Presença de ministro em protesto contra Cabral aumenta insatisfação do PMDB
   5 de agosto de 2013   │     15:31  │  1

O rompimento do PMDB com Dilma Rousseff é iminente. A permanência do partido na base de apoio ao governo depende, ao que parece, de medidas que acalmem os ânimos dos peemedebistas. Os principais líderes – incluindo Michel Temer, Valdir Raupp, Henrique Alves e Renan Calheiros – têm reclamado do “tratamento” que o partido recebe do Palácio do Planalto.

A crise  com o PT se agravou após divulgação de um vídeo que flagrou o secretário-geral da presidência, ministro Gilberto Carvalho, em manifestação contra o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, PMDB.

Os peemedebistas veem na presença do ministro nas manifestações contra o governador uma tentativa de transferir o custo político da crise ao PMDB e também a representantes do Congresso Nacional.

Além disso, um protesto convocada contra o presidente do Congresso, Renan Calheiros, para o próximo dia 17 estaria sendo estimulado pelo ministro e setores do PT

Nesse cenário, a retomada dos trabalhos no Congresso Nacional, após o recesso parlamentar, deve ser marcada por debates em torno da permanência da aliança PMDB com o PT para 2014.

O PMDB poupa a presidente Dilma, que não teria entrado na armação, mas cobra da presidente uma ação para conter Gilberto Carvalho. Ou isso ou o rompimento.

 Vídeo flagra ministro

Vários sites registraram a “aventura” do ministro que se misturou a manifestantes, em ato no RJ. O texto a seguir é do Brasil 247: “O flagrante de sua presença, sorridente, no ato contra o governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, em São Paulo, na quinta-feira 1, esquentou as coisas para o lado dele. O PMDB, como se podia imaginar, pede-lhe a cabeça. Carvalho, é claro, vacilou, engrossando uma passeata, que termitou em quebra-quebra, contra um aliado. Essa pode ser a gota d’água para transbordar a paciência da presidente. Se bem que ela não tem motivos para agradar ou dar satisfações ao PMDB. O certo é que, a marcação de posição do ministro, não fez nenhum bem para ele e para as relações do governo com seu maior aliado”.

O texto completo você vê neste link: http://www.brasil247.com/pt/247/poder/110548/Carvalho-vai-a-ato-contra-Cabral-e-é-jurado-por-PMDB.htm

O vídeo você pode ver neste link: http://www.youtube.com/watch?v=L6tNk27O8Ro

Gilberto Carvalho explica participação em protesto

O ministro da Secretaria-Geral da presidência da República, divulgou nota explicando sua participação numa manifestação “contra a Jornada Mundial da Juventude e não de um protesto contra o governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral”.

Gilberto Carvalho também negou crise com o PMDB: “repudio enfaticamente essas tentativas de me indispor com alguns dos maiores líderes do PMDB, o principal aliado do PT na sustentação do governo da presidenta Dilma Rousseff, com quem mantenho sistemática e construtiva relação”.

05.08.2013 – Nota à Imprensa do Ministro Gilberto Carvalho

Estive na Jornada Mundial da Juventude, na cidade do Rio de Janeiro, de 22 a 28 de julho, com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, coordenando o apoio do governo federal à logística e à segurança do evento. Mantive, nesse período,  permanente contato com o governador Sérgio Cabral e com o prefeito Eduardo Paes, e nossa sintonia foi fundamental para o sucesso da visita do papa Francisco ao Brasil, que reuniu mais de 3,5 milhões de pessoas na capital carioca, sem que nenhum incidente grave tenha sido registrado.

No final da tarde da sexta-feira, dia 26, alertado pelo Centro de Comando e Controle, acompanhei pessoalmente, durante cerca de 15 minutos, uma manifestação que se dirigia ao palco da JMJ na praia de Copacabana, aonde se encontrava o papa Francisco, com o objetivo de orientar as ações das forças de segurança e evitar confrontos entre manifestantes e peregrinos. As principais palavras de ordem da manifestação eram pelo Estado laico e contra os gastos públicos realizados para dar suporte à JMJ. Minha presença foi acompanhada e noticiada por jornalistas da Folha de S.Paulo e da Agência Brasil.

Neste final de semana, aproveitando-se de um vídeo desse episódio divulgado no Youtube, alguns sites divulgaram a versão fantasiosa de que eu teria articulado e apoiado a manifestação contra o governador do Rio de Janeiro ou, ainda, de que estaria incentivando manifestações contra o presidente do Senado, Renan Calheiros.

Repudio enfaticamente essas tentativas de me indispor com alguns dos maiores líderes do PMDB, o principal aliado do PT na sustentação do governo da presidenta Dilma Rousseff, com quem mantenho sistemática e construtiva relação. Obviamente, nenhum desses exemplos de mau jornalismo tem qualquer proximidade ou compromisso com os fatos, nem me ouviu para me assegurar o democrático direito de esclarecer minha presença no vídeo mencionado.

Brasília, 5 de agosto de 2013

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

Comments are closed.