Téo, Collor, Renan e Biu apoiam manifestações, sem vandalismo
   21 de junho de 2013   │     21:42  │  3

Os principais líderes políticos de Alagoas convergem para uma mesma posição sobre os movimentos dos últimos dias.

Em nota oficial, o presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL) anunciou apoio a juventude que foi às ruas.

“O Congresso Nacional continuará aberto às vozes das ruas e recolherá todos os sentimentos das manifestações a fim de encaminhar soluções no que lhe couber, como não poderia ser diferente em um ambiente democrático”, disse.

O senador Fernando Collor (PTB-AL) conversou sobre o assunto com jornalistas da Tribuna Independente e avaliou o movimento como positivo, como uma manifestação democrática, exceto é claro pelos atos de violência e vandalismo

A posição do senador Benedito de Lira (PP-AL), com quem conversei hoje, não é diferente: “os jovens está mandando um recado que precisa ser ouvido por todos os políticos, por todos os partidos. Precisamos ouvi-los e agir. Eu apoio as manifestações, mas condeno esses atos de vandalismo. É lamentável ver que muitas pessoas ficaram feridas ou tiveram grandes prejuízos materiais, coisas que podem e devem ser evitadas”, avalia.

O governador Teotonio Vilela Filho (PSD-AL) também se manifestou apoiando o movimento através do Twitter.

“As manifestações representam um avanço na história da democracia. O ato é importante e deve ser feito de forma construtiva e pacífica. Temos de manter a ordem, respeito e compreensão para que haja uma interlocução e demandas sejam atendidas dentro da possibilidade do Estado. Sobre as manifestações, determinei que os policiais agissem de forma civilizada, estarão presentes para fazer a segurança dos manifestantes”, disse o governador através do twitter.

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. brasileiro

    Manifesto Geral das Insatisfações

    Aos 21 dias do mês de junho do ano de 2013, a população brasileira, em exercício das liberdades constitucionais;
    considerando que o poder emana do povo;
    considerando que a República Federativa do Brasil é um Estado Democrático de Direito e objetiva a construção de uma sociedade livre, justa e solidária, a erradicação da pobreza e da marginalização;
    considerando a pujança da economia brasileira e os incontáveis predicativos do território nacional;
    considerando a precária situação do sistema público de saúde que, por diversas vezes, constitui realidade atentatória à dignidade da pessoa humana;
    considerando a extensa e pesada carga tributária em vigor, reconhecidamente alta quando comparada com a de outros Estados Nacionais;
    considerando a realidade da máquina pública em todas as esferas do governo, as condições de prestação dos serviços públicos, bem como o histórico de corrupção que assola o país;
    considerando a repressão indiscriminada praticada pela polícia e a inércia das autoridades para impedir o avanço dos abusos;
    considerando o oportunismo da minoria que usa o movimento para cometer atos ilegais e tem desviado o foco das atenções;
    faz público este documento escrito para expor a legítima vontade do povo, em termos gerais, sem prejuízo de outros manifestos futuros, mais específicos e regionalizados. Eis o que se quer:
     A livre manifestação do pensamento, em atos pacíficos e apartidários, sem opressão policial. A segurança deve ser prioridade, no entanto, em nenhuma hipótese será admitida a tentativa de silenciar o povo pelo uso da força. Não é aceita a violência, tanto a perpetrada pela população quanto a pela polícia. A postura deve ser de abertura de um canal de diálogo.
     A reestruturação do ensino, mediante investimento maciço no nível fundamental e progressivo nos níveis médio e superior. O número de vagas deve ser ampliado até atender as necessidades imediatas da população. A educação básica, composta pelos níveis fundamental e médio, deve resgatar as pessoas que não tiveram adequado aprendizado e, para isso, será ofertada com qualidade e em turnos que permitam o acesso a todos. A longo prazo, importa robustecer os cursos técnicos e fomentar a pesquisa nos diversos níveis.
     A devida atenção à saúde, com a melhoria do sistema público e a intensificação de políticas públicas no setor. A preferência ao planejamento preventivo, sem prescindir a oferta regular de tratamento curativo aos enfermos. Os leitos hospitalares, instalados em locais próprios, devem ser em número suficiente.
     A disponibilização de transporte público satisfatório e a baixo custo. A maior parcela da população brasileira usa diariamente o referido serviço, seja para as atividades regulares de trabalho e educação, seja para participação em atividades culturais, esportivas e sociais. A redução do preço da passagem é o primeiro passo para o alcance de outros tantos direitos sociais.
     A redução gradual dos impostos. O excesso tributário sem o efetivo retorno através de políticas públicas e serviços públicos adequados é insustentável. O preço dos bens de consumo e a concretização de direitos patrimoniais são extremamente onerados pela incidência de impostos.
     A desburocratização da prática administrativa, com sistemas facilitados nos serviços e maior celeridade na prestação. Garantia de transparência nos atos dos três poderes. Divulgação, incentivo e abertura de programas ou métodos de participação popular nos destinos do país, mediante o exercício da cidadania.
     O combate ostensivo à corrupção. A preservação dos poderes institucionais do Ministério Público. A prioridade na tramitação dos processos que tenham por objeto casos de corrupção e, quando houver condenação, a realização de medidas que garantam o fiel cumprimento da decisão em tempo hábil.
     A aplicação correta das verbas públicas, sem desvios ou superfaturamento, e a redução das verbas destinadas ao custeio dos agentes políticos. A moralidade na gestão pública é primordial para a consecução dos objetivos nacionais, para a evolução econômica e social e para a consolidação das diretrizes acima apontadas.

  2. jose antonio dos santos

    Politico profissional, essas figuras que nunca deram um murro numa broa, que encaminham irmão, primo, neto, filho na politica como se fosse um CURRAL DE CRIAR ANIMAIS, na próxima eleição se cuidem, se essas manifestações de rua renderam falta de vergonha, essa figuras que se cuidem!.

  3. jose antonio dos santos

    Ontem, tive oportunidade de passar em frente ao Centro de Esportes lá no Village Campestre e que os meios de comunicação já divulgaram que gastaram milhões de recursos público, o fato é que aquilo ali é o retrato da falta de vergonha de seus gestores, do prefeito anterior e até do atual que até agora nada fêz!.

Comments are closed.