Renan e Alves querem acabar com o toma lá dá cá, mas Dilma não quer deixar
   7 de agosto de 2013   │     20:40  │  4

O Palácio do Planalto e o Congresso Nacional mais parecem gato e rato, numa disputa sem fim. Falta só saber quem é Tom e quem é Jerry nessa disputa que seria cômica, não fosse trágica.

Agora cada vez mais independente, o Legislativo impõe ao Executivo derrotas em série. A última – e com estrondosa repercussão na esplanada dos ministérios – é a votação da PEC do Orçamento Impositivo.

Ontem, a Comissão Especial da Câmara Federal aprovou a PEC que iria a votação em plenário hoje. Só não foi porque o presidente da Casa, Henrique Alves atendeu apelo do PT e transferiu a votação para o próximo dia 13.

Anote: a decisão foi apenas adiada, mas já está tomada. Os deputados federais aprovarão a PEC e com isso esperam se libertar do tal toma lá dá cá, como disse o próprio Alves. O governo só libera emendas de deputados “amigos”, em troca de favores.

Se a medida for aprovada na Câmara, “chegará com força ao Senado”, avisa Renan Calheiros. O senador do PMDB, cada vez mais longe do Planalto, também condena o toma lá dá cá.

Com a medida aprovada, o governo federal não terá opção nem escolha. Todas as emendas parlamentares, no valor de mais de Parlamentares, no valor de mais de R$ 10 milhões por cada deputado ou senador, serão liberadas automaticamente.

Qual a moeda de troca que sobrará a Dilma Rousseff? Depois desta PEC mais nada.

Em nota, assessoria do Senado diz que Renan Calheiros é a favor do Orçamento Impositivo

Renan diz que Orçamento Impositivo ‘chegará com força ao Senado’

‘Se aprovada pelo Plenário da Câmara dos Deputados, a proposta de emenda à Constituição que institui o orçamento impositivo deverá ter prioridade também no Senado, disse o presidente da Casa, Renan Calheiros, em entrevista à imprensa no início da tarde desta quarta-feira (7). Segundo ele, a PEC  565/06 “chegará com muita força ao Senado”.

Para o presidente, a medida também pode representar o que chamou de  “fim do toma lá da cá” nas relações entre Congresso e Executivo.

– Talvez seja uma oportunidade para acabarmos, do ponto de vista da relação do Legislativo com o Executivo, com essa coisa do toma lá da cá. Se você estabelece uma regra, você estabiliza, você desfaz a relação toma lá da cá e isso é muito bom para política brasileira, que o povo quer ver depurada – argumentou o senador ao se referir às emendas parlamentares.

Após os deputados terem aprovado em comissão especial a PEC do Orçamento Impositivo na noite de terça-feira (6), o tema passará por votação em dois turnos pelo Plenário da Câmara – o que pode acontecer nesta quarta-feira – antes de seguir para o Senado. Se aprovada pelos congressistas, o Executivo será obrigado a liberar os recursos de todas as emendas parlamentares ao Orçamento, o que não ocorre atualmente.

COMENTÁRIOS
4

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Johhn

    Me preocupa esse equilíbrio político. Gasto público crescendo acima do PIB nos últimos 15 anos. Até agora aumentaram impostos para equilibrar, quero ver qual será a solução agora.

    Enquanto isso, vagabundos do Congresso, como Renan e Alves, não aprovam a Lei que só Permite uma novo gasto do governo com a antecipação da fonte de financiamento.

  2. jose antonio dos santos

    Esse Presidente da Arsal parece que que fazer do povo besta, que dinheiro público se acha no lixo, em entrevista na Rádio Gazeta afirmou que foi aprovado um custo de R$ 600,00 (seiscentos reais) para serviço de GUINCHO MACEIÓ/ARAPIRACA, enquanto qualquer cidadão pode ligar, consultar a Condor Guinchos, Carvalhos Guinchos e outras, que o preço médio é R$ 300,00 (TREZENTOS REAIS), que dizer uma propina ou superfaturamento de 100%, isso é legal, é roubo, ou que nome se dá!. Que conta da peste esse gestor público fez!.

  3. jose antonio dos santos

    Acreditar em probidade, decência do Deputado Marcelo Victor é um chute no saco. Qual a qualificação moral que tem essse deputado que foi preso até por roubo de energia, filho de outra figura ( Ex-Deputado Gervásio Raimundo) que respondeu a processo de roubo de trilhos da Rede Ferroviária Federal.Tudo divulgado na época pelos meios de comunicação da terra.

  4. jose antonio dos santos

    Aí está uma posição que todos nós devemos parabenizar, o Senador Renan Calheiros avisa que vai se empenhar em votar o Orçamento Impositivo e esta é uma forma de tentar acabar essa vergonha do “toma lá dá cá”.

Comments are closed.