Militares convocam assembleia e anunciam a realização da “operação padrão 2, o retorno”
   23 de janeiro de 2014   │     4:57  │  1

Ainda não se sabe ao certo o que deu errado. O governo enviou as propostas de promoções, lei do bico legal e aumento salarial dos militares para a Assembleia Legislativa, mas algum artigo do projeto de realinhamento salarial, entregue ao presidente da ALE nesta terça-feira, 21, ao presidente da ALE, Fernando Toledo, parece ter ficado em desacordo com o que foi acertado.

Pela sua página no Facebook o coronel Ivon, um dos líderes do movimento conhecido como operação padrão, que parou PM e CB em dezembro do ano passado, está convocando os militares para uma nova assembleia. A ideia é fazer uma operação nos mesmo moldes da anterior – só que um pouco mais forte, tanto que já tem gente falando em aquartelamento.

“Caros companheiros e companheiras militares, temos nos dedicado diuturnamente a proporcionar motivação e satisfação a nossa tropa, confesso que a valorização da nossa categoria tem sido a nossa principal meta. Entendo que a nossa união foi o fator determinante da queda de um secretário (Defesa social) e de dois comandantes, e por tudo, as minhas saudações castrenses!. Nesse momento percebo que o governo de Alagoas, mais uma vez, deixou de cumprir compromissos com a classe trabalhadora, sobretudo aquela que oferta a sua própria vida em defesa da sociedade, as briosas polícia militar e corpo de bombeiros militar”, disse.

O coronel continuou: “Temos que aprimorar a operação padrão, que chamaremos OPERAÇÃO PADRÃO FASE 2, O RETORNO. Na sexta-feira, dia 24.01.14, às 10:00H, na Assomal, estaremos deliberando sobre a proposta salarial apresentada pelo Estado de Alagoas, e lamentavelmente, em total desacordo com o que fora apresentado pelo próprio Governo. A nossa assembleia geral é soberana, a decisão da maioria será a nossa decisão, compareça! Defenda os seus direitos”.

A proposta de realinhamento

A tabela negocia com o governo prevê aumento salarial para os militares divido em duas etapas, uma agora e outra em março de 2015, como informou a Assomal

“Após a longa assembleia realizada na última sexta-feira (27), os militares aceitaram a contraproposta apresentada pelo Governo do Estado e, entre as reivindicações atendidas, os policiais e bombeiros receberam um aumento salarial equivalente a mais de 40%, o que corresponde hoje ao valor de R$ 3.571 para soldado.

Um percentual será pago este mês – janeiro de 2014 – e o restante será diluído até março de 2015, como explicou o presidente da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (Assomal), major Wellington Fragoso”.

É justo no entendimento da “diluição” que estaria a discordância. Os militares esperam reajustes graduais, mês a mês, enquanto o governo prevê o reajuste apenas em dois momentos: uma parcela agora e outra no ano que vem.

Tabela salarial negociada com os militares

Tabela salarial negociada com os militares

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Subtenete

    Os Militares Alagoanos não aceitam o Projeto de realimento fora do que foi acordado em dez/2013, com o Governo, as Lideranças e os Deputados Estaduais e um Federal,O Governo tem que ter palavra e determinar a correção Urgentíssimo. Para Evitar que tropa volte com Operação Padrão-2, com muita força e junto as demais Secretarias do Estado, peça a saída desse Desgoverno e sua cambada de Secretários incompetentes.Que querem fazer os Militares de Besta.Na próxima terça o bicho vai pegar. E esse Desgoverno cai.Governador cumpra com sua palavra.Não brinque com Militares.
    Aguarde.
    Subtenente
    Pronto para Luta.

Comments are closed.