Aftosa: Alagoas tem pior desempenho e trava liberação do Nordeste
   20 de junho de 2013   │     18:19  │  3

 Era para ser uma grande festa e quase vira velório. A expectativa do setor produtivo rural de Alagoas era que o estado mudasse para zona livre da aftosa com vacinação.

A mudança seria anunciada numa reunião da Diretoria de Saúde Animal do Ministério da Agricultura (Mapa) com  representantes de sete estados que fazem parte do circuito agropecuário Nordeste.

Não foi dessa vez. No encontro realizado durante todo o dia de hoje, na sede da CNA, em Brasília, ficou constatado que Alagoas teve o pior desempenho entre todos os estados do Nordeste, ao lado da Paraíba.

Por conta disso, o anuncio da mudança da classificação do circuito pecuário Nordeste foi mais uma vez adiado.

O diretor da DAS do Mapa, Guilherme Marques, avisou que a mudança será feita em bloco. Logo, se um estado vai mal, todo os outros continuarão na mesma classificação, a de médio risco. “Esperamos que sejam feitos os ajustes e que em julho ou no mais tardar em agosto a gente possa mudar a classificação para zona livre. É o prazo que temos para enviar os relatórios para a OIE(Organização Internacional de Epizootias)”, diz Marques.

O presidente da Adeal, Marcelo Lima, o superintendente do Mapa em Alagoas, Alay Correia, o presidente da Faeal, Álvaro Almeida e o presidente da ACA, Domício Silva, participaram do encontro.

Álvaro Almeida saiu visivelmente constrangido do encontro: “é uma vergonha, Alagoas ser o último estado. O governador precisa tomar conhecimento disso”, desabaofou.

Marcelo Lima explicou que dos 28 itens listados pelo Mapa, Alagoas só não teria cumprido quatro. “Houve uma falha de comunicação. Os técnicos do Mapa em Alagoas deixaram de atualizar os dados. Nós vamos corrigir isso”, aponta.

Aguarde

Depois eu volto com mais detalhes. A cobertura da reunião você pode ler na edição do Gazeta Rural de amanhã, que circula junto com a Gazeta de Alagoas.

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Cedidos

    Chegou a nossa hora amigos da CARHP cedidos à ADEAL de cobrar nossos direitos e reivindicar tratamento igual ao dado aos funcionários efetivos da agência!!!!!!

    VAMOS A LUTA! NOSSA HORA CHEGOU! QUEREMOS REAJUSTES IGUAIS AOS RECEBIDOS PELOS CONCURSADOS!!!!

    A VACA E TODO O REBANHO TÁ INDO PRU BREJO, SE É QUE JÁ NÃO FOI!!!!!

    Embora nossos colegas concursados tenham recebido enormes reajustes salariais no início deste ano, os auto intitulados salvadores da ADEAL continuam em sua maioria inoperantes, incompetentes e incapazes de fazer evoluir as ações de defesa agropecuária em nosso Estado sem a nossa ajuda. Foi só nós, os cedidos, os ditos LIXO FUNCIONAL DO ESTADO, fazer corpo mole no trabalho (a tal “OPERAÇÃO TARTARUGA MORTA” convocada anteriormente devido ao descaso como somos tratados pelo governo) para acontecer o que já era esperado. A defesa agropecuária alagoana vai de mau a pior e Alagoas pode impedir os demais Estados nordestinos de evoluir para livres com vacinação para Febre Aftosa!!!!!

  2. ADEMILSON

    A ADEAL não capacita os seus funcinários, não existe fiscalização da propriedades de risco, as feiras livres são uma verdadeira bagunça, muitos funcionários – assim como eu – pediram demissão. Depois de muito tempo aumentar o salário não estimula o servidor que já levou muita “lapada” do governo.

  3. jonas antonio de freitas

    Isso já era de se esperar…Alagoas, nunca se preocupou com agricultura, muito menos com a pecuária…

Comments are closed.