Dependendo de “consulta” Jeferson pode sair da disputa pela presidência ALE
   21 de novembro de 2013   │     20:00  │  0

Um fato novo pode tirar o deputado estadual Jeferson Morais, do DEM, da disputa pela presidência da Assembleia Legislativa. Não só ele, como todo os outros candidatos podem  desistir de concorrer na próxima eleição dependendo  resposta a consulta  que foi feita à Justiça.

“Deputados da mesa diretora afastada fizeram uma consulta ao judiciário para saber qual o período de afastamento. Como os juízes não determinaram prazo, esse afastamento pode ser por um período curto, de um ou dois meses ou até por seis meses”, explica Jeferson Morais.

Dependendo da resposta a esta consulta, Jeferson diz que pode até desistir da disputa pela presidência: “não faz sentido toda essa luta para ser presidente por um ou dois meses. Se a Justiça disser que o período de afastamento é até dois de meses, é melhor deixar como está. Mas se esse afastamento for por um período maior então vale a pena disputar a presidência porque teremos tempo de fazer um trabalho de recuperação da Casa”, afirma Jeferson.

O deputado Ronaldo Medeiros, do PT, que apoia Jeferson e admite disputar um cargo na nova mesa diretora, também não vê sentido em eleger uma nova mesa se for por um período curto: “é preciso que a Justiça esclareça essa questão para que a gente possa se posicionar corretamente”, enfatiza.

O que diz a Justiça

No despacho assinado por diversos juízes no processo 0700085-56.2013.8.02.0066  que determinou o afastamento da mesa diretora da ALE, foi decidido:

“O afastamento dos réus Fernando Ribeiro Toledo, Antonio Ribeiro Albuquerque, Sérgio Toledo Albuquerque, José Cavalcante Santos, Eduardo Antônio M. Holanda, José Maurício de Albuquerque Tavares, Marcelo Victor Correia dos Santos e Marcos Antônio de Oliveira Barbosa de seus cargos na Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Alagoas, impedindo que eles participem do processo de escolha dos novos membros da mesa diretora, ou seja, não podendo votar ou candidatar-se a qualquer cargo diretivo no parlamento estadual, até ulterior deliberação….

Os juízes também decidiram: “A realização de nova eleição para composição da mesa diretora da Assembleia Legislativa de Alagoas na primeira sessão ordinária seguinte a contar da intimação desta decisão, sob pena de responsabilização por atos de improbidade administrativa…”

O despacho de 31 de outubro de 2013 é assinado pelos juizes Alberto Jorge Correia de Barros Lima, Carlos Aley Santos de Melo, Geneir Marques de Carvalho Filho, João Paulo Martins da Costa, Luciana Josué Raposo Lima Dias, Manoel Cavalcante de Lima Neto e Phillippe Melo Alcântara Falcão.