JC, o polêmico, reassume na Câmara Federal e promete “chumbo grosso”
   11 de dezembro de 2013   │     21:30  │  0

João Caldas reassumiu o mandato nesta quarta-feira, 11, em grande estilo. Primeiro suplente de deputado federal, ele assumiu na vaga de Arthur Lira, PP, que pediu licença e fica afastado até abril (depois conto melhor essa história).

Para os próximos dias, Caldas promete “brindar” seus adversários e desafetos com propostas, projetos e discursos contundentes na Câmara Federal.

“Vou aproveitar para levantar questões de interesse dos alagoanos e problemas que ocorrem no estado, como os crimes ambientais, as agressões a mata atlântica que estão sendo cometidas todos os dias sem nenhuma preocupação de órgãos como o IMA, o Instituto do Meio Ambiente de Alagoas ou o Ibama”, adianta.

Na sua reestreia, Caldas, que agora está no Solidariedade, fez um longo discurso condenando  a  inclusão de prefeituras no Cauc (O cadastro único, uma espécie de SPC do setor público)  por conta de dívidas das prefeituras com a Eletrobras.

De acordo com Caldas, as dívidas foram contraídas ainda quando as distribuidoras – é o caso da Ceal  – pertenciam aos Estados. “A inclusão das prefeituras no Cauc penaliza a população, porque os municípios deixam de receber as transferências voluntárias do governo federal”, explica.

No discurso, Caldas pediu a retirada das prefeituras do cadastro e o perdão das dívidas. “Espero que a presidente Dilma Rousseff se sensibilize com esse problema que atinge especialmente as menores cidades e as pessoas mais pobres”, cutuca.