Depois de 14 anos, Alagoas será declarado zona livre de aftosa
   16 de junho de 2013   │     17:18  │  0

O suplemento Gazeta Rural que circula toda sexta na Gazeta de Alagoas mostrou, nos últimos anos, a luta dos produtores rurais, governo do estado e governo federal contra a febre aftosa.

O processo começou ainda em 1999, quando foi registrado o último caso da doença no estado. Era o governo de Ronaldo Lessa e o secretário de agricultura era Mário Agra. Desde então, foram vários secretários, passado por mais dois governadores (Luiz Abílio e Teotonio Vilela Filho), pela criação da Adeal (Agência de Defesa Agropecuária de Alagoas) e diversas campanhas de vacinação.

Os produtores alagoanos deram sua contribuição e o estado conseguiu os melhores índices de vacinação.

Neste período, Alagoas saiu da zona de risco desconhecido e evolui para a zona de médio risco da aftosa.

O maior prêmio virá esta semana. Uma reunião na próxima quinta-feira, em Brasília, deve confirmar a classificação de zona livre para Alagoas, coroando uma luta de mais de 14 anos. Será uma conquista merecida por todos.

 

Álvaro Almeida, presidente da Faeal

Álvaro Almeida, presidente da Faeal

Aftosa com Z, nunca mais

O presidente Federação da Agricultura de Alagoas, Almeida foi a uma reunião, ainda no governo de Ronaldo Lessa, para tratar do combate a aftosa. Depois de ver uma faixa falando da aftosa, escrita com “z”, ele não se conteve: “governador como é que pode o governo falar de prioridade no combate a aftosa se nem o nome escreve certo”.

No próximo quinta-feira o presidente da Faeal participa que esteve liderando esta luta nos últimos 14 anos  participa do ato que deve marcar a mudança de Alagoas para zona livre da aftosa.

Antes mesmo de receber a confirmação, avisa Almeida: “aftosa em Alagoas nunca mais, seja com que letra for”.

Presidente da Faeal participa de reunião do Mapa em Brasília (com assessoria)

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária no Estado de Alagoas (Faeal), Álvaro Almeida, participa na próxima quinta-feira, dia 20, de uma reunião com dirigentes da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em Brasília.

Na pauta do encontro, que vai contar com a presença do presidente da Associação dos Criadores de Alagoas (ACA), Domício Silva, está o possível anúncio de mudança do status sanitário de Alagoas de área de risco médio para zona livre com vacinação contra aftosa.

“Estaremos participando desta reunião em Brasília. Queremos acompanhar de perto este possível resultado de reclassificação de Alagoas pelo Ministério da Agricultura”, declarou Álvaro Almeida.

O inquérito soroepidemiológico – executado pelo Ministério da Agricultura para verificar a circulação do vírus da aftosa – foi realizado em sete estados nordestinos, além de parte do Pará. Já os Estados da Bahia e Sergipe, que já conquistaram o reconhecimento de áreas livres de aftosa com vacinação, não participaram do estudo.

Alagoas foi o primeiro Estado a finalizar a pesquisa de campo do estudo epidemiológico, recebendo o resultado, no começo deste ano, de que não foi constatada a circulação do vírus da aftosa nas amostras enviadas para análise dos laboratórios oficiais do Mapa