Eisa Alagoas não existe mais; agora é Estaleiro do Nordeste – Enor
   22 de outubro de 2013   │     20:29  │  7

De tanto capengar à espera da licença do Ibama, o Estaleiro Eisa Alagoas caiu no desgosto dos gestores do Grupo Synergy. Mas calma! German Efromovich apenas deixou de apreciar a denominação.

O projeto em si – da maior indústria naval da América Latina – continua de pé, mas ganhará nova denominação e passará a ser chamado oficialmente, a partir de agora, de Enor – Estaleiro do Nordeste.

Porque a mudança? A explicação de German Efromovich é cercada de simbologia. Ele explicou que o grupo já tem dois  estaleiros no Rio de Janeiro – o Mauá e o Estaleiro Ilha SA, conhecido como Eisa.

A mudança do nome, segundo German, é para identificar o projeto com a região, até porque o grupo quer ser a referência no Nordeste em indústria naval. A ideia é ampliar o leque de atuação regional e o nome ajudaria nesse processo – até mesmo pela identificação com o povo e seus líderes.

Licença de Implantação

Nomenclatura a parte, Efromovich se reuniu nesta segunda-feira com o diretor técnico do Grupo Sinergy, Max Weber, que é também o coordenador do projeto em Alagoas e com o secretário de Planejamento e Desenvolvimento de Alagoas, Luiz Otávio Gomes.

O encontro serviu para fazer a checagem do processo de emissão da licença de implantação do estaleiro. Vai demorar um pouco mais do que o previsto, avisa Luiz Otávio Gomes: “toda a documentação exigida pelo Ibama será apresentada no dia 16 de dezembro e esperamos que a licença seja concedida num prazo de até três meses depois”, adianta.

A demora, explica o secretário, se dá em função das exigências do Ibama: “é uma documentação complexa e que precisa estar completa. Os consultores estão trabalhando em tempo integral e vão conseguir terminar os estudos ainda este ano”, adiantga.

Desapropriação

Entre as exigências do Ibama está a desapropriação da área onde o estaleiro será construído, no povoado de Miai de Cima, em Coruripe.

“O governador Teotonio Vilela Filho definiu, em telefonema para German Efromovich, que até 30 de novembro toda a área será declarada de utilidade pública e até 15 dezembro será desapropriada”, adianta o secretário.

O “terreno” em questão tem mais de 250 hectares ou cerca de 2,5 milhões de metros quadrados e está localizada numa área de grande valorização imobiliária. A doação do terreno é uma das contrapartidas do estado para a instalação do empreendimento em Alagoas

COMENTÁRIOS
7

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Ednaldo

    O estado em que moramos esta muito complicado, pois os governantes não fazem nada que preste, só vivem mandando pintas ruas e praças pra depois irem a inauguração, quando tem uma empresa de grande porte que vai proporcionar empregos para os alagoanas eles não querem nem saber,não ligam para a melhoria do estado que é pobre em empregos, ( REPRESENTANTES DE ALAGOAS NO GOVERNO, VAMOS OBSERVAR O QUE É MELHOR PARA O NOSSO ESTADO )

  2. wilson

    eu emtedo na bahia ta estalando 15 empresas, estaleiro oboticario motadora de veiculo total sao 15 e em alagoas nada so almenta aviolencia vamos trabalha governo da servisos nossos irmao leva empresas pra nosso estado

  3. A F.LOIRO

    MINHA GENTE BOA DE ALAGOAS O THEOTONIO VILELA FILHO JÁ MORREU DESDE SEU PRIMEIRO MANDATO ESSE ÚLTIMO NÃO EXISTE MAIS. ADEUS DEFUNTO.

  4. Há Lagoas

    Só depois das eleições é que este embrolho vai sair…
    Até lá, as fogueiras das vaidades não permitirão sua conclusão e isto exclui o atual governador! Até porque isso seria excelente para imagem de um governo cuja oposição acusa de ser similar a uma tartaruga!

  5. jose antonio dos santos

    É lamentável que os eleitores de Alagoas tenham escolhido um verme politico desta qualificação denominado de Teotonio Vilella. O cara preguiçoso, frouxo, incompetente e parece administrar outro estado, parece não ligar para nada que acontece ao seu lado. Até quando…

  6. ADERVAL

    E o financiamento (BNDES/BB/BNB/CAIXA ?) ocorre simultaneamente à análise pelo Ibama, fazendo parte da última licença ou depois dessa possível aprovação pelo Órgão Ambiental tem início todo o processo de financiamento do empreendimento junto aos Bancos.

  7. jose antonio dos santos

    Vejam o que politicagem barata. O ex-presidente da OAB/AL, Sr. Omar Coelho hoje na Rádio Jovem Pan afirmou, o sr. Teotônio Vilela é imbatível para uma candidatura ao Senado. Esqueceu de pesquisar junto ao povo que tem um mínimo de compreensão politica de

Comments are closed.