Depois de mais de 14 anos, Alagoas entra finalmente na zona livre da aftosa
   12 de agosto de 2013   │     22:52  │  1

Até o final deste mês ministro da Agricultura, Antonio Andrade, chega a Alagoas para por fim  a uma espera de mais de 14 anos. Ele vai assinar no dia 23 ou 29 (falta confirmar a data) a portaria reconhecendo Alagoas como zona livre da febre aftosa com vacinação.

Percorrer o caminho que levou a esta conquista não foi fácil. Tudo começou em 1999, quando foi registrado o último caso de aftosa no estado. Desde então, os produtores e o estado uniram forças para chegar a este momento.

De zona de risco desconhecido a zona de médio risco da aftosa, Alagoas fez o dever de casa. O estado criou a Adeal e os criadores bateram recordes seguidos de vacinação e declaração, com a imunização do rebanho chegando a quase 100%.

Depois da longa espera, o presidente da Federação de Agricultura de Alagoas, Álvaro Almeida, recebeu a confirmação de que o estado poderá, finalmente, ser reconhecida como área livre da aftosa com vacinação.

O anúncio foi feito pelo Ministério da Agricultura, em Brasília, nesta segunda-feira, 12, durante reunião com dirigentes dos órgãos de defesa agropecuária dos sete Estados nordestinos e de parte do Pará que lutam pela conquista da mudança do status sanitário.

Segundo relatório, Alagoas recebeu uma das melhores notas na avaliação do projeto de ampliação da zona livre da febre aftosa para a região Nordeste. O Estado ficou na terceira posição no ranking. Apenas o Maranhão e o Ceará tiveram um desempenho superior.

“Desta vez, não saímos envergonhados da reunião. Finalmente, estamos bem melhor no gráfico de avaliação da aftosa. Tenho que reconhecer e parabenizar em nome do setor agropecuário alagoano a todos aqueles que contribuíram de alguma forma para este resultado e ao produtor rural os nossos sinceros agradecimentos”, afirmou Álvaro.

Ajustes

Na reunião anterior realizada em junho deste ano em Brasília Alagoas apareceu em último lugar no gráfico da aftosa. Na época Marcelo Lima, presidente da Adeal, contestou a classificação e avisou que os dados não tinham sido atualizados corretamente. “De fato houve um erro de comunicação e os dados não haviam sido atualizados. O desempenho de Alagoas está entre os melhores”, admite Alay Correia superintendente Federal de Agricultura.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Luiz Paulo Sodré

    Meu caro Edivaldo,já o reconheço a tempo, como um grande profissional,mas não posso deixar de ficar envergonhado,quando,o senhor escreve uma matéria dessa que Alagoas toda espera a muitos anos,sem nem citar o nome do governador Teotônio Vilela Filho,o grande mentor desse feito,que adotou como uma das metas de seu governo,tornar Alagoas, zona livre da aftosa com vacinação se igualando aos nossos vizinhos estados Sergipe e Bahia, que já haviam conseguido esse grande feito,isto é tão importante, como o estaleiro EISA, para o nosso estado, que todos queriam ser o pai,,mas não é,até mesmo essa oposição reconhecerá o grande governo que nós tivemos,e que facilitará em muito ao que vier substitui-lo,inúmeras industrias,vários novos hotéis,aumentando em muito a nossa industria do turismo,mas não preciso enumerar,basta que a verdade seja dita,e o maior de todos os feitos,é que hoje temos crédito, credibilidade,respeito,da iniciativa privada e do governo federal,e isso não se consegue por decreto,se não pode reconhecer publicamente os méritos do governador,não atribua a outros por conveniência, desqualificando um homem de bem.

Comments are closed.