PROS deve anunciar apoio a Frente de Oposição esta semana
   9 de junho de 2014   │     17:45  │  3

Para onde vai o PROS em Alagoas? O caminho já está definido, mas ainda falta bater o martelo. O líder do partido na Câmara Federal admite que a tendência natural é fechar com a Frente de Oposição, em função do palanque nacional.

Mas antes é preciso definir o apoio a Dilma Rousseff: “já está praticamente definido que iremos apoiar a reeleição da presidente, mas antes de anunciar o apoio vamos apresentar algumas pontos que queremos ver incluídos no programa de governo. Nosso apoio será programático”, avisa Carimbão.

Um seminário nesta terça-feira, em Brasília, vai definir os pontos a serem apresentados à presidente. “Somente depois disso é que vou fechar em Alagoas, mas a tendência natural, até em função da questão nacional, é a aliança com o PMDB e o PT”, admite Carimbão.

A formalização do apoio, avisa Carimbão, pode ser anunciada ainda esta semana, logo após a definição da questão nacional – ou no máximo no começo da próxima semana.

A convenção do PROS será no próximo dia 20, um dia depois das convenções  dos partidos da frente de oposição. “Escolhi uma data diferente por conta dos  meus compromissos  com a igreja.  Dia 19 é dia de Corpus Christi e eu estarei participando da celebração desta data que é uma das mais importantes para os católicos. Mas acredito que vamos confirmar a coligação”, adianta.

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Eleitor esclarecido: Branco

    A neutralidade do Prefeito Rui Palmeiras – Sabe-se que no Brasil o calendário eleitoral ocorre a cada 02 anos. O primeiro pleito é municipal para escolher os Prefeitos e Vereadores e o segundo é para escolher o Presidente, Governadores, Deputados e Senadores. A escolha do Prefeito em uma capital já funciona como termômetro para determinado grupo politico disputar e ganhar a próxima eleição para Governador. Em 2004 a eleição para Prefeito em Maceió 04 candidatos com chances disputaram, Regis Cavalcante, Wanderley Neto, Alberto Sexta-feira e Cicero Almeida. O quinto candidato, Industrial milionário e Deputado Federal João Lyra desistiu para apoiar financeiramente o CICERO ALMEIDA, visando ser candidato a Governador na próxima eleição de 2006, seu afilhado politico Cícero Almeida ganhou a eleição mais não convenceu seus eleitores de votar no seu padrinho (JL), ganhou as eleições para governador o Senador Teotônio Vilela que fazia parte do grupo do Senador Renan Calheiros. A ultima eleição para Prefeito de Maceió ganhou RUI PALMEIRAS/PSDB que faz parte do grupo do Governador Teotônio Vilela, com apoio do Senador Benedito de Lira que colocou seu afilhado MARCELO PALMERAS para ser o Vice da chapa. Hoje o Prefeito está neutro nesta eleição porque tem divida politica com os três cacifes: governador Teotônio é do mesmo partido do Prefeito (PSDB), o Senador Benedito de Lira (PP) tem seu afilhado Marcelo Palmeira que é o Vice Prefeito e o Senador Renan Calheiros vem ajudando initerruptamente o Prefeito com seu prestigio de Presidente do Senado e intercedendo junto ao Governo Federal para a liberação de recursos, emendas e concretização de projetos que visam favorecer o governo tucano de Rui Palmeiras, que sem o esforço do Senador Renan, o prefeito não faria uma administração convivente. O prefeito Rui palmeiras está neutro e deve permanecer assim, coisa que os cacifes do PSDB e PP jamais esperavam, estava querendo apoio dele ou pressioná-lo para renunciar o mandato e tentar se eleger governador, porém no Rui foi mais sensato.

  2. ELEITOR BRANCO

    Politica eleitoral e partidária é uma roda gigante, e os políticos são os parques de diversão. O eleitor é o publico que assiste seus movimentos rotativos seja de perto ou de longe.

  3. Eleitor Branco

    A primeira eleição do Senador Teotônio Vilela foi em 1986 pelo PMDB, onde muitos eleitores pensavam que estavam votando no pai do senador, até porque não sabia que ele havia falecido nesta época a mídia circulava a passo de tartaruga, sendo reeleito em 1994 pelo PSDB, mais nunca foi um politico carismático e atuante igual ao seu genitor TEOTÔNIO VILELA BRANDÃO. Na atualidade para sobreviver politicamente não basta somente ter dinheiro e amizade em Brasília. Afinal este partido PSDB nunca construiu grupo politico aqui em Alagoas, então os dias da TORRE DE BABEL já estavam contados, e para sacramentar o desmoronamento do Partido PSDB e do próprio governo Téo Vilela foi ele se aliar ao então Ex- Deputado Federal e hoje José Tomaz Nonô Neto, que o colocou em sua chapa majoritária disputando a vaga de Vice Governador, onde também muitos eleitores votaram no Governador Teotônio Vilela, pensando que o candidato a Vice Governador seria o mesmo que estava no cargo Dr. JOSÉ WANDERLEY NETO. Ou seja, o governo foi formado por duas pessoas sem nenhuma expressão politica, já desgastados politicamente pela ineficácia politica durante seus mandatos quando eram parlamentar e como gestores do atual Poder Executivo. Hoje estamos presenciando uma derrocada politica desses dois políticos Teotônio Vilela Filho e José Tomaz Nonô Neto, bem como a fragmentação de seus partidos PSDB e DEM. Isto é um fato consumado.

Comments are closed.