Programa Economize AL reduz gastos de custeio no Estado, diz Álvaro
   20 de agosto de 2013   │     16:49  │  1

Registrei na coluna Mercado Alagoas, na Gazeta desta terça, 20, que o Estado aumentou os gastos de custeio. De janeiro a julho deste ano, o estado registrou despesas de R$ 1,013 bilhão , uma alta de 10,07% ou R$ 92,6 milhões a mais do que foi gasto no mesmo período do ano passado (R$ 920,6 milhões).

De fato as despesas são maiores, mas segundo o presidente do Comitê Gestor do Programa Economize Alagoas, o secretário do Gabinete Civil Álvaro Machado, a cota de custeio de cada Secretaria é a mesma do ano passado.

“O aumento de custeio que existe, hoje, é relativo ao aumento do volume de serviços. O Estado comprou novas ambulâncias para o Samu e novas viaturas para a Defesa Social. Neste caso as despesas aumentaram porque a prestação do serviço aumentou”.

Economia de R$ 4 milhões com celular

De acordo com Álvaro Machado, as despesas de custeio estão sob total controle, tanto que o Programa Economize Alagoas se transformou em referência para outros estados.

“Quando começamos fizemos parceria com o governo de São Paulo e criamos os guardiães da economia. O que surpreendeu SP foi a  área de telefonia. O nosso contrato em 2006 era de R$

11 milhões com telefonia móvel. Em 2012 gastamos R$ 7 milhões e desde a implantação do novo sistema dobramos o número de linhas. E apesar de ter dobrado reduzimos R4 4 milhões por ano”, aponta.

De acordo com o secretário, o fato de ter feito a licitação (quiem ganhou foi a OI) abriu a oportunidade de colocar itens importantes, como uma cota diferente para a cada celular e a ligação gratuita entre os celulares funcionais. “Esse modelo passou a ser usado este ano em São Paulo com resultados tão positivos que o secretário do gabinete civil me ligou para nos parabenizar”, aponta.

O controle de gastos com combustíveis também é exemplo segundo Machado: “temos o controle por chip que impede o abastecimento se o veículo estourar a cota de consumo na semana”, explica.

Queda na arrecadação

Apesar do controle de gastos no custeio, Álvaro Machado reconhece que a situação financeira do estado é preocupante em função da queda na arrecadação: “esse é um problema nacional. Outros estados estão literalmente quebrando. Em Alagoas nós estamos controlando as despesas e buscando a melhor forma de conviver com as dificuldades”, aponta.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Valdeck

    O Secretário do Gabinete Civil Álvaro Machado que tapar o sol com a peneira, enquanto os gastos com salários polpudos de comissionados com muitos funcionários fantasmas como vimos na Assembleia Legislativa, e que certamente ocorre no Palácio de Vidro, e o próprio governo faz questão de ignorar. Por conta disso, e da ingerência reinante, a própria base (PSDB) reconhece que o governo se equivoca ao não fazer concursos públicos, creio que se fizer um levantamento, Alagoas tem servidores públicos muito velhos em vias de aposentadoria, quando já não estão aposentados, o serviço público não se renovou como acontece nos Estados por aí afora, profissionais novos, gera novas atitudes, novos índices positivos, além de aquecer a economia do Estado, mas o governador Vilela só enxerga as áreas públicas como custo, gasto que não rende votos, porém ele esquece que a população que é cliente e parente dos parcos servidores públicos estão dessassistidos por esse governo leniente, passivo e omisso.

Comments are closed.