Chapa proporcional com Almeida não avança e Lessa deve fechar com PT e PCdoB
   1 de abril de 2014   │     15:44  │  0

A formação de uma coligação proporcional entre o PDT de Ronaldo Lessa e o PRTB de Cícero Almeida está, ao menos por enquanto, descartada. A ideia dos articuladores era estimular a formação de chapa com os dos maiores puxadores de voto de opinião para a Câmara Federal – até agora.

Pelas contas dos “especialistas”, o ex-prefeito e o ex-governador podem ter juntos de 250 mil a 300 mil votos. Se conseguissem juntá-los numa chapa com outros partidos, o objetivo seria eleger de 3 a 4 deputados federais.

Depois de alguns encontros com Cícero Almeida, Ronaldo Lessa avisa que prefere manter a estratégia inicial, de buscar uma aliança mais a esquerda, com PT de Paulão, o PCdoB de Bomfim e o PTdoB de Rosinha da Adeal.

“Estamos mais avançados no diálogo e também mais próximos no projeto político. Acredito que o melhor caminho mesmo é a formação de duas ou três coligações proporcionais dentro da frente de oposição“, aponta Lessa.

Na disputa de vagas para a Assembleia Legislativa a estratégia já está praticamente definida para PDT e PT que devem sair com chapas “solteiras”. Os outros partidos ainda estão definindo suas alianças.