A partir de agora, pesquisa eleitoral só vale se tiver registro no TRE
   10 de fevereiro de 2014   │     18:06  │  1

Depois do “vazamento” da pesquisa em que o Cícero Almeida aparece na frente para governador e, dizem, com Benedito de Lira em segundo, os bochichos em torno dos candidatos do chapão ao governo aumentaram.

O ex-prefeito se animou e chegou a dizer que topa ir para a disputa, mas o presidente nacional do PRTB, Levy Fidelix  botou água na fervura. Depois disso, Almeida voltou a se encantar com a Câmara Federal.

Uma pesquisa puxa outra e novo levantamento foi feito, por outro instituto, desta vez sem Cícero Almeida, mostrando o crescimento de Renan Filho com Benedito de Lira em segundo, mas perdendo terreno, e Alexandre Toledo ainda em terceiro. Nada diferente do que já se viu.

Números? Nem pensar. A partir de janeiro deste ano, quem quiser divulgar resultado de pesquisa eleitoral tem que registrar no TRE.

Por isso mesmo, essa história de pesquisas vai ficar na escala do bochicho – pura especulação. Cada um faz a sua do jeito que quiser, até chegar o momento de realizar os levantamentos encomendados por veículos de comunicação ou instituições independentes.

Falei com alguns dos pré-candidatos ao governo sobre o tema. Ninguém quer falar de pesquisa ou de resultados que não são oficiais.

Uma visão sobre pesquisas

O deputado federal e presidente do Partido dos Trabalhadores em Alagoas, Paulão diz que o PT não discute pesquisas que não for registrada. “Quem dá tom nessas pesquisas que não são públicas é quem pagou. A população está cheia, não suporta o jogo de carta marcada. Pesquisa para mim não é parâmetro, não é condição nenhuma”, pondera.

A viabilidade de um candidato majoritário depende de muitos fatores além da pesquisa, aponta Paulão: “veja o caso do Cícero, não tem TV. Isso fragiliza. Cícero Almeida é liderança forte, mas o partido não tem tempo de TV. Se ele não tiver aliança isso pesa negativamente. Todo mundo sabe que Adeilson (Bezerra, do PRTB) é ligado a Renan Calheiros. Qual a garantia para manter a candidatura se o Renan Calheiros não quiser?”.

O que penso

Pesquisa, agora, faz barulho, mas só serve efetivamente como termômetro a partir de agosto, quando começa o ‘guia eleitoral’. As últimas eleições nacionais (Dilma Rousseff começou em segundo) ou municipais (casos de Maceió, que começou com Rui Palmeira em segundo, de Recife, com Geraldo Júlio em terceiro e de São  Paulo, como o ‘poste’ Haddad em último) mostram bem isso.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Tonho Paraíba

    Posso falar?
    Ouvi dizer que foi Renan Filho 36% com Biu 21% e Alexandre Toledo 5%
    Nem LOG nem Fireman pontuam.
    Almeida na espontânea nem faz cócegas.
    Nono não é parâmetro.

Comments are closed.