Justiça ainda não acatou pedido de recuperação judicial da Usina Leão
   15 de outubro de 2013   │     19:49  │  1

Até o momento a Justiça de Pernambuco não acatou o pedido de recuperação judical apresentado pelo grupo EQM para todas as suas empresas – incluindo a Usina Leão, de Rio Largo.

A indústria faz parte do grupo Eduardo Queiroz Monteiro que entrou com um pedido de recuperação judicial para todas as suas empresas – incluindo três usinas, sendo duas em Pernambuco (Cucaú e Laranjeiras) e  uma em Alagoas (Utinga Leão).

A ação tramita na Justiça de Pernambuco, onde o grupo está sediado. A juíza da 25ª Vara Cível da Comarca da Capital – PE, Margarida Amélia Bento Barros, acatou o pedido apenas em parte.

“ZIHUTANEJO DO BRASIL AÇÚCAR E ÁLCOOL S/A; COMPANHIA GERAL DE MELHORAMENTOS DE PERNAMBUCO; KELBE PARTICIPAÇOES LTDA; S/A IRMÃOS AÇÚCAR E ÁLCOOL; e BRAZIL ETHANOL LEÃO PARTICIPAÇÕES LTDA, devidamente qualificados, ingressaram a presente Ação de Recuperação Judicial, com base nos arts. 47 e segs. da Lei 11.101/2005, pugnando distribuição por dependência à AÇÃO DE FALÊNCIA de n° 0015159-20.2009.8.17.0001, em que constam como parte autora a empresa R P PROTEÇÃO LTDA., e como parte demandada a empresa ZIHUTANEJO DO BRASIL AÇÚCAR E ÁLCOOL S/A”.

No seu despacho inicial a magistrada determinou que “Remetam-se os autos à distribuição para a exclusão no pólo ativo das empresas COMPANHIA GERAL DE MELHORAMENTOS DE PERNAMBUCO; KELBE PARTICIPAÇOES LTDA; S/A IRMÃOS AÇÚCAR E ÁLCOOL; e BRAZIL ETHANOL LEÃO PARTICIPAÇÕES LTDA”.

 

A decisão da juíza exclui a Usina Leão. Os advogados da empresa recorreram e uma nova decisão é aguardada até amanhã.

O pedido de recuperação

Depois do Grupo João Lyra – com três unidades em Alagoas e duas em Minas Gerais – e da Roçadinho, mais uma usina de Alagoas entrou com pedido de recuperação judicial: A S/A Leão Irmãos, de Rio Largo.

O processo tramita na Justiça de Pernambuco, onde o grupo EQM (Eduardo Queiroz Monteiro), que controla além da Leão em Alagoas outras unidades em Pernambuco (Cucaú e Laranjeiras) está sediado. O pedido de recuperação judicial foi feito em nome de  Zihuatan ejo do Brasil Açúcar e Álcool S/A, Companhia Geral de Melhoramentos de Pernambuco, Kelbe Participações Ltda, S.A. Leão Irmãos Açúcar e Álcool e Brazil Ethanol Leão Participações S/A, empresas do grupo EQM.

Até o momento não há informações de que o pedido que tramita, desde o último dia 10, na Vigésima Quinta Vara Cível da Capital tenha sido acatado.

Prevenção

A medida é preventiva e visa manter a indústria em operação. A unidade é uma das dez que conseguiu iniciar a moagem mas enfrenta dificuldades para se manter em funcionamento por conta da cobrança judicial de suas dívidas com bancos nacionais.

A empresa é a quinta mas certamente não será a última a entrar com pedido de recuperação judicial nesta safra em Alagoas.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. nivaldo melo

    é melhor ter uma empresa solida que tantas falidas.
    bom vender uma das empresas para recuperar as outras.
    não adianta querer ganhar o mundo inteiro e perder a alma.

Comments are closed.