“É possível fazer mais”: Nonô fez 4 vezes mais casas que Eduardo Campos. Pode?
   3 de junho de 2013   │     22:01  │  5

No seu segundo mandato, o atual governador de Pernambuco ganhou fama por ser um administrador arrojado, um “tocador de obras”.  Eduardo Campos vende para o Brasil uma imagem de quem transformou o seu estado e baseado nisso lançou um slogan para cutucar a presidente Dilma Rousseff, de quem, dizem, poderá ser adversário em 2014.

“É possível fazer mais”, diz a propaganda oficial do governo de Pernambuco.

Mas a situação do governo campos não é tão maravilhosa assim como vende o governador. No dia 11 de maio deste ano a Folha de São Mostrou, numa longa reportagem, que apenas 2,6 mil das 17.349 casas do programa de reconstrução das enchentes de 2010.

Se fosse comparar esse com o programa de reconstrução tocado em Alagoas pelo vice-governador José Thomaz Nonô, o governo de Pernambuco perderia de lambuja.

Até agora o vice-governador contabiliza a construção de cerca de 13 mil das 17.747 casas do programa da reconstrução em Alagoas. Destas   8 mil já foram entregues. Outras duas mil serão entregues até o dia 15 deste mês.

Nesta terça-feira, Nonô participa ao lado de outras autoridades do estado da entrega de casas em Rio Largo.  Se não houver judicialização, nem novas invasões , ele promete terminar tudo até o início de 2014.  “Reconheço até que houve demora, em função da burocracia, mas se for comparar com Pernambuco ou com o Rio de Janeiro, vocês vão ver que Alagoas está bem na frente”, afirma.

Realmente é possível fazer mais, não só em Alagoas, mas principalmente em Pernambuco. O atraso no programa da reconsturação se já é um problema em Alagoas, em Pernambuco pode virar um tiro no pé do governador.

O texto a seguir é da assessoria da Seinfra:

O governo inaugura nesta terça-feira, às 9h30, o residencial Bosque dos Palmares, em Rio Largo. Com 307 casas, o conjunto habitacional foi construído por meio do Programa da Reconstrução e conta com infraestrutura completa, inclusive com áreas de lazer.

No total, 17.747 casas estão sendo construídas pelo Programa da Reconstrução, das quais quase 8 mil já foram entregues. Também participam da entrega das chaves do Bosque dos Palmares o governador Teotonio Vilela Filho, o  vice-governador e coordenador do Programa da Reconstrução, José Thomaz Nonô, e o secretário de Estado da Infraestrutura, Marco Fireman.

COMENTÁRIOS
5

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Kelly Cristina

    Não temos nenhum motivo para acreditar nesses números de contrução e entrega de casas de Alagoas, é só olhar as propagandas falsas na área da saúde, educação e segurança.

  2. messias

    MEUS AMIGUINHOS SÃO DEMAIS; COMO INTEGRANTES DO JORNALISMO SE ENVOLVEM COM ESSES POLITICOS. ADMITO QUE O EDUARDO CAMPOS ERROU NAS CONTAS. NO ENTANTO, ELE, O NETO DO ARRAES, É UM DOS GRANDES GOVERNADORES QUE PERNAMBUCO JÁ TEVE. POR OUTRO LADO, QUANTO AO VICE´GOVERNADOR DAQUI, ACHO QUE ELE MENTE. E, COMO MENTE.: DIZ ELE, QUE NEM SEQUER CONHECE O QUE É MASSA, QUE JÁ CONSTRUIU MAIS DE TREZE MIL MORADIAS. SERÁ? GARANTO QUE NEM METADE FORAM DOADAS AS VÍTIMAS DA ENCHENTES. ESSE NONÔ É DEMAIS. TÁ SCRITO QUE ELE NÃO GANHA MAIS ELEIÇÃO ÉM ALAGOAS R QUE DEVE CORRER ATRÁS PARA SER VICE OUTRA VEZ;

  3. saulo

    Feliz, reconhecimento. Foram quase 300 obras, além das casas. A Sala da Reconstrução funcionou. Primeiro com Luiz Otávio, depois com Nonô. Em Santa Catarina e Rio de Janeiro, tem muita gente desabrigada, da cheias de 2010. Em Pernambuco, a coisa não andou bem.

Comments are closed.