Alexandre Toledo matém projeto e Vilela terá no mínimo dois candidatos ao governo
   18 de março de 2014   │     17:15  │  0

Para Alexandre Toledo não tem mais volta. Ele será candidato a governador pelo PSB e sabe que sua decisão deve levar o “campo do governo”, grupo que dá sustentação a Téo Vilela, a encarar as eleições deste ano com pelo menos dois palanques.

O deputado federal do PSB parece que não ficou impressionado com a “demostração de força” do senador Benedito de Lira, na última semana.  Ao contrário, toledo começou essa semana dando entrevistas na TV e rádios e avisando que é mais candidato do que nunca.

Assim, um palanque seria formado pelo PSB, com o possível apoio do PPS, tendo Alexandre Toledo como candidato ao governo. A vice poderia ser disputada por Regis Cavalcante ou Ricardo Barreto.

O outro palanque será formado por Benedito de Lira, do PP, que tem o apoio do PSD, do SDD  e do PR e, faltando ainda bater o martelo, com o PROS. Biu seria candidato ao governo. A indicação de candidatos a vice e senador vai depender da abertura do  leque partidário.

Nomes como Nonô, Marcos Fireman, Luiz Otávio Gomes e Joãozinho Pereira,  que estão no DEM e PSDB podem subir ou não no palanque de Biu de Lira. Para isso esperam a decisão de  Téo Vilela. O governador analisa a possibilidade de lançar um nome do PSDB, o que garantiria o palanque de Aécio Neves em Alagoas. Nesse caso, Marcos Fireman e Luiz Otávio Gomes estariam no páreo.

Na espera pelo PMDB

Mas que ninguém se engane.  A queda de braços entre o PMDB e o PT na Câmara Federal pode ter reflexos diretos nas eleições de Alagoas. Uma possibilidade é a candidatura do senador Renan Calheiros. Nesse caso, um novo arranjo  seria feito na política alagoana.

Ao que parece, o governador vai esperar a movimentação do presidente do Senado para se definir.

A diferença entre unidos e juntos

O deputado federal Alexandre Toledo avisa que não existe possibilidade de “racha” no campo do governo: “estamos unidos e vamos permanecer unidos mesmo que o grupo tenha duas chapas. O ideal é que estivéssemos juntos, num só palanque, mas vamos continuar unidos mesmo que em palanques diferentes”.

Entendeu? Eu também não. Mas vamos esperar para ver no que vai dar. Ao que parece o governador vai ter muita dor de cabeça para administrar esse meio de campo.