindicações da Carta do Sertão que resultou do seminário. O documento foi aprovado por todos que participaram do fórum. Entre eles, dois senadores, cinco deputados federais e oito estaduais; 89 prefeitos, mais de 400 vereadores, dezenas de vice-prefeitos, ex-prefeitos, presidentes de federações, de cooperativas, sindicatos e de outras entidades de classe.

Renan, que teve vários encontros com o ministro da Fazenda e até mesmo com a presidente Dilma para tratar da situação apreensiva dos plantadores de cana, anuncia seu contentamento com o desfecho do pleito. “Conversei com o Lourenço, que me transmitiu também sua alegria, em nome dos plantadores nordestinos, com a continuidade da subvenção garantida pelo governo”, disse o senador.

Etanol

Além da subvenção econômica da cana, ele anunciou, também, que Alagoas e os demais estados nordestinos terão o estímulo de R$ 0,20 por litro de álcool da subvenção autorizada para o Centro Oeste e o Sudeste. “A nossa região tinha ficado fora desse estímulo, mas com a participação direta da presidente Dilma nessa decisão, as indústrias de açúcar e álcool de Alagoas foram incluídas no benefício”, comemorou.

Outro assunto na área agrícola que consta da Carta do Sertão e que Renan espera uma solução o mais rápido possível, é a questão da dívida dos pequenos produtores do Semiárido anteriores a 2001. “A presidente Dilma atendeu à renegociação de todas as dívidas, mas deixou de fora aquelas contraídas antes de 2001. Este é o próximo desafio que precisamos resolver”, disse o senador.