Monthly Archives: junho 2013

Dilma se sustenta em eleitores nordestinos, mais velhos e mais pobres
   30 de junho de 2013   │     21:26  │  4

O movimento pela volta do presidente Lula dentro do PT deve ganhar força a partir de agora. A divulgação da pesquisa do Datafolha, ontem, mostra a presidente Dilma Rousseff iria para o segundo turno contra Marinha, enquanto Lula venceria no primeiro turno em qualquer situação. A pesquisa você vê neste link: http://migre.me/fg1B3

A situação de Dilma só não é pior por conta no Nordeste. A presidente tem 45% na região. Em compensação Dilma Rousseff tem apenas 22% no Sudeste, 27% no Sul e 28% no Norte/Centro-Oeste.

Dilma Rousseff perderia no Sudeste para Marina Silva, se Eleição fosse hoje. A presidente só tem bom desempenho, fora do Nordeste, entre os eleitores mais velhos, mais pobres e com menor grau de instrução.

Mantido esse quadro, o PT e a base aliada deve continuar pressionado pela volta de Lula já em 2014.O movimento existe e é maior do que aparenta. Hoje a ministra da Casa Civil foi a imprensa para dizer que Lula não é candidato e que o PT vai trabalhar  para reeleger Dilma.

Anote aí: a militância do PT não vai se mexer um milímetro para reeleger Dilma Rousseff. Mas se o candidato for Lula, a história é outra.

Jornalista revela novos dados sobre a pesquisa

O jornalista Fernando Rodrigues, que tem blog no UOL/Folha divulgou hoje (http://migre.me/fg26U) dados detalhados da pesquisa: “Quando se faz um recorte na taxa de intenção de voto de Dilma Rousseff para presidente (29% a 30%, segundo o Datafolha), nota-se que a presidente se sustenta com base em eleitores do Nordeste, mais velhos, menos instruídos e os que vivem no interior.

Veja o que acontece com os 30% Dilma Rousseff quando se estratifica o resultado:

– Região: a presidente tem 45% no Nordeste contra apenas 22% no Sudeste, 27% no Sul e 28% no Norte/Centro-Oeste;

– Natureza do município: Dilma tem 24% em capitais e regiões metropolitanas e 34% em cidades do interior;

– Idade: a petista tem 33% entre os eleitores de 60 anos ou mais e 27% na faixa de 16 a 24 anos;

– Escolaridade: Dilma tem 38% dos votos dos eleitores com ensino fundamental, mas só 19% daqueles que têm curso superior;

– Renda familiar mensal: a presidente recebe o apoio de 36% da faixa até 2 salários mínimos e 19% no grupo que ganha mais de 10 salários mínimos.

http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2013/06/30/eleitores-do-nordeste-mais-velhos-menos-instruidos-e-pobres-e-do-interior-sustentam-dilma-rousseff/

Confira a Tabela (no blog do Fernando Rodrigues você pode ver outras: http://migre.me/fg26U)

Veja a tabela do Datafolha com todos esses dados (clique nas imagens para ampliar) apurados no levantamento de 27 e 28 de junho, com 4.717 pessoas em 196 cidades país (e margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos):

Datafolha-Regiao-PorteCidade-27-28jun2013

Padrão FIFA no Maracanã: 1 policial para cada 7 pessoas, já nas ruas…
     │     16:53  │  2

Quanto o governo federal já gastou com a Copa do Mundo? Ninguém sabe e nem saberá, realmente. Sabemos, até que o Congresso Nacional atenda “as vozes das ruas” e faça uma CPI, que os gastos revelados são de R$ 33 bilhões (sendo grande parte destinados à construção dos estádios de futebol no “padrão Fifa”).

Mas os gastos do poder público com a Copa não se resumem apenas a construção estádios suntuosos e alguns até classificados de elefante branco (caso do Mané Garrincha em Brasília, onde praticamente não tem futebol). O governo também gasta com publicidade, serviços de apoio e, principalmente, com segurança.

A segurança que é escassa nas ruas de todo o país beira ao exagero nos estádios.

Neste domingo, dia da final da Copa das Confederações, o Maracanã, que tem capacidade para 76 mil torcedores, está sendo protegido por um verdadeiro exército. São 11 mil homens da PM (pagos pelo Estado) e Força Nacional (pagos pela União), segundo números divulgados hoje a tarde pela Globo News.

Isso sem falar nos policiais civis e federais, que trabalham “a paisana”, além de homens do Exército, Marinha e Aeronáutica que estão de prontidão. Quanto isso custa? Não sei. Quem vai pagar? Todos nós, com certeza.  Mesmo que não gosta de futebol ou de copa, paga a conta.

Essa é mais uma das exigências da FIFA. Ou o Brasil obedece, ou não tem copa.

Quem não lembra do caso Jérôme Valcke. Ele disse que o Brasil e os brasileiros mereciam um chute no traseiro pelo atraso nas obras da Copa. Em entrevista no dia 3 de março do ano passado o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, reagiu e avisou que o governo não aceitaria mais Valcke como interlocutor da FIFA.

Conversa. Jérôme Valcke voltou e manda em tudo, até no número de policiais que o Brasil precisa botar na frente dos estádios.

Faça as contas: dá um policial para cada 7 pessoas. Nem mesmo a segurança do presidente Obama ou do Papa Francisco é tão exigente quanto a da FIFA, que impõe um isolamento de 3 km.  Andando a pé, dá meia hora. De carro, dez minutos.

Repito aqui uma frase que fez sucesso nas manifestações de ruas (queremos estádios e escolas no padrão FIFA) com um adendo: queremos segurança no padrão FIFA.

Lula não é candidato, diz ministra mais próxima de Dilma: e agora, PT?
     │     14:07  │  2

O cenário está sendo desenhado de forma inesperada. A base de apoio do governo federal no Congresso Nacional em peso não aguenta mais Dilma Rousseff e quer o ex-presidente Lula de volta.

A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffman – aquela que bateu boca no telefone com Renan Calheiros – a mais importante força do governo depois da presidente, tratou logo de desmentir a possibilidade de Lula ser o candidato a presidente do PT em 2014 e não Dilma Rousseff.

O que impedia essa possibilidade? A alta popularidade da presidente, que chegou ao recorde histórico de 65% em março deste ano. Mas aí vieram as manifestações (há quem diga que tem gente do PT por trás, você acredita?) e Dilma Rousseff desce, como previu João Caldas, de elevador.

Na primeira pesquisa (leia o texto anterior) após as manifestações, Dilma Rousseff aparece com 30%, enquanto Lula, com 46%, seria o único capaz de vencer as eleições no primeiro turno.

No site Brasil 247 o nome de Lula já foi apresentado como alternativa para o atual grupo  que governa o país não perder o poder.

Lula, além de ter o “PT na mão”, tem ainda a completa preferência dos outros partidos da base aliada, especialmente o PMDB de Renan Calheiros e Romero Jucá. Luiz Inácio seria, hoje, o único nome capaz de manter a base aliada.

Se Dilma Rousseff for candidato é provável que provoque um racha na base, com a saída do PSB e PSD, podendo ainda perder PP,PR e pelo menos parte do PMDB que faria campanha nos estados para outros candidatos.

Negando o óbvio

Em meio a crescente especulação de que Lula será o candidato a ministra saiu-se com essa: “O Lula não é candidato. A presidente é a nossa candidata. Todos estarão na campanha. O que nós precisamos agora é trabalhar cada vez mais. O povo trabalha, sofre no dia a dia para cumprir com compromissos. Cabe a nós honrar o cargo, seja em qualquer esfera de poder. Ficar especulando, fofocando, divulgando mágoas não serve ao país, nem é digno de quem tem responsabilidade de função pública”, disse a ministra, ao jornal O Globo.

Ao fazer questão de afastar essa hipótese, a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, estaria tentando dar um recado para todas as lideranças políticas de dentro e de fora do PT. Resta saber se esse recado será ouvido por alguém.

Depois da divulgação da pesquisa do Datafolha, nesse sábado, Dilma Rousseff convocou os ministros Aloizio Mercadante (Educação), Paulo Bernardo (Comunicações) e Helena Chagas (Comunicação Social) para avaliar os números.

Por enquanto o Palácio do Planalto acredita que não há razão para pânico. E você, o que acha?

Teoria confirmada: Dilma despenca e Lula deve ser o candidato do PT
   29 de junho de 2013   │     21:35  │  4

Há uma semana publiquei o texto “A teoria da conspiração: movimento seria ação de Lula contra Dilma Rousseff” para comentar uma versão que ouvi de algumas pessoas: “dizem que quem está organizando tudo é a turma do PT que não quer mais a Dilma. É tudo armação para desgastar o governo e trazer o Lula de volta já no ano que vem”.

Não é possível assegurar que “alguém muito importante” do PT tenha contribuído para desgastar Dilma Rousseff e seu governo.

Mas pelo menos num ponto a “teoria” está certa: Dilma despenca pro fundo do poço, enquanto Lula é o único candidato que venceria, hoje, as eleições para presidente no primeiro turno.

A pesquisa do Datafolha divulgada neste sábado mostra que a popularidade da presidente Dilma Rousseff despencou de 57% para 30% (em março deste ano era 65%). A avaliação de ruim/péssimo que era de 7% aumentou para 25%.

O texto completo sobre a pesquisa você pode ler neste link:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1303541-popularidade-de-dilma-cai-27-pontos-apos-protestos.shtml

Lula pode e deve ser o candidato a presidente do PT

No cenário atual, a presidente Dilma Rousseff não só perdeu popularidade, mas também perdeu intenções de voto. A mesma pesquisa mostra que se as eleições fossem hoje ela teria apenas 30% e iria para o segundo turno com Marina Silva (23%). Aécio Neves ficaria com 17% e Eduardo Campos com 7%.

Em todos os cenários montados da pesquisa, Dilma teria 16 ou 17 pontos percentuais a menos que seus adversários somados, o que levaria a eleição para o segundo turno.

Quando o cenário inclui o nome de Lula, no lugar de Dilma Rousseff, a história se reverte e o ex-presidente teria, se as eleições fossem hoje, 46%, seguido de Marina (19%), Aécio (14%) e Eduardo (4%). Lula teria 9 pontos a mais do que a soma de seus adversários (37%).

O site Brasil 247, que é simpático ao PT (o 247 é uma soma que dá em 13)avalia que “nas próximas horas, dias, semanas… uma única questão estará colocada no ambiente político: o ex-presidente Lula voltará ou não já em 2014? Se faltava um argumento nessa direção, ele está também colocado nos números da pesquisa Datafolha, que será divulgada amanhã pela Folha de S. Paulo, em sua edição impressa, mas está sendo antecipada, agora, pelo 247.

No levantamento, o Datafolha fez simulações incluindo o nome do ex-presidente Lula como presidenciável. Ao contrário da presidente Dilma Rousseff, ele venceria seus adversários em primeiro turno”.

E continua:” mesmo com a inclusão de Joaquim Barbosa entre os presidenciáveis, Lula continuaria vencendo em primeiro turno; resultado, melhor do que o da presidente Dilma, terá consequência óbvia: Lula será pressionado pelo PT e por partidos da base aliada a retornar ao jogo político, antes do que se previa; será que ele topa disputar mais uma eleição?”.

O texto completo e os cenários você pode ver no link a seguir:

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/107025/Lula-venceria-no-primeiro-turno-E-agora-PT.htm Confira os cenários do Datafolha:

 

1) Lula, Marina, Aécio e Eduardo

Lula                               46%

Marina Silva                   19%

Aécio Neves                   14%

Eduardo Campos             4%

Total Lula                     46%

Total adversários          37%

Diferença                      9 pontos

 

2) Lula, Marina, Aécio, Eduardo e Joaquim Barbosa

 

Lula                               45%

Marina Silva                   14%

Joaquim Barbosa            13%

Aécio Neves                   12%

Eduardo Campos             4%

Total Lula                     45%

Total adversários          43%

Diferença                      2 pontos

 

3) Dilma, Marina, Aécio e Eduardo

Dilma                            30%

Marina Silva                   23%

Aécio Neves                   17%

Eduardo Campos             7%

Total Dilma                   30%

Total adversários          47%

Diferença                   –  17 pontos

 

4) Dilma, Marina, Aécio, Eduardo e Joaquim Barbosa

Dilma                              29%

Marina Silva                   18%

Joaquim Barbosa            15%

Aécio Neves                   15%

Eduardo Campos             5%

Total Dilma                    29%

Total adversários          53%

Diferença                    –  24 pontos

Uma lição de Alckmin para Alagoas: SP tem orgulho de suas usinas e da cana
     │     16:32  │  3

O governador de São Paulo, estado mais rico e desenvolvido do Brasil, foi homenageado quinta-feira,27, no Top Ethanol, maior premiação do setor sucroenergético no mundo.

O prêmio foi um reconhecimento à política de incentivos que aumentou o consumo do etanol em São Paulo. O estado tem a menor alíquota de ICMS do país sobre o combustível: 12%.

No seu discurso Geraldo Alckmin falou das usinas e dos usineiros com indisfarçável orgulho – antes fez questão de descontrair um pouco ao dizer que não merecia o prêmio: “eu só tenho um pé de cana lá no meu sítio”

O que São Paulo pensa das usinas

Ao falar, Alckmin foi enfático: “Quero reiterar nosso compromissos com o setor. A pesquisa, temos os melhores institutos de pesquisa aqui em são Paulo; a tecnologia, somos os maiores fabricantes de equipamentos, máquinas para o setor, polo de Sertãozinho, polo de Piracicaba; compromisso com a infraestrutura, reduzir custos, melhorar a logística; recursos humanos, temos até uma Fatec que só tem aqui em São Paulo e nos Estados Unidos e compromisso com a energia e a biolectriciade; temos um potencial enorme para avançar com a questão tributária, ou seja da a competitividade; o carro com o motor flexfuel é um orgulho nosso, é brasileiro , um sucesso mundial, nós precisamos fortalecer esse combustível limpo que é o etanol”.

O peso da cana no estado mais rico do Brasil

O governador de São Paulo definiu o papel das usinas na economia do seu estado, que tem quase 40% do PIB brasileiro.

“Primeiro reiterar o compromisso com esse setor que é importantíssimo do ponto de vista social econômico para são Paulo e para nosso pais. O etanol é a molécula do desenvolvimento, do emprego, da sustentabilidade, energia limpa, enfim é a promotora do desenvolvimento. Nós aqui de são Paulo enxergamos isso todo dia. Onde tem o setor sucroalcooleiro muda a sociedade, agrega valor, cresce, gera emprego, prospera, é um setor importantíssimo”.

Em Alagoas ainda tem gente que ainda muda a voz ao falar de usineiro

Em Alagoas onde fecha uma usina, a economia definha, as cidades encolhem e os problemas prosperam. Ainda assim, muitos “intelectuais” e políticos continuam culpando a cana pelo atraso do estado. Confundem usineiros, senhores de engenho, coronéis do passado com as empresas de hoje – muitas reconhecidas como exemplo, fora de Alagoas.

Talvez seja resultado de séculos da mesma atividade ou fadiga econômica, mas o fato é que ainda tem muita gente que vê usineiro como o senhor de todos os males, praticante do pecado mortal da monocultura, responsável pelo atraso e pela pobreza do estado. Não é de se estranhar que algumas pessoas ainda mudam, hoje em dia, o tom da voz ao falar de “usineiro”.

Há uma bobagem e uma grande mentira em tudo isso: a cana, hoje, está longe de ser monocultura em Alagoas. Em extensão ocupa 400 mil hectares, menos da metade dos 960 mil hectares ocupados por pastagens. Em faturamento já perdeu o posto para a indústria da química e do plástico.

E depois ainda tem gente que reclama porque os usineiros de Alagoas estão “indo embora” para MG e SP.